inspecao 24.05.12
8 pág.

inspecao 24.05.12


DisciplinaHigiene e Inspeção de Produtos de Origem Animal59 materiais548 seguidores
Pré-visualização3 páginas
Paramos nas partes dos uniformes dos funcionários
Todos os funcionários que trabalham nas dependências relacionadas ao beneficiamento, ao embase e a ordenha, vão vestir uniformes na cor branca, todo o uniforme como botas, calca, blusa, toca, mascara, tudo branco.
Já os outros funcionários que trabalham nas demais áreas vão vestir uniformes azuis com a bota preta. 
	A vantagem de ter funcionários com cores diferentes: o veterinário e/ou o fiscal conseguem descobrir se o funcionário está na sua seção corretamente. 
O fato de ser roupa azul e bota preta a sujeira fica mais difícil de avaliar a limpeza da roupa. 
As dependências de ordenha (na sala de ordenha) devem ser limpa antes, durante e após a permanência dos animais, porque não se quer que acumule as funções dentro da dependência.
Ao final dessa ordenha, será feita uma sanitização do piso e das paredes, ou seja, tudo deve ser limpo. 
Como vai ser realizado o controle desse leite, da matéria prima:
	Temos analises que vão ser realizadas diariamente e analises que vão ser realizadas mensalmente.
Existe uma rede de laboratórios oficiais que estão ligados ao Embrapa conhecido como rede leite que possui os laboratório oficiais para fazer as analises de leite. então quando vc precisa analisar um leite onde se precisa de analise fiscal, vc vai enviar para o laboratório da rede leite, que é uma rede oficial que é a Embrapa que está coordenando e participa dessas analises.
É obrigatório a contagem das células somáticas e da contagem padrão em placas uma vez por mês em um laboratório oficial. 
O padrão de células somáticas e contagem padrão em placas é dado pela legislação na media de 3 meses consecutivos. Ou seja, hoje enviamos uma analise de CCS, vamos enviar em maio, junho e julho, somo e obtenho a media e comparo a média dos 3 meses consecutivos. Ai depois faz agosto, setembro e outubro. Ai depois novembro, dezembro, janeiro. É trimestral o resultado.
Se a propriedade perceber que é necessário realizar essa analise em tempo menor eles podem fazer. Mas o obrigatório é mensal e obter a média de 3 meses. 
A pesquisa de antibiótico no leite também é uma analise obrigatória mensal, que também vai ser realizada em um laboratório oficial. Essa parte de antimicrobianos no leite é uma parte preocupante e existe mesmo isso, o percentual que é detectado o antibiótico é muito grande e o produtor não tem essa visão que temos.
	Diariamente a propriedade deve fazer a determinação do índice crioscópico. É a prova considerada de precisão para verificar a fraude por aguagem. 
	Também é obrigatório ser feito diariamente a determinação do extrato seco total e o teor de extrato seco desengordurado.
Essas analises que são diárias, é o próprio estabelecimento quem faz e anota em tabelas, pois é inviável vc mandar fiscal todo dia para coletar amostra.
Alem disso, diariamente vamos determinar o teor de gordura.
Vai ser aferida a temperatura do leite cru refrigerado.
Vai ser determinado o teor de acidez titulável desse leite 
	Alem disso, também é feita a determinação da densidade relativa à 15°C, sendo que a determinação da densidade relativa ela é desprezada (não é necessária ser feita essa prova) quando o extrato seco desengordurado e o extrato seco total forem determinados eletronicamente. 
	Na tabela, temos os pré requisitos do leite cru refrigerado do tipo A que seja integral. Vemos a gordura, acidez, densidade relativa, índice crioscópico, sólidos não gordurosos, proteína total, estabilidade do alizarol (prestar atenção porque nem sempre é 72%, esse número é variável, tem que checar na tabela), contagem padrão em placas, contagem de células somáticas.
Vamos verificar que o padrão de células somáticas eram menos rígidos, hoje em dia, eles estão mais exigentes então com o passar dos anos a tendência é diminuir mais ainda. Até 2014 é admitido um valor, até 2016 um valor menor ainda, e 2018 menor ainda, vai se admitindo menos células somáticas no leite. 
	Esse leite deve sofrer sua expedição a uma temperatura máxima de 4°C e ao chegar ao estabelecimento que vai comercializa-lo, essa temperatura não deve ser superior a 7°C. Então nesse momento nós temos um produto que deve estar sendo enviado ao mercado consumidor a 4°C, podendo chegar a atingir 7°C no ponto de venda. Porque durante o transporte é normal que suba a temperatura.
	O transporte deve ser feito em um veículo que possua unidade frigorífica e deve ter isolamento térmico. O produto refrigerado, seu transporte deve dispor de um veículo desse tipo. 
Particularidades do leite cru refrigerado
	Esse regulamento do leite cru refrigerado se destina a todas as propriedades rurais do nosso país que possuem o objetivo de obter o leite pasteurizado que vai para o consumo humano direto ou que seja utilizado na fabricação de derivados lácteos. Essa legislação é aplicável a todos os estabelecimentos de laticínios que sejam submetidos a inspeção veterinária oficial.
	De acordo com esse regulamento, o leite cru refrigerado é um leite que tem como definição, aquela definição obtida na ultima aula, sendo que alem dessa definição, é o leite que vai ser mantido em temperatura de refrigeração que pode ser a temperatura de 4°C ou 7°C, dependendo o tipo de resfriamento. 
	O leite cru refrigerado tem a refrigeração por expansão ou em tanques de imersão. Quando for tanque de imersão, admite-se a temperatura de 7°C. Enquanto que o leite refrigerado em tanques de expansão essa temperatura deve ser inferior a 4°C. 
O leite cru refrigerado vai ser transportado em veículos que possuam tanques isotérmicos da propriedade rural até ao estabelecimento que eles serão processados. 
O nome de venda é esse: leite cru refrigerado, não existe nenhuma outra denominação.
	O leite cru refrigerado deve ser ausente de neutralizantes e reconstituintes, alem de não ter sabores e odores estranhos. Deve ser um líquido opaco e branco. 
Temos parâmetros para o leite cru refrigerado onde cai na mesma exceção: quando o extrato seco desengordurado for determinado eletronicamente vc não precisa fazer a analise de densidade relativa. 
	Tendo atingido a padronização do leite cru refrigerado, é proibido a padronização do leite cru refrigerado e seu desnate desse leite na propriedade rural. Só posso desnatar na industria e não na propriedade rural.
Temos um padrão específico para o sul, sudeste e centro-oeste e temos outro padrão para norte e nordeste.
Se formos observar, o padrão do norte e nordeste é menos rígida porque a qualidade do leite lá é pior do que do sul, sudeste e centro-oeste. Eles vão se adaptar porem em tempo maior do que no sul, sudeste e centro-oeste. A adequação dos limites é diferente para as regiões.
De acordo com as datas, conseguimos estabelecer as metas.
Quando esse leite chega na indústria: o que a industria vai fazer no momento que receber esse leite:
	A industria vai fazer as analises de rotina, que são as analises diárias como: temperatura, alizarol, índice crioscópico, acidez, densidade, gordura, fosfatase alcalina e peroxidase, % de sólidos totais (= extrato seco) e SNG, todas essas podemos falar que são provas de rotina até a parte de neutralizantes e reconstituintes. 
Quando pensamos em agentes inibidores de crescimento microbiano, as vezes não temos estruturas para se fazer diariamente, mas seria o ideal. 
O leite vai ser recebido, vai ficar no tanque de refrigeração até ter o resultado da prova e assim ser encaminhado para o seu correto destino e sem misturar com os leites de outros procedentes caso vc precise descartar se necessário.
Caso a alteração desse leite seja visível, como por exemplo uma estria de sangue, o funcionário tem autonomia para recusar aquele leite do produtor. 
Quando forem tanques comunitários, ou seja, são diversos proprietários que vão refrigerar no tanque especifico. É obrigatório que antes de depositar esse leite, é obrigatório fazer a coleta da amostra individual de cada produtor. Essas amostras individuais serão enviadas a um laboratório e vão ser mantidas à uma temperatura de 7°C.
Importância: