Análise Tecno-Económica de Serviços Móveis e Sem Fios
174 pág.

Análise Tecno-Económica de Serviços Móveis e Sem Fios


DisciplinaRedes sem Fio754 materiais25.943 seguidores
Pré-visualização35 páginas
de alunos e professores do ensino superior em Portugal. 
No sector privado, começam também a surgir algumas iniciativas pontuais, promovidas 
por empresas interessadas em divulgar o conceito e estabelecer modelos de negócio à 
imagem dos de empresas como a Boingo, caso já abordado no capitulo anterior. 
Empresa &
Escritório
Empresa &
Escritório
Locais
Públicos
Locais
Públicos
Locais
Públicos
Hoteis
Casa & Lar
\u2026Estações
De Combóio
Aeroportos
O Cliente
(móvel)
‰‰ O MercadoO Mercado
Parques de 
Exposições/Feiras 
& Congressos
 
Figura 60 \u2013 O Mercado por explorar em Portugal 
Exemplo deste interesse crescente, é a experiência pilto no Centro Comercial Colombo 
e nas esplanadas da Doca de Santo Amaro, ambos em Lisboa. Numa altura em que as 
vendas de computadores portáteis estão a crescer mais rapidamente do que as dos PC 
AAnnáálliissee TTeeccnnoo--EEccoonnóómmiiccaa ddee SSeerrvviiççooss MMóóvveeiiss ee SSeemm FFiiooss 
128 
desktop e em que o número de equipamentos com recursos Wi-Fi começa a aumentar - 
em parte devido à introdução, nas linhas dos fabricantes, da arquitectura Centrino, da 
Intel - o modelo de criação de pontos de acesso à Internet através da tecnologia sem fios 
Wi-Fi faz cada vez mais sentido. Garantindo uma velocidade de ligação muito superior 
à da tecnologia GPRS - através dos telemóveis e que assegura igualmente liberdade de 
movimentos mas com a vantagem de uma maior cobertura -, o Wi-Fi ganha cada vez 
mais adeptos entre os utilizadores que querem aliar a mobilidade à qualidade e à 
velocidade das comunicações. 
A evolução do Wi-Fi é no mínimo irreversível, concretizando o conceito de ubiquidade 
do computador: A tecnologia 802.11 está testada e é segura, é muito barata e trabalha 
sobre IP. A expansão das redes wireless poderá fazer-se através do desenvolvimento de 
soluções por parte das empresas para complementarem as suas redes internas, mas 
também através de sistemas públicos - conhecidos por Hotsopts- que oferecem 
conectividade wireless em zonas onde existe uma maior concentração de possíveis 
utilizadores, como aeroportos, universidades, hoteis ou centros de cengressos. 
O aparecimento da norma 802.11b nos acessos rádio à Internet está a alterar os planos 
não só dos operadores tradicionais \u2013 Móveis, Fixos e ISPs \u2013 mas também a fazer com 
que surjam novas empresas e parcerias em Portugal, visando a exploração e 
desenvolvimento de negócio, sobretudo do caso dos Hotspots Públicos. 
Apesar do abrandamento da economia global, e sobretudo no que toca a Portugal, a 
demanda para o conectividade móvel "a qualquer momento, em qualquer lugar" "atraiu 
muitos novos operadores e parcerias para o novo mercado móvel: hotspot públicos 
(WLAN). 
 
Tel:+351 217 957 555Boingo
Wireless
Campo Grande 7
Lisboa, Lisboa 1700
HotelQuality Hotel 
Lisboa
Tel:+351.21.3514060
Boingo
Wireless
Avenida Da Liberdade- 180 
B
Lisboa, Lisboa 1250
HotelNh Liberdade
Tel:+ 351 213 877 006
Boingo
Wireless
Travessa da Fabrica dos 
Pentes- 12-20
Lisboa, Lisboa 1250
Hotel
Amazonia Lisboa
Hotel
DetailsCarrier
Type
AddressDescriptionLocation
Tel:+351 217 957 555Boingo
Wireless
Campo Grande 7
Lisboa, Lisboa 1700
HotelQuality Hotel 
Lisboa
Tel:+351.21.3514060
Boingo
Wireless
Avenida Da Liberdade- 180 
B
Lisboa, Lisboa 1250
HotelNh Liberdade
Tel:+ 351 213 877 006
Boingo
Wireless
Travessa da Fabrica dos 
Pentes- 12-20
Lisboa, Lisboa 1250
Hotel
Amazonia Lisboa
Hotel
DetailsCarrier
Type
AddressDescriptionLocation
 
Figura 61 \u2013 Presença da BoinGo WISP em Portugal (www.boingo.com, Setembro 2003) 
AAnnáálliissee TTeeccnnoo--EEccoonnóómmiiccaa ddee SSeerrvviiççooss MMóóvveeiiss ee SSeemm FFiiooss 
129 
 
13.2 Legislação e Regulamentação em Portugal 
Segundo a ANACOM, a entidade que gere oespaço radioeléctrico em Portugal, o 
mercado de acesso rádio público de banda barga - Public Hotspot ou WLAN Públicas \u2013 
estão isentas da atribuição de Licença pela ANACOM. 
No entanto os Serviços Públicos WLAN requerem o registo de operador como prestador 
de serviços públicos, junto da ANACOM. 
O standard do IEEE 802.11 tal como a HiperLAN/2 estão classificadas pela ANACOM 
como sendo dispositivos do tipo SRD-\u201cShort Rádio Device\u201d e por isso isentos de 
licença. A seguinte tabela, demonstra a atribuição destes dispositivos dentro do espaço 
radioeléctrico português bem como as respectivas limitações e gestão. 
 
 
Tabela 7 \u2013 Tabela da Atribuição do Espaço Radioeléctrico em Portugal a Dispositivos do tipo 
SRD, incluindo o standard do IEEE 802.11 e HiperLANs (excerto, www.anacom.pt) 
 
 
Da análise desta tabela, conclui-se no imediato as seguitnes atribuições, face aos 
standards equacionados para os Hotspots: 
802.11b. Faixa de frequências de 2400MHz a 2483,5MHZ, com potência máxima de 
100mW E.I.R.P. (Emitted Isotropic Rádio Power). 
AAnnáálliissee TTeeccnnoo--EEccoonnóómmiiccaa ddee SSeerrvviiççooss MMóóvveeiiss ee SSeemm FFiiooss 
130 
802.11a. Faixa de frequências de 5,150MHz a 5,350MHZ, com potência máxima de 
200mW E.I.R.P. 
HiperLAN/2. Faixa de frequências de 5,470MHz a 5,725MHZ, com potência máxima 
de 1W E.I.R.P. 
 
De facto, estamos perante a atribuição de banda não licenciada, pelo que a 
qualidade de serviço (QoS) não é garantida à prior. Daqui resulta a efectiva importância 
assumida pela concepção do Projecto de Engenharia Rádio, assumindo uma maior 
complexidade, desde o levantamento das necessidades até à colocação em Serviço. No 
projecto de Engenharia Rádio, os seguintes assumem um papel preponderante para a 
performance final do hotspot: 
- Site Survey 
- Planeamento Rádio 
- Instalação e Colocação em Serviço 
A aplicação destes vários passados ao longo do Projecto de Engenharia, estão 
dependentes do tipo de tecnologia a escolher, sendo esta indexada à gama de 
frequências em banda não licenciada. 
 
Banda 2.4 GHz: 
 - 13 canais, ocupando cada um uma largura de 20MHz 
 - somente 3 canais não-sobrepostos (non overlapping) 
 - até 4 canais com pouca interferência 
 
AAnnáálliissee TTeeccnnoo--EEccoonnóómmiiccaa ddee SSeerrvviiççooss MMóóvveeiiss ee SSeemm FFiiooss 
131 
 
Figura 62 \u2013 A atribuição dos canais das frequências do 802.11b em Portugal 
 
Banda 5 GHz: 
 - 5,15GHz (Indoor)=802.11a 
 - 5,6GHz (Outdoor)=Reservado à banda HiperLAN2 
(Caso Portugal, ANACOM) 
 - 3-4 canais disponiveis 
 
 
13.3 Que tecnologia a usar num Hostpot Público: 802.11a ou 802.11b ? 
Não há nenhuma dúvida de que o standard de WLANs mais extensamente o 
disponivel e implementado hoje em dia é o 802.11b ou também conhecido como Wi-Fi. 
A disponibilidade recente das cartas wireless 802.11a e dos respectivos pontos de 
acesso rádio, acaba por introduzir uma pequena dúvida pertinente e comum. do 
wireless. O planeamento rádio de uma wireless LAN, enfrenta agora o desafio de tomar 
uma decisão face à tecnologia a usar: 802.11a ou 802.11b. 
 
802.11a versus 802.11b 
O standard 802.11e o 802.11b, definem cada um uma camada fisíca diferente. Os 
rádios 802.11b transmitem em 2.4 gigahertz e emitem dados até\u30fb11 Mbps usando a 
modulação DSS (Direct Sequence Sprectrum) para propagação, visto que, os rádios 
AAnnáálliissee TTeeccnnoo--EEccoonnóómmiiccaa ddee SSeerrvviiççooss MMóóvveeiiss ee SSeemm FFiiooss 
132 
802.11a transmitem em 5 gigahertz e emitem dados até\u30fb54 Mbps usando OFDM 
(Orthogonal Frequency Division Multiplexing). 
Naturalmente o desempenho superior de 802.11a oferece uma sustentaçãoo excelente 
para aplicações que necessitem de uma grande largura de banda, mas como a frequência 
opera numa banda mais elevada assume por inerência um menor alcance ou alcance 
(muito) mais curto. 
Coverage Comparison 2.4GHz vs 5GHz 
at 15dBm power output open office environment
0.0
20.0
40.0
60.0
80.0
100.0
120.0
140.0
54Mbps 36Mbps 24Mbps 12Mbps 6Mbps 11Mbps 5.5Mbps 1Mbps
Frequency 
Di
st
an
ce
 M
5GHz Frequencies 2.4GHz Frequencies
 
Figura