saude publica 04.10.11
5 pág.

saude publica 04.10.11


DisciplinaSaúde Pública Veterinária15 materiais368 seguidores
Pré-visualização1 página
Metodologia epidemiológica
Método científico
Problemas
Hipóteses
Estudos epidemiológicos
Operacional
Papel do investigador
Referência temporal
Denominação
	Tipo operacional
	Posição
	Referência temporal
	Denominações
	Agregado
	
Observacional
	
Transversal
	
Estudo ecológico
	
	
	
Longitudinal
	
Estudo de tendências
	
	Intervenção
	Longitudinal
	
Ensaio comunitário
	Individualizado
(Seccional)
	Observacional
	
Transversal
	
Inquéritos
	
	
	Longitudinal
	
Estudos prospectivo (COORTE)
Estudo retrospectivo
(Caso-controle)
	
	Intervenção
	Longitudinal
	Ensaio clínico randomizado
Delinhamento dos estudos
Papel do investigador. 
Vc vai avaliar o seu papel diante da pesquisa, diante do estudo. Eu posso apenas observar. 
Vou trabalhar com 64 bairros no RJ, vou nos postos, olho a ficha de atendimento e olho quantos eram portadores de dengue e quantos não eram portadores de dengue. Eu observei.
Ou eu poderia trabalhar de outra maneira. Eu poderia pensar assim: 64 bairros, vou selecionar todos que tiveram dengue, vou dividir em 2. Um grupo vai utilizar repelente, vai ter tela na casa, o outro grupo não vai ter nada disso. Vou observar se a intervenção da tela e do repelente vai adiantar. Estou avaliando de maneira intervencional, vou intervir no meu estudo. Faço alguma coisa que vai intervir.
Vou utilizar uma ficha de analise que eu formulei. Embora vc tenha formulado, vc não está intervindo no fenômeno, vc está usando uma ferramenta para aquele fenômeno, mas não esta intervindo.
Ficha, questionário, estou usando o que eu formulei mas não estou intervindo no fenômeno. 
Embora é seu, a 
Fazer-se uma referencia ao tempo 
Posso utilizar dados de um determinado momento, posso colher informações de um determinado momento.
Ex. quero avaliar todos os indivíduos que foram atendidos no posto.
Posso pegar os dados desde que abriu a clinica até hoje.
Coleta todas as infos daquele posto. Embora vc tenha feito num intervalo de tempo, vc não usou o tempo como uma medida para analisar, vc analisou o posto.
Vc fez uma analise transversal
Se eu tiver que demonstrar o efeito tempo, eu deixei de fazer um estudo transversal e fiz um estudo longitudinal.
Ex. quero avaliar todos 
Se existe uma variação climática, uma variação de população, 
Imagina que tivesse que avaliar uma população 
Peste bubônica. Se eu faço um estudo transversal, eu 
Tenho que fazer um estudo que seja longitudinal.
Ano passado (intervalo de 1 ano, passado) posso pegar as fichas, está pronto. É um estudo retrospectivo., passou. 
Tenho que avaliar para frente.
Uma delas é utilizar o recurso da informação, da cultura.
Quero descobrir se aquela intervenção foi suficiente para avaliar ao longo do tempo. 
Vou fazer um estudo prospectivo (depois da minha conduta, antes da minha conduta não posso)
Tem que ter um estudo retrospectivo, para poder gerar a hipótese.
Inquérito: buscar as causas. Tenho um determinado fenômeno e eu vou buscar as causas do fenômeno. 
Classificado o tipo de estudo, nosso próximo espaço é delineamento
O N significa a minha população.
Dentro dessa população eu vou avaliar doentes (D)
População 
Expostos (E)
Quero avaliar a presença de larva de ancilosmona na areia de praia do rio de janeiro
N: praias 
Vou avaliar dentro das areias da praia.
Vantagem de fazer um estudo desses: simplicidade. É simples de fazer, de fácil aplicação. 
2º que é de baixo custo, vc não vai trabalhar com algo que vai intervir
É fácil de ser analisado, embora essas analises podem vir acompanhado de VIES, de erros. Se eu fizer essa analise nos meses (ex. junho), pode ser com que eu fale que não existe risco dos bichos geográficos no rio de janeiro.
Embora é fácil de ser analisado, tem que tomar cuidado com esse tipo de erro. Tem que mostrar pra aquela reação, pra aquele meio, depende do tempo.
Agora vou fazer um estudo longitudinal. Faço o estudo de tendência. Vamos avaliar nessa tendência o temporal.
Ensaios comunitários
Tenho meu agregado (N), desse agregado vou selecionar um grupo. 
(s) praia.
(Nn experimental = folheto)
(Nn comparativo = não uso o folheto)
E vou avaliar o meu extrato.
Avalio minha analise inicial e minha analise final.
No = analise do inicio
N1 = analise do final
O que agente espera: 
Se não receber informação No = N1
Agora se recebeu, No devera ser maior que N1
Num estudo individualizado
Vc quer avaliar a doença sobre o ponto de vista da exposição.
Se vcs observarem, nos anteriores não foi feito isso, agregou-se informações de expostos e não expostos.
Nessa questão de individualizar, tenho que ter a ....
Não me vale mais os não expostos, mas a exposição.
Eu seccionei um grupo exposto.
O que vamos fazer: quero avaliar a eficácia de um equipamento (que será a exposição)
Exposição:
No caso do ensaio clinico, estou controlando uma situação de exposição. Tenho que ter um grupo que vai receber a terapia, e um grupo que não vai receber.
Depois que eu utilizei, vou avaliar quantos tiveram efeito e quantos não tiveram efeito. 
Coorte
Temos o seguinte: eu quero avaliar se a condição de exercício físico diminui o risco de infarto. Vou pegar 2 grupos, independe do tamanho, um grupo vai praticar ativ física e outra que não pratica. Eu preciso de um tempo para avaliar.
Ao longo do tempo vou avaliar se ela teve ou não infarto.
Vou fazer a mesma coisa com os sedentários.
Pra concluir que o sedentarismo aumenta o risco de infarto. 
Caso controle
Vou avaliar agora a bebida. Se todos os acidentes automobilísticos que aconteceram no RJ, quantos desses o motorista estava embriagado, e quantos deles não estavam embriagados?
Eu parti da causa
Do que já aconteceu. Só posso trabalhar com aquilo que já aconteceu.