MATERIAL DE ESTUDO ANATO
8 pág.

MATERIAL DE ESTUDO ANATO


DisciplinaAnatomia II2.416 materiais33.204 seguidores
Pré-visualização3 páginas
vagos anterior e posterior...veia ázigo
37- Quais estruturas são encontradas no mediastino anterior
3 a 4 linfonodos, timo ou sua cicatriz, tecido conectivo.
@ é lógico que nas regiões do mediastino tb encontrarei a irrigação e drenagem, bem como inervação específica de cada orgão ou região. 
\ufffd\ufffd
Faringe
Faringe
É uma cavidade fibromuscular afunilada com cerca de 15 cm de comprimento .
Divide-se em 3 partes
Nasofaringe - atrás da cavidade nasal , o teto é formado por ossos do crânio , acima do palato mole , as tubas auditivas abrem-se uma de cada lado da nasofaringe , isto regula a pressão aérea nos dois lados da membrana timpânica.
Orofaringe - situa-se atrás da cavidade bucal , abaixo do palato mole e estende-se até a laringe , nessa área há as tonsilas palatinas , que são tecidos linfóides que atuam como filtro protegendo o trato respiratório de infecções.
Laringofaringe - localiza-se atrás da laringe . 
\ufffd\ufffd
Sinusite e seios paranasais
Sinusite e seios paranasais
A sinusite (sinus = seios + ite = inflamação) é uma inflamação dos seios paranasais ou seja dos seios que existem em volta do nariz.
Os seios são cavidades situadas junto ao nariz onde se acumula muco que em condições normais deve ser claro e fluido e que escorre normalmente para o nariz (fossas nasais) sem criar quaisquer problemas.
Existem quatro tipos de seios; os seios maxilares que se situação nas maxilas da face, os seios frontais que se situam na testa por cima do nariz e os seios etmoidais (do etmóide) que estão atrás do nariz e juntos à testa e cabeça e o seio do esfenóide.
Em situações normais estas cavidades escoam o seu liquido para as fossas nasais e tudo funciona bem.
Mas em algumas pessoas esse líquido pode ficar acumulado provocando uma inflamação, situação em que a pessoa passa a sofrer de sinusite.
A sinusite é frequente quando a pessoa se constipa ou quando sofre de alergias, situações em que o seu sistema imunológico está mais debilitado e em que a produção de fluidos é maior.
A drenagem destes fluidos acaba muitas das vezes por ser afectada e por provocar inflamações dos seios paranasais (frontais, etmoidais e maxilares) provocando aquilo a que se chama sinusite.
A sinusite pode ser aguda ou cronica sendo que a sinusite aguda pode ter uma duração de uma a quatro semanas e a sinusite cronica pode durar mais de três meses consecutivos. 
\ufffd\ufffd
drenagem dos seios
Estudar a drenagem dos seios
seio maxilar - meato médio
seio frontal - meato médio
seio esfenoidal - recesso esfeno-etmoidal
células etmoidais anteriores e médias - meato médio
células etmoidais posteriores - meato superior
ducto naso-lacrimal : meato inferior 
\ufffd\ufffd
Laringe
Laringe e suas Cartilagens
A laringe é um curto canal que se encontra no pescoço adiante do esôfago. O seu comprimento no adulto é de 4 a 5 centímetros . Começa ela em cima na faringe e é continuada embaixo pela traquéia. A função da laringe não é só aquela de dar passagem ao ar que se dirige aos pulmões ou que deles sai, mas também aquela de emitir a voz. É ela, portanto, o órgão da "fonação". Tal tarefa é desempenhada pelas cordas vocais que se acham no interior do canal laríngeo. As cordas vocais são constituídas por duas pregas músculo-membranosas, de forma prismática, dispostas, horizontalmente, de diante para trás, e que fecham em parte o canal laríngeo. O ar que sai dos pulmões, passando pela laringe, as faz vibrar. Conforme as cordas vocais estão mais ou menos tensas, os sons que elas produzem são mais ou menos agudos.
As cartilagens da laringe são a tireóide, a cricóide e a epiglote (ímpares) e a aritenóide, a corniculada e a cuneiforme (pares). As cartilagens tireóide, cricóide e aritenóide são cartilagens hialinas e podem sofrer calcificação, que se inicia depois dos 20 anos. As restantes são cartilagens elásticas. 
\ufffd\ufffd
A MAIOR CARTILAGEM
A cartilagem tireóide está constituída por duas lâminas divergentes, unidas anteriormente em ângulo de 90º no homem e aproximadamente 120º na mulher, o que lhe confere forma de escudo e justifica sua etmologia. No ponto de união das lâminas, superiormente, há uma projeção anterior, a proeminência laríngea (pomo de Adão), mais acentuada no homem, palpável e visível in vivo. As bordas anteriores das lâminas divergem superiormente formando a incisura tireóidea. Já a borda posterior de cada lâmina prolonga-se superior e inferiormente para constituir os cornos superior e inferior, respectivamente. Na superfície lateral de cada lâmina vê-se uma crista, a linha oblíqua onde se fixam os mm. constrictor inferior da faringe, esternotireóideo e tireo-hióideo. 
\ufffd\ufffd
Ádito e cavidade da laringe
Ádito e cavidade da laringe
O ádito da laringe é (como o nome indica) a entrada da laringe e encaminha o ar da laringo-faringe para a cavidade laríngea. Seus limites são a borda da epiglote, as pregas ari-epiglóticas e, posteriormente uma prega que une as cartilagens aritenóides (prega interaritenóidea). O fechamento do ádito protege a via respiratória contra a penetração de partículas alimentares e corpos estranhos. 
Muito importante
A cavidade da laringe é dividida em três porções: vestíbulo, glote e cavidade infraglótica: 
\ufffd\ufffd
O vestíbulo
vai do ádito da laringe às pregas vocais, englobando as pregas vestibulares e os ventrículos. As pregas vestibulares, que vão da cartilagem tireóide, anteriormente, à cartilagem aritenóide, posteriormente, incluem os ligamentos vestibulares e são revestidas por mucosas, sendo o espaço entre elasdenominado de rima do vestíbulo. Os ventrículos correspondem a um espaço em forma de canoa de cada lado da cavidade da laringe limitado superiormente pela prega vestibular e inferiormente pela prega vocal e ainda a porção intermediária, mediana, que se situa entre os espaços direito e esquerdo. Cada ventrículo apresenta um divertículo, o sáculo, que possui glândulas mistas cuja secreção lubrifica as pregas vocais. 
Glote
Galeno usou a palavra grega glottis (= bocal de flauta), derivada de glossa (= língua) para denominar toda a laringe. Vesalio usou a palavra para designar a região abrangendo as pregas vestibulares, as pregas vocais e os ventrículos. Atualmente,a glote corresponde às pregas e a os processos vocais. O intervalo entre as pregas e os processos vocais de um lado e de outro é a rima da glote. As pregas vocais estendem-se da cartilagem tireóide ao processo vocal das cartilagens aritenóides e incluem o ligamento e o músculo vocal, revestidos pela mucosa. A parte mais anterior da rima da glote, localizada entre as pregas vocais, é a sua parte intermembranosa, enquanto que a porção que se situa entre os processos vocais é a parte intercartilaginosa. Enquanto que as pregas vocais são de importância na produção da voz, as pregas vestibulares exercem função protetora e, normalmente, não participam da fonação. É provável que as pregas vestibulares entrem em contato durante a deglutição. 
	
	
	
A cavidade infraglótica
A cavidade infraglótica
que é a região da laringe limitada superiormente pelas pregas vocais e inferiormente pelo início da traquéia.