179_METEOROLOGIA_E_CLIMATOLOGIA_VD2_Mar_2006
1 pág.

179_METEOROLOGIA_E_CLIMATOLOGIA_VD2_Mar_2006


DisciplinaClimatologia2.225 materiais40.456 seguidores
Pré-visualização1 página
165
METEOROLOGIA E CLIMATOLOGIA
Mário Adelmo Varejão-Silva
Versão digital 2 \u2013 Recife, 2006
CAPÍTULO V
RADIAÇÃO.
1. Introdução.
Denomina-se radiação, ou energia radiante, à energia que se propaga sem necessidade
da presença de um meio material. O termo radiação é igualmente aplicado para designar o
próprio processo de transferência desse tipo de energia.
A verdadeira natureza da radiação ainda é objeto de permanente investigação científica
no âmbito da Física Moderna. Dependendo da experiência que for conduzida, a energia radi-
ante ora revela uma natureza corpuscular (fóton), ora se comporta como uma onda eletromag-
nética. Na escala subatômica as propriedades ondulatória e corpuscular coexistem e se com-
pletam.
 
O aspecto ondulatório é o que interessa à Meteorologia. Sob a ótica ondulatória, a radi-
ação, se caracteriza pelo comprimento de onda (\u3bb), ou pela freqüência de oscilação (\u3c5). O
comprimento de onda é definido como a distância que separa duas cristas consecutivas; a fre-
qüência pelo número de cristas que passa por um ponto de referência, na unidade de tempo. O
comprimento de onda é normalmente expresso em centímetros ou em micra (1Å =10-4 cm) e a
freqüência em ciclos por segundo, ou Hertzs (Hz).
O produto do comprimento de onda (\u3bb) pela freqüência (\u3c5) da radiação é igual à veloci-
dade de propagação da luz no vácuo (c):
c = \u3c5 \u3bb (V.1.1)
sendo c = 2,997925x1010 cm s -1 (Yavorsky e Detlaf, 1979). Essa relação mostra que é fácil
transformar freqüência em comprimento de onda e vice-versa.
São conhecidas radiações com comprimento de onda que variam desde 10 - 10 cm (raios
gama) até cerca de 10 7 cm (ondas longas de rádio). Ao conjunto de todas elas denomina-se
espectro eletromagnético. 
Apenas as radiações de comprimentos de onda compreendidos entre 0,36 e 0,74 µ po-
dem ser detectadas pelo olho humano, constituindo a faixa visível do espectro eletromagnético
ou luz visível (Fig. V.1). Dentro dessa faixa, a vista humana consegue diferenciar as seguintes
cores: