Prova 01 - Resumo - Parasitologia
6 pág.

Prova 01 - Resumo - Parasitologia


DisciplinaParasitologia15.185 materiais179.627 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Criptosporidiose: Cryptosporidium parvum
- Parasito intracelular extracitoplasmático
- Sintomas e Diagnóstico: ver Isosporíase
- Tratamento: nitrazoxanida
Amebíases
A classificação de amebas tem sido essencialmente a estrutura nuclear e o tipo de pseudópodes que emitem, além da presença ou não de envoltórios protetores e outras estruturas esqueléticas.
Amebas que parasitam o homem: classe Rhizopodea
Família Hartmannellidae \u2013 Vida livre
- Gêneros Hartmannella e Acanthamoeba: amebas pequenas, com núcleo apresentando um ou mais nucléolos que desaparecem durante divisão celular; trofozoítas uni/multinucleados que não apresentam fase flagelada; produzem cistos:
	- Hartmannella: cistos uninucleados com parede cística lisa
	- Acanthamoeba: cistos uninucleados com dupla parede, com poros e camada externa irregular
	- Podem desenvolver ações patogênicas, como: encefalites e meningoencefalites, lesões pulmonares, ulcerações agudas e crônicas da córnea (Acanthamoeba polyphaga), além de infecções agudas das vias respiratórias superiores (humanos)
Família Schizopyrenidae \u2013 Vida livre
- Amebas com corpo de forma cilíndrica, um só pseudópode hialino, uninucleadas e com fase flagelada em seu ciclo vital.
- Gênero Naegleria: meningoencefalites amebianas primárias do homem (N. fowleri)
	- Sintomas: cefaleia, febre ligeira, pode haver dor de garganta ou rinite; quando se agravam, surgem vômitos e rigidez da nuca, podendo haver posteriormente coma ou morte. 
	- Diagnóstico: exame do líquido cefalorraquidiano para identificar o parasito
	- Tratamento: anfotericina B
Família Endamoebidae
- Gênero Entamoeba: núcleo esférico, de aspecto vesiculoso. As espécies são distribuídas em grupos de acordo com o número de núcleos que apresente sua forma cística:
	- Oito núcleos: Endamoeba coli \u2192 parasito da cavidade intestinal, que se nutre de bactérias e detritos alimentares
	- Quatro núcleos: E. histolytica, E. dispar, E. hartmanni 
	- Um núcleo: E. polecki \u2192 parasito de porco, mas já foi encontrado em humanos
- Sem cistos conhecidos: E. gingivalis\u200b \u2192 vive na boca, sem causar lesões
Amebíase: E. histolytica
- Quadros amebianos invasivos, levando à produção de anticorpos específicos.
- Nos casos sintomáticos: disenteria e colite amebiana, podendo produzir abscessos amebianos em outros órgãos; podem causar ulcerações cutâneas
- Ciclo vital:
	- ingestão de cistos (água, alimentos contaminados por fezes);
	- desencistamento no intestino delgado do hospedeiro \u2192 um cisto origina 8 amebas com núcleo (metacísticas), que se alimentam e crescem na luz intestinal (hemácias e outras células) para alcançarem a fase trofozoítica
	- fase trofozoítica: muito ativas, elas fagocitam bactérias e outras partículas nutritivas; multiplicam-se indefinidamente
	- algumas formas trofozoíticas reduzem a atividade, param de emitir pseudópodes, diminuem de tamanho e se arredondam; há segregação de um envoltório resistente (parede cística), e o núcleo se divide duas vezes, voltando a formar cistos com quatro núcleos capazes de se propagar no meio.
- Diagnóstico: análise em fezes líquidas, teste sorológico e imunológicos
- Tratamento: dieta de consistência branca (ptns e vitaminas, com pouco carboidratos), beber muito líquido, dicloracetamidas (na luz intestinal) e nitroimidazóis (teciduais)
Balantidíase: Balantidium coli
Infecção no intestino grosso que produz diarréia ou disenteria
B. coli: ovoide, com extremidade mais delgada anterior. Onde há uma depressão em forma de funil (perístoma), que conduz ao citóstoma; presença de cílios dispostos em fileiras helicoidais.
- Alimenta-se de bactérias, fungos, protozoários, hemácias, detritos orgânicos 
- vacúolos pulsáteis; citopígio (poro onde os resíduos não assimilados são expulsos)
Patologia: caso desenvolva capacidade invasora dos tecidos, torna-se patogênico, causando lesões parecidas com E. histolytica
Sintomas: disenteria, dores abdominais, fraqueza, pode apresentar náuseas e vômitos, além de cefaléeia e febre.
Diagnóstico: exame de fezes para demonstração da presença de formas trofozoítas ou císticas
Tratamento: tetraciclinas, nimorazol, paramomicina
Lorena
Lorena fez um comentário
Camila, você pode me enviar esses materiais de Parasitologia?
0 aprovações
Carregar mais