OK_Reabilitação Pulmonar
13 pág.

OK_Reabilitação Pulmonar


DisciplinaFisioterapia13.103 materiais50.734 seguidores
Pré-visualização7 páginas
Em uma relação mínima de equipamentos, deve constar fonte portátil de oxigênio, oxímetro de 
pulso, cronômetros, jogos de halteres, além de uma sala que comporte atividades físicas em 
grupo. As atividades físicas podem ser realizadas em esteiras e/ou bicicletas ergométricas, ou 
cicloergômetros para membros superiores. Ainda deveria haver no centro de reabilitação 
monitores cardíacos (para uso exclusivo em testes máximos e não para treinamento), 
espirômetro e aparelhos para a realização de fisioterapia. É necessário um espaço que permita 
a realização de teste da caminhada. É recomendável que equipamento para ressuscitação 
cardiorrespiratória esteja disponível e que a equipe esteja treinada para os procedimentos 
padrão de manutenção avançada de vida, apesar da raridade destes eventos em pacientes em 
programas de reabilitação pulmonar. 
14 - Qual a finalidade de se avaliar um paciente inscrito para reabilitação pulmonar? 
A avaliação inicial de um paciente deve compreender testes físicos e a aplicação de 
questionários referentes a qualidade de vida, depressão, ansiedade e conhecimentos sobre a 
doença. Este conjunto de dados tem por finalidade avaliar o grau de interferência do estado 
emocional e físico sobre a capacidade física do paciente e permite auxiliar o planejamento do 
programa de recondicionamento. 
15 - Que exames podem ser utilizados para a avaliação física do paciente? 
O exame ideal para esta avaliação é o teste ergométrico realizado em esteira ou bicicleta. Caso 
o programa não tenha esses equipamentos ou uma pessoa especializada nesta área, pode-se 
utilizar testes de campo, como o teste da caminhada de seis minutos ou um teste de 
caminhada incremental, como o "shuttle walking test". 
16 - Como deve ser realizado o teste da caminhada de seis minutos? 
O teste da caminhada foi avaliado por um documento da American Thoracic Society e um 
resumo dele foi publicado em um Boletim da PneumoAtual, em 2004 (Pneumo Atual Express 
News Nº 95), procurando uma padronização no Brasil. De um modo geral, o teste da 
caminhada de 6 minutos deve ser realizado duas vezes, com pelo menos 30 minutos de 
intervalo, para se tomar o valor mais alto, em um corredor plano, com incentivo a cada minuto, 
sem acompanhamento do técnico. O teste da caminhada é considerado um teste sub-máximo. 
17 - O que é o "shuttle walking test"? 
Shuttle em inglês significa "ir e voltar". Este teste é realizado em um espaço de 10 metros em 
que o paciente tem de caminhar, indo e voltando, repetidamente, com aumento da velocidade a 
cada minuto, sendo a velocidade controlada por um sinal sonoro. Ele é considerado um teste 
próximo do máximo, portanto exigindo mais do paciente do que o teste da caminhada de seis 
minutos. 
18 - E quanto ao teste do degrau para avaliar a capacidade física? 
Este teste tem sido utilizado nos recentes anos mas ele não está ainda padronizado. O teste é 
realizado incentivando-se o paciente a subir e descer um degrau o maior número de vezes 
possível, podendo ser limitado por tempo (5 ou 6 minutos) ou por um determinado número de 
repetições (e marcando-se o tempo que foi gasto). 
 
 
www.pneumoatual.com.br 
19 - Qual a finalidade de se avaliar a qualidade de vida dos pacientes em um programa 
de reabilitação pulmonar? 
Existem várias definições para qualidade de vida. Uma definição simples, mas bem prática, é: 
\u201ca diferença entre o que é desejado na vida e aquilo que é alcançado\u201d. Qualidade de vida 
relacionada ao estado de saúde foca as áreas da vida que são afetada pelo estado de saúde e 
reflete o impacto da doença respiratória (incluindo co-morbidades e tratamento) sobre a 
habilidade de desempenho do paciente ou no prazer na realização das atividades da vida 
diária. 
Assim, a avaliação da qualidade de vida em pacientes com doença respiratória crônica permite 
inferir o impacto que a doença tem sobre a vida da pessoa. Outra finalidade da avaliação da 
qualidade de vida é comparar, ao final do programa, as mudanças que possam ter ocorrido, 
independentemente das mudanças fisiológicas. 
É mais correto falarmos qualidade de vida relacionada ao estado de saúde, uma vez que estes 
questionários só avaliam o impacto sobre a saúde, não cobrindo outros aspectos como 
situação financeira, estado empregatício e outros. Os questionários de qualidade de vida são 
divididos em questionários específicos e questionários genéricos. 
20 - O que são os questionários de qualidade de vida específicos? 
Questionários específicos estão relacionados a uma doença específica, como, por exemplo, 
questionário do Saint George Hospital, que pode ser utilizado para DPOC, asma ou 
bronquiectasia. Há questionários específicos para qualquer doença, incluindo doenças 
reumatológicas, câncer ou doença vascular, por exemplo. 
21 - O que são os questionários de qualidade de vida genéricos? 
Questionários genéricos podem ser aplicados a qualquer doença e permitem que os impactos 
sobre enfermidades diferentes possam ser comparados. Talvez o questionário genérico mais 
utilizado seja o SF-36, Short Form 36, que inclui 36 perguntas divididas em 8 domínios. 
22 - Quais são os questionários específicos mais utilizados para avaliação da qualidade 
de vida relacionada à saúde nos pacientes DPOC? 
Um é o questionário do Saint George Hospital, com 76 perguntas e três domínios: sintomas, 
atividade e impacto. O valor zero indica a melhor qualidade de vida e o valor 100, a pior. Outro 
questionário muito utilizado em DPOC é o questionário de doenças crônicas respiratórias 
(CRQ), com 19 perguntas que abrangem os domínios dispnéia, impacto, fadiga e função 
emocional. 
23 - Qual a importância de se quantificar a dispnéia? 
Dispnéia é o sintoma mais importante apresentado por um paciente com doença respiratória. 
Já foi mostrado em um trabalho japonês que a dispnéia tem relação direta com a mortalidade 
em pacientes com DPOC. Em acréscimo, o grau de dispnéia pode servir de orientação para a 
indicação e a avaliação da evolução da reabilitação. 
Uma das escalas mais utilizadas para quantificar dispnéia, indicada pelo Consenso de DPOC 
da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia, é a do Medical Research Council 
(MRC,1959), que tem cinco perguntas. Para a avaliação durante o exercício é muito utilizada a 
escala de Borg, que pode inferir o grau de desconforto respiratório e dos membros inferiores e 
superiores. Para a avaliação de uma atividade específica, pré e pós-reabilitação, existe a 
escala de Mahler, a "transitional dyspnea index" (TDI). 
24 - Quais são as cinco perguntas da Escala MRC (Medical Research Council)? 
São elas: 
1. Dispnéia somente ao realizar exercício intenso. 
2. Dispnéia ao subir escadas ou ladeira ou andar apressadamente no plano. 
3. Dispnéia no próprio passo no plano ou dificuldade para acompanhar o passo de outra 
pessoa da mesma idade. 
4. Dispnéia no plano em menos de 100 metros ou após alguns minutos. 
5. Muito dispnéico para sair de casa ou dispnéia para se vestir ou se despir. 
 
 
www.pneumoatual.com.br 
Ao paciente é dado o escore correspondente à pergunta respondida afirmativamente, o qual 
deve ser comparado após alguma intervenção. 
25 - Por que a educação deve estar incluída em um programa de reabilitação pulmonar? 
Apesar de não existirem muitos trabalhos que comprovem cientificamente que a educação 
inserida na reabilitação pulmonar traga benefícios, ela faz parte de todos os programas. A sua 
inserção é baseada na opinião de "experts" na área, pela demonstração na prática dos 
resultados positivos que ela traz a qualquer planejamento em saúde. Tem-se observado que a 
educação pode estimular a aderência do paciente a um determinado tratamento, fazendo com 
que ele entenda as mudanças psicológicas e físicas que a doença pode provocar, ensinando-
os a lidar adequadamente com elas e tornando-os mais aptos a desenvolver atitudes de 
automanejo da doença.