Resumo CHG Isabella Primeira PROVA
15 pág.

Resumo CHG Isabella Primeira PROVA


DisciplinaCitologia e Histologia865 materiais11.591 seguidores
Pré-visualização4 páginas
Resumo da primeira prova de CHG \u2013 por Isabella de Avellar 
Cap. 2. 
Biologia celular: é o estudo integrado das células através de todo arsenal técnico disponível. 
A fixação é a 1ª etapa para a obtenção de um preparado permanente. Isto evita a destruição 
da célula por suas próprias enzimas, menor proliferação de bactérias, maior resistência, maior 
afinidade pelos corantes. Exe.: formol e glutaraldeído. 
Micrótomo: faz os cortes. 
Corantes básicos: colorem grupamentos ácidos. Exe.: azul de metileno, hematoxilina (RNA e 
DNA). 
Corantes ácidos colorem grupamentos básicos. Exe.: Eosina, Orange G (coram os componentes 
básicos das proteínas citoplasmáticas). 
O microscópio eletrônico possibilitou a visualização de estruturas celulares não visíveis no 
óptico porque seu poder de resolução é muito maior. 
*Óptico: Não dá para ver a membrana, menor poder de resolução. 
*Eletrônico: Visualização de organelas com alta resolução e aumenta até 64.000 vezes, porem 
danifica a amostra. 
*MEV (microscópio eletrônico de varredura): imagens tridimensionais. 
*Microscopia confocal: Não se usa feixe de luz, usa=se laser. Imagens bem nítidas. 
*Citoquímica: Compreende técnicas diversas para a identificação e localização das moléculas 
que constituem as células. 
O DNA é demonstrado citoquimicamente pela reação de Feulgen. A quantidade de DNA é fia 
para cada espécie e se duplica na INTERFASE, de modo que, ao entrar na PROFASE, a célula já 
tem quant. dupla de DNA. 
*PAS: evidencia o glicogênio 
*A imunocitoquímica localiza moléculas praticamente específicas. Baseia-se na reação 
antígeno-anticorpo. É bem precisa. Utilizada para tumores. 
*Macromoléculas como proteínas, DNA e RNA podem ser isoladas por cromatografia em 
coluna. Por centrifugação é possível obter organelas celulares em estado de pureza e, em 
seguinte, estudadas suas propriedades químicas, físicas e biológicas. 
Resumo: Os conhecimentos sobre as células progridem à medida que as técnicas de 
investigação se aperfeiçoam. 
 
Cap. 4: MITOCÔNDRIAS 
*Para realizar atividades as células utilizam o ATP como fonte de energia. Sendo a glicose 
geradora de 38 mols de ATP (repouso) e os ácidos graxos 126 mol de ATP (em atividade). As 
células utilizam dois mecanismos para retirar energia dos nutrientes: 
1. A glicólise anaeróbia, que tem lugar no citosol e produz só dois mols de ATP por mol de 
glicose. 
2. A fosforilação oxidativa, que se realiza nas mitocôndrias. Produz 36 mols de ATP por mol de 
glicose é aeróbia. 
Frequentemente as mitocôndrias se localizam próximas aos locais que necessitam de energia 
(ATP). As mitocôndrias são organelas 
 De forma arredondada ou, a célula alongada presentes no citoplasma de células eucariontes, 
que participam da respiração aeróbia e de outras funções. São mais numerosas. Concentram-
se próximo aos locais onde existe grande consumo de energia. Sem as mitocôndrias as células 
obteriam apenas dois mols de ATP por mol de glicose. São constituídas por duas membranas. 
Externa: Lisa e permeável. Interna: seletiva e forma pregas (cristas) que aumentam a 
superfície, criando uma maior área para o sistema transportador de elétrons. 
 
Cap. 5: MEMBRANA PLASMÁTICA 
 
A membrana separa o meio intracelular do extracelular e é a principal responsável pelo 
controle de penetração e saída de substancia da célula. 
Funções: Definir limites, manter as diferenças entre o citosol e o ambiente extracelular, 
barreira seletiva. 
Lipídeos das membranas: são polares/apolares/anfipáticos. Estão presentes na membrana os 
fosfolipídios e os glicolipídeos. Células animais tem colesterol na membrana, já no vegetal há 
outros esteroides. Quanto maior a concentração de esteroides menos fluida será a membrana. 
Todas as membranas celulares apresentam a mesma organização básica, sendo constituídas 
por duas camadas lipídicas fluidas e continuas onde estão inseridas moléculas proteicas, 
constituindo um mosaico fluído. Esse modelo é valido também para todas as membranas 
celulares (mitocôndrias, cloroplastos, RE, golgi, lisossomos, etc.). 
 
 
 
Composição: lipídeos, proteínas, carboidratos. 
A MP (membrana plasmática) possuí muitas proteínas que se dividem em integrais ou 
intrínsecas (firmemente associada aos lipídeos, 70% das proteínas) e as periféricas ou 
extrínsecas (podem ser isoladas facilmente) e as proteínas transmembrana (proteínas 
transmenbrana de passagem múltipla). 
Glicoproteínas e glicolipídeos são marcadores responsáveis pelos grupos sanguíneos. 
A superfície externa da MP apresenta uma região rica em hidratos de carbono ligados a 
proteínas ou a lipídeos denominados GLICOCÁLICE. É uma extensão da própria membrana e 
não uma camada separada. Sua FUNÇÃO é dar a célula adesividade, reconhecimento de outras 
células, controle de proliferação celular, antigenicidade (determinação dos grupos sanguíneos 
ABO). 
TRANSPORTE ATRAVÉS DA MEMBRANA: 
1. Permeabilidade à água: a molécula é muito permeável à água. Caso entre muita água 
ocorrerá lise celular. 
2. Difusão passiva: trata-se de um processo físico de difusão a favor de um gradiente. Não 
gasta energia. O soluto penetra na célula quando sua concentração é menor no interior da 
célula do que no meio externo, e sai caso contrario. 
3. Transporte ativo: há consumo de energia e a substância pode ser transportada de um local 
de concentração baixa para o de alta concentração. Portanto, o soluto é transportando contra 
o gradiente. 
4. Difusão facilitada: Sem gasto de energia. A difusão se processa a favor de um gradiente, 
porém em uma velocidade maior que na difusão passiva. 
5. Endocitose: transporte em quantidade para dentro da célula. Podendo ser FAGOCITOSE (a 
célula engloba no seu citoplasma partículas sólidas e pequenos microrganismos, visíveis ao ML. 
Nos mamíferos a fagocitose é feita principalmente por células especializadas na difusão do 
organismo como os neutrófilos e macrófagos), PINOCITOSE (englobamento de gotículas e 
moléculas menores). 
O compartimento endossomal é um local de separação e endereçamento das moléculas 
introduzidas no citoplasma pelas vesículas de pinocitose, constituindo um componente 
importante na via endocítica. Grande parte da membrana penetra na célula, como o 
fagocitado, porem ela não diminui de tamanho, pois há devolução dessa membrana retirada. 
FUNCIONAMENTO: A célula projeta sua membrana realizando os processos de Endocitose, 
assim o fagocitado é inserido na célula, porem recoberto por uma camada da membrana 
(endossomo) e assim ocorre a digestão do fagocitado pelos lisossomos que contem enzimas 
digestivas que digerem os substratos penetrados através desse processo. 
MICROVILOS: são prolongamentos que aumenta a superfície de absorção das células, são 
CONSTITUÍDOS de filamentos de actina. Podem ser encontrados: 
1. No intestino: com borda estriada. 
2. No rim. 
ESTEREOCÍLIOS: são prolongamentos imóveis que aumenta a superfície de algumas células 
epiteliais. Ramificam-se e apresentam maior comprimento. Exe.: células epiteliais que 
revestem o epidídimo elas aumenta a superfície da célula, facilitando o transporte de água e 
outras moléculas. 
CÍLIOS: estruturas localizadas na membrana com a função de realizar movimento sincronizado 
e reter partículas. Exe.: células da traqueia. 
As células se aderem entre si através de glicoproteínas denominadas CAM. 
DESMOSSOMOS e JUNÇOES ADERENTES: une fortemente as células umas as outras ou a matriz 
extracelular. 
1. ZÔNULA OCLUSIVA: promove a vedação entre as células. 
2. NEXOS, JUNÇÃO COMUNICANTE OU GAP JUNCTION: estabelecem comunicação entre 
uma célula e outra. 
3. HEMIDESMOSSOMOS: não possuem a metade correspondente a outra célula epitelial 
(une célula a membrana basal, já os desmossomos unem célula a célula). 
4. JUNÇÃO COMUNICANTE: podem passar de um estado de pouca permeabilidade a um 
estado de grande permeabilidade (abrem e fecham a comunicação entra as células).