Resumo CHG Isabella Primeira PROVA
15 pág.

Resumo CHG Isabella Primeira PROVA


DisciplinaCitologia e Histologia866 materiais11.595 seguidores
Pré-visualização4 páginas
Zônula de oclusão 
COMPLEXO JUNCIONAL Zônula de adesão 
 Desmossomo 
Os lipídeos são sintetizados no Retículo endoplasmático LISO (REL). No RUGOSO há ribossomos 
aderidos á sua face citoplasmática. O LISO localiza-se mais próximo do núcleo, ausência de 
ribossomos, são vesículas globulares ou túbulos contorcidos. 
As proteínas são sintetizadas no RER e geralmente são transportadas por vesículas que passam 
pelo aparelho de golgi. 
COMPLEXO DE GOLGI: FUNÇÃO: destinação e exportação de macromoléculas, metabolismo de 
lipídeos, síntese da porção glicídica das proteoglicanas, sulfatação de proteínas, lipídeos e 
glicídios, formação dos lisossomos. 
REL: reservatório de Ca2+ para contração muscular, síntese da maioria dos lipídeos das 
membranas celulares, solubilização da bile pela enzima glicuroniltransferase, exportação de 
lipídeos para as diferentes membranas, desintoxicação do organismo. 
 
Cap. 7: BASES MOLECULARES DO CITOESQUELETO E DOS MOVIMENTOS CELULARES 
 
O citoesqueleto mantem a forma das células e é o responsável pela contração celular, pelos 
movimentos da célula e pelo deslocamento de organelas, vesículas e partículas no citoplasma. 
As principais proteínas constituintes do citoesqueleto e responsáveis pelos movimentos 
celulares são: FILAMENTOS DE ACTINA, MICROTÚBULOS e as PROTEÍNAS MOTRORAS 
(MIOSINA, DINEÍNA E CINESIMA) e FILAMENTOS INTERMEDIÁRIOS. 
Citoesqueleto: SISTEMA CITOPLASMATICO DE FIBRAS. 
Funções: organização estrutural das células, movimento celular e responsável pela forma das 
células. 
Estrutura: proteínas se associam para formar os filamentos. 
Elementos: 
1. FILAMENTOS DE ACTINA 
2. FILMANETOS DE MIOSINA 
3. FILAMENTOS INTERMETIDÁRIOS (estáveis e não participam dos movimentos 
responsáveis apenas pela sustentação) 
4. PROTEÍNAS MOTORAS (Deslocamento. As dineínas e cinesinas associam-se com os 
microtúbulos e a miosina associa-se a actina). 
5. MICROTUBULOS 
MICROTÚBULOS: formados por dímeros de alfa e beta tubulina. A polimerização desses 
dímeros formam os microtúbulos e são regulados pela concentração de íons Ca2+ e pelas 
proteínas associadas aos microtúbulos. Maior concentração de Ca2+ = maior rapidez. FUNÇÃO: 
participam da movimentação de cílios e flagelos, transporte intracelular de partículas, 
deslocamento dos cromossomos na mitose. DROGAS: COLCHICINA: paralisa a mitose na 
metáfase. Combina-se com os dímeros de tubulina e causa o desaparecimento dos 
microtúbulos menos estáveis, como os do fuso mitótico. A combinação colchicina-tubulina 
impede a adição de novas moléculas de tubulina na extremidade (+). Como a despolimerização 
na extremidade (-) não cessa, o microtúbulos se desintegra. RESUMINDO: A colchicina impede 
a adesão de novas tubulinas. TAXOL: acelera a formação de microtúbulos e os estabiliza, 
interrompendo a despolimerização. Toda a tubulina do citoplasma se polimeriza em 
microtúbulos muito estáveis. Desse modo não há tubulina libre no citoplasma e a mitose não 
se processa. 
CENTRÍOLOS: cada célula tem um par que se localiza no centrossomo. É constituído por 
material amorfo no qual estão colocados 27 microtúbulos. 
CORPÚSCULOS BASAIS: onde se inserem os cílios e flagelos têm a mesma estrutura dos 
centríolos. Tem organização estável e dá sustentação a célula. 
FILAMENTOS DE ACTINA: formados por polímeros de actina G, formando actina F mais 
proteínas associadas. DROGAS: CITOCALASINAS: se combinam com moléculas de actina e 
impedem a polimerização dessas moléculas parar formar os filamentos. FALOÍDINAS: combina 
lateralmente com os filamentos de actina, estabilizando-os. TANTO AS CITOCALASINAS 
QUANTO AS FALOÍDINAS IMPEDEM OS MOVIMENTOS DEPENDENTES DE ACTINA. 
FILAMENTOS INTERMEDIÁRIOS: são primordialmente elementos estruturais. Mais resistente 
do que os outros elementos do citoesqueleto. Permitem que as células resistam a estresses 
mecânicos. Frequentes nas células que sofrem atrito. Exe.: células da epiderme, onde se 
prendem nos desmossomos e nos axônios e nas células musculares. São formados por 
proteínas fibrosas: queratina, vimenlína, proteína ácida fibrilar da glia, desmina, lâmina e 
proteínas dos neurofilamentos. 
Filamentos intermediários 
 Citoplasmático Nuclear Lâmina (em todas as células animais) 
 
Queratina Neurofilamentos 
(epitélios) (neurônios) 
 Vimenlína 
 (Tecido conjuntivo 
 e nuclear) 
 
ESPECIALIZAÇÕES DA MEMBRANA: 
1. Apicais: microvilosidade e cílios 
2. Basais: hemidesmossomos 
3. Laterais: Complexo juncional e gap 
 
 
Os movimentos celulares são divididos em dois grandes grupos: 
1. Movimentos que levam a modificação na forma das células. Ex.: células musculares e 
endoteliais. 
2. Movimentos que não levam e modificação na forma das células. Exe.: processos de 
transporte. 
O movimento mais difundido nas células é devido ao deslizamento de fibrilas de actina sobre 
fibrilas de miosina. Porém, movimentos de cílios e flagelos e o transporte intracelular de 
partículas citoplasmáticas são devidos ao deslizamento de proteínas motoras sobre as 
macromoléculas de tubulina, que constituem aos microtúbulos. 
O SARCÔMERO é a unidade funcional das fibras musculares estriadas esqueléticas e cardíacas. 
O deslizamento aos filamentos de actina e miosina encurta os sarcômeros e causa contração 
muscular. A liberação de Ca2+ do REL transmite para dentro da fibra muscular estriada o 
estímulo contrátil recebido pela membrana. O MOVIMENTO DAS CÉLULAS E FLAGELOS É 
PROMOVIDO POR MICROTÚBULOS. 
 
Cap. 8: O NUCLEO DA CÉLULA 
 
O ciclo de vida da célula é divido em duas fases principais: a mitose e a interfase. Assim, de 
acordo com a fase em que a célula se encontra distinguem-se o núcleo interfásico e o núcleo 
mitótico. 
O NÚCLEO INTERFÁSICO: São compostos pelo envoltório nuclear, nucleoplasma, cromatina e 
nucléolos. 
1. ENVOLTORIO NUCLEAR: separa o núcleo do citoplasma. FUNÇÃO: movimentação do 
núcleo com um compartimento distinto e permitindo que a célula controle o acesso ao 
seu material genético. CONTITUIÇÃO: constituído por duas unidades de membrana 
concêntricas, que limitam uma cavidade interna, a CISTERNA PERINUCLEAR. A 
membrana interna apresenta associada à sua face nucleoplasmática, uma rede de 
filamentos que constituem a lâmina nuclear. 
 
O envoltório nuclear é perfurado (tem vários poros). Esses poros são preenchidos por 
agregados proteicos, os complexos de poro, que regulam o trânsito de macromoléculas entre 
o núcleo e o citoplasma. 
 
As proteínas marcadas para o destino nuclear atravessam os complexos de poro. Os sinais de 
destinação nuclear são reconhecidos pelos receptores de importação que são proteínas 
citoplasmáticas da família das IMPORTINAS. As importinas ligam-se à proteína a ser 
transportada formando um complexo que para ser transloucado através do poro deve 
interagir com as nucleoporinas. 
A exportação de RNA\u2019s do núcleo para o citoplasma é mediado por receptores de exportação, 
as EXPORTINAS. 
COMPLEXO DE POROS: importação (importinas) e exportação (exportinas) de moléculas. 
NUCLEOPLASMA: são constituídos por uma solução aquosa de proteínas, RNA\u2019s, nucleosídeos, 
nucleotídeos e íons, onde estão mergulhados os nucléolos e a cromatina. 
Em células eucariontes, o DNA está complexado com proteínas especificas, constituindo a 
cromatina. Apresenta-se compactado e/ou descompactado. As proteínas que se associam ao 
DNA para formar a cromatina são classificadas como HISTONAS (básicas) e NÃO-HISTÔNICAS 
(ácidas). Histonas: H1, H2A, H2B, H3 E H4. Não-histônicas: de acordo com suas atividades 
funcionais, é possível distinguir os seguintes grupos: a) TOPOISOMERASE II: organização e 
compactação do DNA. (estrutura). b) DNA POLIMERASE: relacionadas