207_METEOROLOGIA_E_CLIMATOLOGIA_VD2_Mar_2006
1 pág.

207_METEOROLOGIA_E_CLIMATOLOGIA_VD2_Mar_2006


DisciplinaClimatologia2.225 materiais40.455 seguidores
Pré-visualização1 página
METEOROLOGIA E CLIMATOLOGIA
Mário Adelmo Varejão-Silva
Versão digital 2 \u2013 Recife, 2006
193
Os valores de Hn e Ho são obtidos igualando-se a zero o fluxo de radiação, isto é, fa-
zendo-se:
Xcos h + Ysen h + W = 0.
Como é evidente, daqui resultam duas equações algébricas do segundo grau, uma em
função do seno e outra do co-seno do ângulo horário, cujas soluções são:
sen(Hn) = {\u2013YW \u2013 [X2(X2 + Y2 \u2013 W2) 1/2]} / (X2 + Y2)
cos(Hn) = {\u2013XW \u2013 [Y2(X2 + Y2 \u2013 W2) 1/2]} / (X2 + Y2)
sen(Ho) = {\u2013YW + [X2(X2 + Y2 \u2013 W2) 1/2]} / (X2 + Y2)
cos(Ho) = {\u2013XW + [Y2(X2 + Y2 \u2013 W2) 1/2]} / (X2 + Y2).
Determinados os valores de Hn e Ho através dessas expressões, pode-se proceder à
integração de V.9.11, obtendo-se:
QI = (1440 Jo /2\u3c0R2) (X senh + Y cosh + Wh) H (V.9.12)
No produto Wh o ângulo horário (h) deve ser substituído pelos valores de Hn e Ho expressos
em radianos.
Quando é possível estimar o efeito da opacidade da atmosfera, os resultados fornecidos
por essa equação podem ser corrigidos para calcular a radiação direta incidente sobre superfí-
cies inclinadas situadas à superfície terrestre, o que tem aplicação direta nos estudos de ren-
dimento de coletores solares planos, na Agrometeorologia etc. Sá (1977) usou essa expressão
para obter a quantidade máxima de energia solar que seria colocada à disposição de encostas
vegetadas, com diferentes orientações e inclinações, com vistas a determinar a evapotranspi-
ração potencial ali esperada, em função daquela calculada para uma superfície horizontal.
10. A Lei de Beer.
Quando um feixe monocromático de radiação solar atravessa um meio absorvente, é
atenuado. Essa atenuação pode ocorrer tanto por absorção, como por difusão (espalhamento).
A difusão é tão mais eficiente quanto menor o comprimento de onda da radiação. Exatamente
por isso é que o céu se apresenta azul.
Se I e\u3bb representar a intensidade da radiação que incide no topo de uma camada de
material absorvente de espessura dz, aceita-se que a atenuação d I e\u3bb é dada pela Lei de Beer
(Haltiner e Martin, 1957) :
d I e\u3bb = \u2013 K\u3bb \u3c1ds I e\u3bb (V.10.1)
onde \u3c1 designa a densidade do meio e ds representa o percurso efetuado pela radiação ao
atravessar a camada em questão. O fator K\u3bb tem dimensões L2/M e é chamado coeficiente
mássico de absorção, variando com o comprimento de onda, com a pressão e com a tempera