A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
22 pág.
AULA 1

Pré-visualização | Página 1 de 5

ANÁLISE DE PROJETOS E 
ORÇAMENTO EMPRESARIAL 
AULA 1 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Professor Clecio Steinthaler 
 
 
 
2 
CONVERSA INICIAL 
Vamos iniciar a nossa conversa com um pequeno recorte: 
 
“a administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos 
Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de 
legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência [...]”. 
Constituição Federal, art. 37 
 
Esses cinco princípios, na verdade, nem precisariam estar respaldados 
na Nossa Carta Magna. Deveriam ser princípios incorporados em cada cidadão. 
No decorrer da nossa aula, falaremos sobre atos e processos da 
Administração Empresarial e da Administração Pública. Vamos verificar que em 
muitos aspectos elas se encontram, comungam e divergem nas questões 
tocantes ao Orçamento. 
Quando falamos em orçamento, devemos compreender ele em todas as 
suas fases e, certamente, lembrarmos dos cinco princípios citados 
anteriormente, para que a Gestão do Administrador seja realmente realizada 
com seriedade, transparência, eficiência, eficácia e efetividade. 
Nesta aula sobre Sistema Orçamentário, abordaremos os seguintes 
temas: projeto empresarial e planejamento público; estrutura do projeto 
empresarial e estrutura do planejamento público; execução orçamentária: receita 
× despesa; legislação e regulamentações no setor empresarial e no público e 
ainda, execução orçamentária e cumprimento de metas nos dois setores. 
CONTEXTUALIZANDO 
Corrupção, impunidade, desonestidade, falta de ética, desvio de bens e 
verbas públicas, fraudes em processo de licitação, superfaturamento de obras, 
publicidade oficial utilizada para promoção pessoal, nomeação de servidores 
públicos sem concurso, são ações que estão presentes no cotidiano de todos 
nós. Até parece que elas já fazem parte do cenário. 
Muitos dos temas abordados em nossa aula nos remeterão ao que a 
pouco descrevemos. Vamos perceber, também, que regras, regulamentos, leis, 
decretos, portarias, “existem para dar e vender” tanto na administração 
empresarial quanto na pública. 
 
 
3 
Percebemos que o brasileiro sente até repulsa quando ouve falar em 
legislação, devido à falta de confiança nos agentes públicos. Mas nós, pessoas 
privilegiadas que buscamos o conhecimento, em qualquer instância, devemos 
aprender a conhecer as leis pertinentes a cada segmento e ter consciência de 
que podemos lutar pelos nossos direitos de cidadão, como também participar 
das ações públicas para melhoria da qualidade de vida de toda a sociedade. 
TEMA 1 – PROJETO EMPRESARIAL: PROJETO DE INVESTIMENTO E 
ORÇAMENTO EMPRESARIAL 
Você sabe o que é Projeto Empresarial? 
O projeto empresarial reúne um conjunto de informações coletadas e 
validadas, para que sejam analisadas todas as alternativas de investimento e 
que possa ser traçada uma simulação para a sua viabilidade. 
 Um dos fatores determinantes para a execução de um projeto 
empresarial está no estudo detalhado para realizar uma ótima alocação dos 
recursos. Entre dessa linha de pensamento, torna-se muito importante uma 
análise do setor econômico em que se está inserido, para, então, conhecer seu 
produto final. 
O projeto empresarial é classificado de acordo com a sua finalidade, que 
pode ser: 
1. Primeiro Setor: extração de matéria-prima. 
2. Segundo Setor: indústria. 
3. Terceiro Setor: serviços. 
 Lembre-se de que, para elaborar um projeto, precisamos primeiro 
identificar o setor da economia no qual está inserido, considerando todos os 
aspectos econômicos e financeiros relacionados à sua performance, como 
também a sustentabilidade. 
 Após a caracterização macro e microeconômica, podemos iniciar a 
análise da viabilidade do investimento. 
Saiba mais 
 
Para lembrar: Projeto é o nome que se dá ao conjunto de informações internas 
e externas à empresa, coletadas, processadas e validadas com o objetivo de 
analisar as decisões para efetuar o investimento. 
 
 
4 
Precisamos perceber que a análise do projeto de acordo com a natureza 
do negócio leva em consideração vários aspectos: econômico, produtivo, 
financeiro, administrativo, jurídico, ambiental, contábil, e outros. 
 O processo inicial da elaboração de projetos envolve pesquisas 
relacionadas à estrutura de mercado, à localização para instalação do projeto, 
ao tamanho ideal do projeto decorrente da escala de produção e da 
comercialização do produto, ao modelo a ser adotado na produção e às fases do 
ciclo de vida do projeto e do produto. 
 Você sabia que um projeto de investimento tem três características 
básicas? 
1. Temporalidade: o ciclo de vida do projeto, ou seja, início, meio e fim. 
2. Individualidade: produto único ou singular no mercado. 
3. Incerteza: dúvidas quanto às possibilidades futuras. 
Para que você possa analisar um projeto é fundamental tomar cuidado 
com o cronograma e as projeções de fluxo de caixa, analisando todos os 
aspectos em conjunto para verificar a viabilidade do projeto. 
Será preciso utilizar o orçamento empresarial como instrumento que pode 
contribuir para a redução das incertezas no processo decisório e aumentar da 
probabilidade de alcançar os objetivos e as metas previstas. 
Nesse contexto, o nosso estudo visa auxiliar você na correta elaboração 
de um projeto de investimento e de um orçamento empresarial viável para a 
empresa. Desse modo, no decorrer das nossas aulas, relataremos seus 
principais elementos para ajudá-lo no estudo da viabilidade do empreendimento, 
indicando os rumos para a conquista do seu espaço no mercado. 
 Todos podemos aplicá-lo em nossa vida pessoal. Todos temos metas 
para atingir e para isso precisamos planejar as nossas despesas futuras, 
considerando a receita que obteremos. 
Quando colocamos no papel a estimativa de receitas e previsão das 
despesas, como aluguel, alimentação, transporte, cursos, roupas, viagens, lazer, 
entre outras, para que possamos orientar nossas ações ao longo do ano, 
estaremos realizando um plano orçamentário. 
 O orçamento empresarial é um instrumento de programação que 
relaciona os fluxos de entrada dos recursos com sua aplicação nas 
atividades organizacionais, para estabelecer um plano de ação futuro, 
 
 
5 
orçando as receitas que serão obtidas e as despesas que incidirão na 
execução. 
Nas empresas, acontece da mesma forma: ao estabelecerem os produtos 
que serão fabricados no próximo ano, o nível de produção e de venda, os preços 
que serão praticados no mercado, bem como os gastos necessários para 
viabilizar o empreendimento, estão estabelecendo planos e, consequentemente: 
um orçamento. 
Orçamento é uma extensão do planejamento, pois, enquanto este explica 
a natureza das ações e seus objetivos, aquele os traduz em metas e esforços 
financeiros, ou seja, em valores monetários. Geralmente, o orçamento é um 
plano financeiro elaborado para auxiliar determinado exercício financeiro, 
podendo ser consultado mensalmente para fins de acompanhamento e controle. 
1.1 Planejamento público: metas, previsão de arrecadação e despesas 
Historicamente, a concepção de orçamento advém desde a época 
colonial, pois já se realizavam cálculos de receita e despesa; porém, não como 
nos dias de hoje. No Império, cobravam-se impostos para manutenção da 
nobreza e para os investimentos de melhoria voltados à população. 
No período republicano, criou-se a chamada Lei do Orçamento (Lei nº 
4.320/1964, regulamentando os atos da Administração Pública brasileira, 
especialmente ao demonstrar a relação entre a receita e a despesa, estimando 
o quanto arrecadar e o quanto gastar em cada ano. 
O orçamento público é muito mais que isso, pois não tem apenas um 
caráter contábil, mas também político e principalmente de interesse público, 
afinal, trata-se da “coisa pública”. 
O surgimento da Lei de Responsabilidade Fiscal (Lei Complementar n.º 
101/2000), amparada no art. 165

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.