Buscar

ECONOMIA E ADM 11-10-11

Prévia do material em texto

Economia e Administração 11/10/11
Mercado externo
A relação entre os países a fim de comércio e dos seus produtos, ela seria datada a partir do inicio da revolução industrial, na verdade se você parar para pensar a relação de comércio entre os países é bem mais antiga que isso, quando vcs se lembram que começou a relação de comercio entre os países, desde o inicio das navegações já trabalhavam com mercado externo, mas é sempre em busca de aquisição de produtos e não muito de vendas do produto, por isso que marca o inicio do mercado externo como sendo o período da revolução industrial, então se estabeleceu o parque industrial e esse parque industrial precisava ter um consumidor, então começou bem no inicio da revolução industrial a busca por mercado consumidor desses produtos.
Desde o inicio da revolução industrial que já se trabalha com a busca do mercado e se trabalha também com uso de tecnologias para se estabelecer esse mercado, então a gente pode falar de uso de tecnologia para intercomunicação desses mercados pelo telefone, passando fax e hoje negociação intercornual, através da internet. Então quando a gente fala de mercado externo a gente fala de uma relação de mercado muito mais rápida do que o que a gente tinha a 20- 30 anos atrás. 
Então toda essa questão de mercado externo precisa ser regulamentada, visto desde sempre existe países que são mais governosos, mais ricos e existe países que são países chamado de 3º mundo ou países com subdesenvolvimento. Então para que não haja vantagem de uma pais sobre o outro se estabeleceu desde o inicio desse período de comércio externo regulamentação desse mercado, então tem que ter alguém ou algum órgão que regulamente essa relação de mercado, para não ter nenhum pais tentando tirar proveito dos outros que não tem o mesmo poder aquisitivo. 
- Regulamentação
	-GATT (acordo geral sobre tarifas e comércio)
Esse se estabeleceu por volta de 1940, então esse órgão que tinha representante de todos os países para o mercado externo, começou então em varias rodadas se estabelecer regras para comercio, estabelecer tarifas, ex: vou exportar para o seu pais, quais são as exigências para a exportações, quanto eu vou ter que pagar, ou então quais são as exigências sanitárias, ou então quais são as exigências das relações do trabalho, então estabeleceu esse órgão e esse órgão começou a fazer reuniões que a gente chama de rodadas para estabelecer essa relação de mercado. Então desde genebra que a gente chama de rodada de genebra de 1947 ate mais recente que é de 1994 se estabelece sempre relações de mercado. Então se algum pais esta tirando proveito da produção de outro, se tem alguém abusando da relação de mercado, se tem alguém fazendo uso de mao de obra escrava, tudo isso é discutido e normatizado nessas rodadas. Existiu varias rodadas ao longo desse período e cada um discutiu um assunto diferente, uma rodada discutiu sobre tarifa, a outra sobre questão de subsideo. Esse órgão começou com esse nome de GATT e depois se formou na OMC, que é organização mundial do comercio. Essa OMC, começou a ser responsável por essas relações de mercado.
	- OMC
	- Livre comércio (sem prejudicar um ao outro), se tenta livre comercio de norte a sul.
Sempre se busca o livre comércio, que é vc poder comercializar com qualquer pais de forma igual, eu posso comercializar com vc e vc comercializar comigo de igual para igual sem diferença pq vc esta ajudando seus produtores rurais e você não esta ajudando. Só que essas relações são delicadas pq vai ter sempre alguém querendo proteger o seu comercio e com isso acaba prejudicando o outro. Para tentar que esse livre comercio seja possível, sendo que essas relações no mundo é mais complicada, se tenta relação de livre comercio mais locais, como exemplo temos o Mercosul. 
	- Rodadas: Genebra (1947) a Uruguaia (1994)
	- Mercosul X Alca X Nafta
Mercosul são relações de livre comércios entre países da américa do sul, os países da américa do sul se agruparam e resolveram fazer alguma coisa próxima do livre comercio vendo que as relações com o mundo são mais complicadas, menos países as relações ficam mais acessíveis, visto pq a cultura o tipo de objetivo de desenvolvimento é muito mais próxima quando vc quer comparar Brasil com EUA, Argentina com Europa. O mercado externo fica mais acessível quando se trabalha com poucos países. 
Nafta- parecido com o mercosul mais com países da américa do norte. Então é Canada, EUA e México. Tem relação de livre comercio entre eles, isso não envolve toda a américa. Então desde umas 2 décadas atrás que se discuti o que querem dar nome de Alca, que seria o comercio da américa toda, que envolveria a américa do norte e a américa do sul. Então todos os países da américa teria acesso a todos os mercados sem competição desleal. Mas a Alca não existe. 
Gráfico
Esse gráfico mostra o que acontece com saldo da balança comercial brasileira.
Balança comercial- é a relação do que se importa e se exporta, quando esta importando esta gastando dinheiro, e quando esta exportando vc esta ganhando dinheiro. Então o saldo de balança comercial é o saldo do que se ganha com exportação e o se gasta com importação. 
 A principio pode parecer que exportar é o melhor, apesar e exportar ser muito bom pq gera dinheiro, renda para o pais, importar tbm é necessário pq um pais não vai conseguir gerar todas as tecnologias que precisa com sua produção, então a importação tbm é necessário para o desenvolvimento do pais. Só não pode acontecer de vc importar mais do que exportar pq ai você vai esta no negativo.
Esse gráfico mostra essa relação, entra o que o Brasil importa e o que exporta, o que esta de azul esta relacionado com que o Brasil tem de saldo em relação ao agronegócio, o que esta de vermelho esta relacionado com saldo de outros setores, indústrias têxtil, automobilismo, tecnologia,...
Então observe que ao longo dos anos desde 91, até 2008 que foi o último dado de saldo de balança que conseguir obter, o agronegócio sempre teve o saldo positivo, exportou mais do que importou, ao contrario dos outros setores, que importou muito mais do que exportou. 
O saldo de agronegócio no gráfico esta sempre positivo, sempre acima de zero, e os outros setores em algum período estiveram acima do zero e outros abaixo. Um período importava mais do que exportava. Então aquela linha mais fina que oscila é o total entre os dois, então vamos observar que em alguns períodos essa linha ficou acima do zero e outros períodos abaixo do zero, mas o ultimo dado mostra que esta positivo. O saldo de todas as relações de mercado do Brasil estaria em torno de 24,7 bilhões de dólares, significa que é um saldo positivo, mesmo os outros setores importando mais do que exportando, por causa da agronegócio esse saldo goteja acima de zero.
Isso significa que o agronegócio é o bonzinho e os outros negócios são os vilões?
O agronegócio exporta carne, grãos, leite, todos produtos praticamente in natura e isso não precisa de muita tecnológica, não precisa de planta industrial para exportar esses produtos, então é muito fácil exportar esses produtos in natura, agora exportar produtos industrializados vc precisa de uma planta, e a gente não tem aqui, e muitas vezes a gente não sabe o que é trabalhar com agregar valor. Então esses outros setores principalmente o do ramo da automobilística e dos setores de informática, importa mais do que exporta é ipt para o próprio desenvolvimento dessa futura planta industrial, se precisa dessa importação de tecnologia para que o pais de desenvolva, então não é característica desse setor ter um potencial de exportação para ter planta industrial, o Brasil não é um pais industrial, é um pais voltado para a agropecuária. 
Como a gente trabalha com a base do nossa saldo da balança comercial é o agronegócio é necessário que a gente faça suporte a esse setor da economia, é ipt que se proteja o mercado, é ipt que se desenvolva o mercado, mas mesmo o agronegócio sendo responsável por boa parte do pib brasileiro, mesmo o agronegóciosendo responsável pelo saldo positivo da balança comercial não é isso que a gente ver com muito clareza, a gente não ver o Brasil com muitas praticas de proteção a esse setor da economia. 
Sempre se preocupou mais com outros setores que se acreditava que ia gerar mais lucro para o pais do que o agronegócio, ate uns 30 anos atrás o produtor rural era ridicularizado pelos escritores. Hoje em dia a história é outra, não por que o governo investiu nesse setor da economia, mas porque os próprios produtores se puseram, mostraram que vieram, na verdade quando falei que a ditadura não investia muito no agronegócio, mas tem um papel muito importante no desenvolvimento do agronegócio que foi na criação da Embrapa, foi na década de 70 que a ditadura instituiu o órgão de pesquisa como empresa. Então a Embrapa surgiu e começou a desenvolver tecnologia de produção para que o agronegócio se desenvolvesse, então da década de 60 para cá que as coisas começaram a melhorar.
Suporte à economia rural
-objetivos
- Efeito colateral -> protecionismo 
Então esse suporte para esse setor da economia é extremamente ipt, infelizmente não temos aqui no Brasil, mais la fora temos muito bem, e é ipt para manter o homem no campo, gerar renda, para produzir alimento, evitar êxodo rural, mas essa proteção se for ilimitada ela trás uma serie de efeito colateral que a gente chama, que é uma seria de problema para o mercado externo que a gente falou no inicio da aula. Então se a gente protege demais o país, o governo protege demais o pais ele acaba prejudicando o que se busca que é a relação do individuo/comercio.
Ex: se eu sou governante do nosso país, vcs são produtores e eu começo a emprestar dinheiro para vcs eu começo a produzir os impostos de vcs, começo a pagar, for dar dinheiro na mão de vcs para que vc possa produzir, essa produção vai ser baixa, vcs estão recebendo para produzir e basicamente não vai gastar nada para produzir e o nosso produto não precisa ser caro. Então se for fazer comercio com outros países, não vai competir de igual para igual, isso é bom para quem recebe ajuda do governo e é péssimo para quem não recebe essa ajuda. 
Quando protege demais essa pratica que a gente chama de protecionismo acaba prejudicando não só os outros países como acaba prejudicando o próprio país.
Protecionismo:
- Vantagens:
	- Proteção da indústria e agricultura do país, então se eu como governo faço ação do protecionismo em relação a vcs, ou seja, estou protegendo o mercado interno do meu pais, estou protegendo o agronegócio do meu país, estou protegendo vcs da entrada de produtos de outros países que possa vir competir e por algum motivo acaba perdendo o mercado.
-garantia dos empregos internas, pq esta sempre gerando, sempre circulando dinheiro no país pq ele esta protegido em relação ao mercado externo.
- incentivo ao desenvolvimento de novas tecnologias ao país, visto que a relação do mercado externo fica abalada. Esse país protegido acaba tendo que desenvolver suas próprias tecnologias de produção. 
- Desvantagens:
	- aumento dos preços internos, vai chegar um momento que apesar de não haver outra opção ou outro país vai ter que haver aumento dos preços por competição entre produtores, então mesmo recebendo auxilio do governo os produtos vão precisar aumentar seu preço dos produtos para competir entre eles. 
	- falta de incentivo na indústria interna na busca de melhorias, é como se a falta de competição tbm fosse prejudicial, é como o consumidor não tivesse outra alternativa para aquisição do produto, e se formasse um grande grupo de preços únicos, então fica aquele maracos estabelecido e não tem competição, não tem ninguém ameaçando a relação de competição. 
	- atraso tecnológico ao país frente a inovações externas, se o mercado passa a ser aberto não vai ter como competir com o mercado externo pela falta de tecnologia, pq não importou essa tecnologia e no inicio da aula vimos que importar tbm é ipt.
	- perda de mercados externos, pq fica so aquela relação do mercado interno, se ele esta sendo protegido obviamente o mercado externo não vai ficar tentando acessar o mercado, então não tem relação de mercado com outros países.
	- aumento da miséria nos países pobres, se todos os países ricos resolver proteger o mercado os países pobres nunca vai conseguir exportar, não consegue ter acesso aos produtos de países protegidos.
A França sempre fez protecionismo e o Brasil sempre tenta quebrar subsídio de alguns países. 
Formas protecionismo: 
Subsídeos
São ajudas diretas ou indiretas, se eu sou governante desse país eu do dinheiro para um produtor produzir leite, eu reduzo as taxas de juros, eu ajudo um outro produtor a produzir carne, faço credito de taxa de carência de 3 anos para outro produtor produzir algodão e por ai vai, vou ajudando direta ou indiretamente a produção agrícola de um determinado pais. 
Os países que fica prejudicado com esse tipo de subsideo que é feito em outros países, eles podem na rodada da organização mundial do comercio, tentar comprovar que essa ajuda prejudica a economia deles.
Ex: se o Brasil se sente prejudicado pelo subsidio que é feito aos produtores de carne dos EUA, eles vão tentar comprovar nessas rodadas que esse subsídio esta prejudicando a economia brasileira. 
Só pelo fato do governo ajudar financeiramente os produtores, mesmo que o Brasil produza com preço mais barato a gente nunca vai ter um preço tão baixo como o deles, pq ele não gastou para comprar ração, não gastou com impostos, então o custo de produção é baixo, então nunca vamos conseguir chegar a eles.
Então quando um país se sente lesado e comprova frente a OMC, que esta sendo lesado por conta do subsídio então começa um acordo os países que estão se sentindo prejudicado para que haja uma compensação por esse possível prejuízo, como exemplo, quando o Brasil começou a se senti ameaçado, não conseguia exportar algodão para alguns países, pq esse pais protegia o seu mercado, ele se juntou a vários outros países que tentavam exportar para comprovar essa situação e quando na OMC comprovou essa situação, impôs que eles parassem de fazer o subsídio. Impedir que o governo faça, permita esse tipo de competição desleal, então vc consegue fazer uma sobretaxa desses produtos protegidos ou então reduzir as suas taxas de exportações para ter acesso a esse mercado, para ate se estabelecer relação de livre comércio e não se fazer mais subsídio. Então a partir do momento que o governo para de fazer ajuda a principio temos o livre comércio, então a competição passa a ser de igual para igual.
Impedir que haja subsidio dos países, tendo não ajuda mais do governo, não tem como não aceitar, se vc se nega a isso, vc começar a ser mau visto com os outros países que estão na mesma situação.
- combate através de sobretaxas: compensação. 
Barreiras comerciais
São chamadas de tarifária e não tarifárias.
Tarifarias - Cobra tarifa, tarifa como imposto sobre importação de produtos. Por exemplo se eu quero proteger o mercado do meu país e eu sei que o Brasil produz soja, se o Brasil conseguir colocar soja dentro do meu país nenhum produtor vai conseguir competir com o Brasil pq a soja do brasileiro é muito barata. Então eu estabeleço que se ela quiser colocar soja dentro do meu país ela vai ter que pagar uma taxa de tantos por cento sobre o valor do produto dela. Então quando a soja entrar no meu pais pq tem uma taxa que pagou para entrar e o custo do produto vai aumentar, então passa a ser possível uma conversão mais próxima dos produtores do meu país, então como era barato e pagou uma tarifa ficou caro, então ficou tão caro como o produtor do meu país, agora o Brasil tem terra em abundancia, e as terras não são cara, tem agua em abundancia, clima tropical, mas tem alguma região de clima temperado, tem todas as possibilidades de produção, obviamente que todos os nossos produtos de agropecuária vai ser produzido de forma muito mais barato do que em locais onde tem geada, vulcão e tudo mais. Então nossos produtos, nossas commoditys são bem mais baratas do quea deles.
Então toda vez que a gente que exportarem eles colocam a linha de exportação lá em cima, nossos produtos que era barato passa a ser caro e passa a competir de igual para igual, isso que eles chamam de barreia comercial tarifária, quando observa que essas tarifas são abusivas a gente pode questionar, mais observa que essas rodadas não acontece de mês em mês, leva anos para acontecer.
 É uma barreira imposta por tarifas, por isso que boas partes das rodadas são sobre tarifas, pois são as mais abusivas, que vc coloca uma tarifa e pronto não precisa justificar nada.
Não tarifárias - de que forma eu me ponho numa barreira para importação de um produto qualquer de um mercado externo qualquer e isso não esta relacionado a tarifas, sem tarifas?
Pense em vcs como médico veterinário, na área de vcs de exportação de produto de origem animal, de que forma produtos brasileiros são proibidos de chegar a outros países por motivo qualquer que não seja relacionado a doença?
Problemas sanitários, problemas ambientais, problemas sociais qualquer razão que possa ferir o sentimento do consumidor daquele país, eles podem alegar que não vão comprar por isso, vão alegar que isso não é comum na nossa cultura, enquanto o Brasil não era grande produtor da agropecuária ngm estava nem ai se estava queimando a Amazônia, se estava usando mão de obra escrava, assim que começou a descontar da exportação produtos agropecuário todo mundo preocupadíssimo com o Brasil, todo mundo ficou preocupado que a gente estava destruindo a Amazônia, que a gente tinha mão de obra escrava. Todo mundo passou a se importar do dia para a noite. 
Se a Europa percebe que esta perdendo mercado por causa da entrada de produtos muito barato brasileiro, ai começa a falar que o Brasil esta conseguindo vender mais barato pq o Brasil esta conseguindo mais área de produção pq esta desmatando a Amazônia. Então isso não é justo, pq além de ter uma competição desleal, esta prejudicando o meio ambiente e a gente acabou se aproveitando do meio ambiente, apesar de historicamente já destruírem.
A gente não pode se desenvolver, mas eles já destruíram tudo e se desenvolveram.
Qualquer razão que se estabeleça para proteger o país, e não esta relacionada ao imposto a gente chama de Barreira comercial não tarifária.
Fixação de quotas
Outra forma de proteção, se o meu mercado consumidor é de tantos pessoas, eu produzo X de produto, não é suficiente para abastecer a população, eu tenho uma reserva para importar se o país vem e despesa muito produto aqui dentro, eu não vou conseguir exportar o excedente, o produto vai ficar encalhado e o preço vai despencar. Então eu protejo o meu mercado de importação de produtos excedentes, então eu só vou importar tantas toneladas, só vou importar tantas unidades pq se eu importar mais do que isso vai comprometer o meu mercado interno.
- fixar produtos, serviços e percentual de ações estrangeiras em uma empresa. Se vc deixa multinacional começar a entrar e comprar um número muito grande de ações de empresa multinacional começa a ter somente empresas internacionais alocadas no Brasil.
Ex: empresa de mercado aberto, que tem ação em bolsa, por exemplo, o JBR, que tem ação de bolsa, se abre a possibilidade para produtores ou para empresas de outros países comprar várias ações do JBR, ou boa parte das ações, deixa de ter caráter brasileira e passa a ter o caráter de quem comprou em maior quantidade, então isso tbm é uma forma de proteger.
Dumping
- comprovação: existência dano
- taxa antidumping
- Dumping social
É um tipo de estratégia de proteção, na verdade não é nem de proteção é praticamente de ataque. Então por exemplo, o Brasil esta começando a aumentar a exportação de leite, a gente sempre foi importador de leite, dos últimos anos para cá que a gente começou a exportar leite, então eu quero atingir o mercado consumidor de leito do Chile, por exemplo, e o Brasil nunca colocou leite naquele mercado, nunca exportou leite para lá, e tem algumas empresas no chile que são boas produtoras de leite, como eu estou começando no negócio da exportação para eu chegar lá eu não vou conseguir competir com ele, que o preço dele, é um preço justo daquela relação. Então vamos supor que no meu país o preço do leite seja de 1 real, o custo de produção seja de 1 real, eu quero alcançar o mercado do Chile, e para alcançar o mercado do Chile eu coloco o leite custando 0,80 centavos, a baixo do meu custo de produção e provavelmente a baixo do custo de produção do Chile, como eu estou colocando um preço do produto abaixo do preço de produção dificilmente eles vão conseguir colocar o produto com um preço tão baixo tbm.
O que vai acontecer com essas empresas se eu for muito agressiva com a estratégia de dumping?
Vão quebrar, pq ngm vai conseguir competir cmg, estou colocando com preço tão baixo que não vai conseguir competir cmg. É uma estratégia desleal, intencional de quebra da força de produção de um determinado país. Quando se faz isso coloca um preço muito baixo de um produto, abaixo até mesmo do preço que é comercializado no país de origem. Então se eles quebraram eu posso passar meu preço de 0,80 centavos para 1,50.
Quando vc tem a confirmação do dumping, essa empresa é obrigada a se penalizar, tem que receber como se fosse uma multa, uma compensação a receber pelo prejuízo causado a aquele país. Mas quem quebrou, quebrou, mas a empresa que causou isso é multada e penalizada. 
Quando existe uma estratégia de dumping, mesmo que não seja tão agressiva, mas que percebe uma colocação do produto no mercado com preço muito baixo, o OMC investigar para saber porque daquele preço estar tão baixo, todos os produtos de origem brasileira, da agropecuária tem preço baixo, de vez enquando tem uma ação antidumping em relação aos produtos brasileiros.
Uma nova forma de Dumping: Dumping social, o caso mais clássico , quando vc explora mesmo a sua mão de obra, o que ocorre na China, tudo que a China produz é barata, pois a mão de obra é extremamente barata, pouco qualificada, os produtos chineses são na grande maioria uma porcaria. A carga horaria de trabalho é absurda, não tem férias, não tem feriado, não tem final de semana.
Enquanto o americano gasta 70% do seu salario o chinês não gasta nem 30%, pois tem que pagar caro pela moradia, caro pelo transporte, caro pelo alimento, caro pela saúde, pois não tem apoio a nada e a mão de obra é barata.
Brasil 
Como o Brasil se encontra no mercado externo.
- quinto maior produtor e terceiro maior exportador de produtos agrícolas (exporta em quantidade e exporta commodity, commodity é um produto sem diferenciação). Se eu produzo soja e o fulano produz soja, a dele não é melhor do que a minha é igual a minha, ele vai vender uma saca de 60kg e eu vou vender uma saca de 60kg e não tem diferença. Agora se ele processa a soja dele, produz óleo, produz farelo, produz soja desintegrada, ai sim ele começa a se distanciar de mim.
A gente é maior produtor e exportado de café do mundo, produz grão in natura. 
- produção de commodity, produto que não se diferencia eu falo só de produto agropecuário, uma commodity pode ser um produto in natura, por exemplo soja é commodity, toda soja é vendido em saca de 60kg, laranja é commodity vc vende não sei quantas caixas por tantos reais e esse preço é cotado na bolsa de valores. A soja do fulano pode até ser um pouco melhor do que a minha, menor, mais redondinha, mas é uma commodity o preço esta estabelecido pela bolsa e no final ele vai ganhar tanto quanto eu quando vender a soja.
O que diferencia o lucro entre os produtores é o que deixa de gastar, é exatamente o custo de produção dela, se um produtor gasta menos para produzir do que o outro ele vai ganhar mais dinheiro pq na hora da venda, a venda é tudo igualzinho.
-> Tipos: In natura, mineral (carvão, minério, petróleo), processado.
Commodity in natura: produto sem processamento- saco de laranja, saco de soja, saco de café. São produto in natura mais tem o tempo de vida útil longo. 
mineral - carvão, minério de ferro, petróleo
Processado- carne embalagem a vaca, suco de laranja.
O que falta no Brasil é aprender a agregar valor ao produto, quando a gente fala em agregar valor é processar, é um tipo de agregação de valor, mas não é só isso, agregar valor a um produto grosseiramente falando é agradar ao consumidor.
- Agregação de valor, vc agradar ao consumidor, não é simplesmente aumentar o preço, vc poder aumentar o preço do produto pq vc gastou um pouco mais para produzir aquele determinado produto para agradar o mercado consumidor especifico.
Quando vc compra um produto e vc esta protegendo o meio ambiente, vc tem esse cuidado, vc muitas vezes esta pagando mais caro por isso, porque vc sabe que mesmo gastando mais com aquilo, vc esta protegendo uma coisa que vc gosta que é o meio ambiente.
- combate às barreiras não tarifárias, o Brasil faz direto para tentar se proteger, produz muito barato, aqui esta a proteção que a gente faz em cima das nossas florestas, em cima da mão de obra escrava, ou análogas escravas.
- Costuma combater tbm as barreiras tarifárias. 
- cartel: fusão de grandes empresas (CADE: CONSELHO ADMINISTRATIVO DE DEFESA ECONOMICA), que tbm não deixa de ser um comprometimento do comércio. Empresas que se une para estabelecer um preço único, isso acabam comprometendo a competição e o preço do produto ao consumidor. Então a gente tem vários casos de fusões de grandes empresas. Ambev é um tipo de fusão, agora é embev e ambev. Temos fusão de grandes empresas do agronegócio que elas são fiscalizadas pelo CADE, para ver se não esta havendo formação de monopólio.
Se essas empresas comprarem as pequenas empresas, ou compram a principal empresa rival, ela vai colocar preço único no mercado e vai acabar prejudicando o consumidor. Então essas empresas têm sido vigiadas pelo CADE, mais lá fora quando acontece uma fusão de grande empresas, antes dessa fusão acontecer se faz uma fiscalização para ver se não haver formação de preço único, se perceber que vai lesar o consumidor eles impedem a fusão, já aqui no Brasil 1º ocorre a fusão depois analisa para ver se esta lesando o consumidor ou não, e com isso o consumidor é lesado ate resolver toda a situação. Ex: caso da fusão da sadia e da perdigão.
Grandes fusões:
-JBS (vigor, bertin, swift, Friboi, leco, anglo, etc)- frigorífico conhecido que começou com Friboi e bertin, todo mundo conhecia, tinha competição, se Bertim pagava mais por arroba e Friboi me pagava mais cara, eu vendia para o friboi, depois que houve a fusão o produtor obrigado a vender para todo mundo, num preço único, para aquela empresa única; o CADE sempre vai legislar sobre essas fusões, para ver se são formação de cartela ou não.
JBS é uma das maiores empresas de produtos de origem animal do mundo.
Uma coisa interessante que ela faz, ela tem várias plantas industrial no Brasil e no mundo, e vamos supor que tenha 1 caso de aftosa aqui no Brasil, ela não fica prejudicada pq ela tem planta fora do Brasil, então ela pega carne produzida aqui no Brasil, de estados que não estão acometidos pela aftosa, leva para a planta la fora e atinge outros mercados, por exemplo, se tem aftosa em Matogrosso a Europa não quer nem saber que a região sul é muito longe do matogrosso, Brasil não importa, é o que a gente chama de barreia não tarifária. Então JBS pega toda a carne do sul que é passiva de ser comercializada que não teve problema algum, leva para uma planta lá fora, e quando ela passa a ter o rotulo de fora do Brasil, comercializa para quem quiser.
- Marfrig (seara, Dagranja, aberdeen angus)
- BrFoods (batavo, perdigão, elegê, sadia)

Continue navegando