Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
20 pág.
Questões de Semiologia

Pré-visualização | Página 1 de 7

Questões de Semiologia
P2 2021.1
1) Em relação ao exame físico na pneumonia onde há consolidação, assinale a alternativa
correta:
a. O FTV está diminuído (aumentado)
b. A percussão é maciça
c. Há crepitação grosseira na ausculta (crepitação fina)
d. A expansibilidade pulmonar está preservada (diminuída)
e. Há silêncio auscultatório
2) Qual semiotécnica abaixo pode definir a diferença entre pneumonia e derrame pleural?
a. A inspeção dinâmica do tórax
b. A palpação do tórax, através da amplitude apical e basal
c. A palpação do tórax, através do Frêmito tóraco vocal (FTV) (ambas percussão maciça e
expansibilidade diminuída, se diferenciam pelo FTV).
d. A percussão do tórax
3) Quais as características, na anamnese, do paciente hipocondríaco:
a. Apresenta hostilidade para com o médico.
b. Tem mania de doença, sugere os diagnósticos, conhece medicamentos, exames, notícias
sobre doenças
c. Apresenta olhos sem brilho, relata despertar cedo, pouca vontade em agir, menor capacidade
de trabalho
d. No Interrogatório fala lentamente
e. Só consulta o médico por insistência dos familiares
4) O ictus cordis muscular ocorre:
a. No exame precordial, em indivíduos normolíneos
b. Na hipertrofia ventricular esquerda
c. Na hipertrofia ventricular direita
d. O ictus cordis normal é denominado “muscular”
e. Não se relaciona com hipertrofia miocárdica
ICTUS CORDIS: coração batendo (ictus cordis normal e palpável (1-2 polpas digitais na linha
hemiclavicular esquerda no 5º EIC)
muscular: hipertrofia VE
vascular: hipertrofia VD
5) A principal característica do tórax em tonel presente nos pacientes com DPOC é?
a. Presença de uma depressão na parte inferior do esterno e região epigástrica escavado
b. Aumento do diâmetro látero-lateral (ou transversal) do tórax
c. Esterno proeminente, com alargamento da sua parte inferior, deixando o tórax em formato de
cone infundiliforme
d. Aumento do diâmetro anteroposterior do tórax
6) Qual a associação improvável?
a. Apendicite / Quadrante inferior direito (salpingite)
b. Úlcera Péptica / Epigástrio (estômago)
c. Diverticulite / Quadrante inferior esquerdo
d. Refluxo Gastroesofágico / Epigástrio
e. Pancreatite / Hipogástrio QSD, QSE, epigástrio
OBS: pancreatite: dor abdominal em faixa, nos quadrantes superiores, que irradia para o dorso.
7) Qual a cronologia do quarto ruído?
a. Início da sístole
b. Meio da sístole
c. Início da diástole
d. Meio da diástole
e. Final da diástole
B4: fim da diástole, causada por sobrecarga de pressão
O resto de sangue que vem da contração atrial (parte final da diástole, primeira parte é passiva) vai de
encontro ao ventrículo enrijecido (pela sobrecarga de pressão ao longo do tempo)
8) Ao percutir a região anterior do hemitórax esquerdo de um paciente em posição de Schuster,
pergunta-se: a presença de um som timpânico (ar), a partir do 6º EIC indo até o 7º EIC, próximo à
linha axilar anterior, significa?
a. O som timpânico representa o espaço de Traube, que ocorre normalmente nestes casos,
como manifestação fisiológica da presença da bolha gástrica
b. O som timpânico descreve um espaço de Traube “ocupado” e denota a presença de uma
esplenomegalia ocupado seria se tivesse macicez ou submacicez
c. A ocorrência de um som timpânico nesta região tem significado patológico, ou seja,
diagnostica um pneumotórax
d. A perda da macicez esplênica durante a percussão da região anterior do tórax é chamada de
Sinal de Jobert, que representa a ocorrência de pneumoperitônio - o desaparecimento da
macicez hepática é conhecido como sinal de Jobert, que indica a presença de perfuração
de víscera oca em peritônio livre
OBS: Espaço de Traube (normal é timpânico)
-Sinal de Jobert é macicez hepática
9) A atividade profissional do paciente pode estar relacionado a:
a. Possibilidade de doenças infecto-contagiosas;
b. Possibilidade de doenças genéticas ou hereditárias;
c. Possibilidade de doenças metabólicas;
d. Possibilidade de doenças relacionadas à exposição de produtos químicos;
e. Possibilidade de doenças relacionadas à exposição de produtos químicos e de
doenças infecto-contagiosas;
10) Assinale a alternativa que melhor descreve o hiato auscultatório e o que você deve fazer para
garantir uma adequada aferição da pressão arterial:
a. É a diferença entre a pressão arterial sistólica e diastólica, medida em mmHg. Deve ser
aferida a pressão pelo método palpatório na artéria braquial.
b. É quando ocorre uma variação na pressão sistólica maior ou igual a 20mmHg. Deve ser
medida a pressão nas posições deitado, sentado e em pé, com intervalo de 2 minutos entre as
aferições.
c. É o intervalo entre os sons II e IV de Korotkoff, durante a aferição da pressão pelo método
auscultatório. Deve-se antes definir a pressão diastólica pelo método palpatório.
d. É o intervalo entre o II e o III sons de Korotkoff, onde se ausculta um som rude. Para evitá-lo,
deve-se palpar o pulso braquial enquanto o manguito é desinflado.
e. É quando, ao ir desinflando o manguito, identifica-se o primeiro som de Korotkoff e
depois há um intervalo de silêncio, retornando-se posteriormente a ouvir os sons até seu
total desaparecimento. Para conseguir definir a pressão sistólica, deve-se realizar
inicialmente o método palpatório.
11) O médico ao examinar o pulso carotídeo do paciente suspeitou de valvulopatia, por aumento
significativo da amplitude e diminuição da duração. Qual valvulopatia por este achado
semiológico, foi sugerida?
a. Valvulopatia pulmonar.
b. Insuficiência da válvula aórtica.
c. Estenose da válvula aórtica.
d. Insuficiência valvular tricúspide.
e. Estenose da válvula mitral.
“tudo pulsa na insuficiência aórtica"
Durante a diástole, o sangue que já tinha ido para a circulação sistêmica é sugado de volta ao
VE pela incompetência da valva. Então o leito arterial se enche muito na sístole, mas esvazia
rapidamente no diástole.
Pulso de Corrigan: pulso em martelo d’água, grande amplitude e pouca duração
12) Qual a referência anatômica divide a hemorragia digestiva entre alta e baixa?
a. Válvula íleo-cecal;
b. Ângulo de Treitz;
c. Cicatriz umbilical;
d. Piloro;
e. Ligamento redondo.
13) Na anamnese, qual o significado da queixa principal?
a. É o sintoma que o paciente sente por mais tempo.
b. É o sintoma mais recente.
c. É o sintoma que motivou a consulta com o médico.
d. Sintoma que ocorre frequentemente.
e. Sintoma relacionado às funções fisiológicas.
14) No exame físico de um paciente com dor ventilatório dependente você encontra :
-Amplitude apical e basal muito diminuídas em hemitórax direito (HTD)
-FTV ausente no hemitórax direito (HTD)
-Percussão: macicez em hemitórax direito (HTD)
-Ausculta: murmúrio vesicular abolido em HTD
Qual é a síndrome pleuropulmonar que este paciente apresenta?
a. Síndrome brônquica; ausculta não estaria abolida, poderia ter ruídos adventícios
(estertores criptantes)
b. síndrome de consolidação pulmonar FTV poderia estar aumentado
c. Síndrome de congestão pulmonar ausculta não estaria abolida e poderia ter ruídos
adventícios (subcrepitantes)
d. Síndrome Pleural o paciente provavelmente tem derrame pleural
15) Definir, na ausculta cardíaca, o que corresponde à diástole:
a. Intervalo de tempo entre a segunda bulha e a primeira do ciclo seguinte
b. Intervalo de tempo entre a segunda bulha e a segunda bulha do ciclo seguinte.
c. A diástole, na ausculta, não se relaciona com as bulhas
d. Intervalo de tempo entre a primeira e a segunda bulha
e. Intervalo entre o terceiro e quarto ruído
Sístole: entre B1 e B2
16) Paciente F.G.M, 65 anos, feminina, procura atendimento com queixa de fadiga. Refere que tem
tido muita dificuldade de emagrecer, está com cabelos fracos e quebradiços e pele seca. Queixa-se
de constipação intestinal e alteração menstrual. Com estas informações, você já pensa em um
possível diagnóstico e segue sua anamnese e exame físico em busca de outras alterações que reforcem
sua hipótese diagnóstica. Assinale a alternativa abaixo que você NÃO espera encontrar neste paciente:
(hipotireoidismo?)
a. Parestesia em 1, 2,
Página1234567