A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
21 pág.
Socializacao de Campo

Pré-visualização | Página 1 de 5

20
	
Almerante Augusto Maquela
Antonio Amisse
Articinta Daniel Consolo
Safia Atumane
Sábado Gabriel
Victorino Gonçalves
Tema: Socialização do Campo
Universidade Rovuma
Novembro
2021
Almerante Augusto Maquela
Antonio Amisse
Articinta Daniel Consolo
Safia Atumane
Sábado Gabriel
Victorino Gonçalves
Tema: Socialização do Campo
	Trabalho de carácter avaliativo a ser apresentado na cadeira de Sociologia Ambiental Do curso de GADC
dr: Nércio Janeiro
	
Universidade Rovuma
Novembro
2021
Índice
Introdução	4
SOCIALIZA ÇÃO	5
Socialização primária	6
DURKHEIM E A EDUCAÇÃO	7
A SOCIALIZAÇÃO DO CAMPO	8
Perspectivas educacionais em Moçambique após independência	11
Os primeiros anos (1975-1981)	14
A implementação do Sistema Nacional da Educação (SNE) num contexto de conflito (1981-1992	15
Educação após os Acordos da Paz (1992	16
Educação e género	17
Desafios actuais	18
Conclusão	20
Bibliografias:	21
Introdução
O rural moçambicano passou por transformações na forma de organização do espaço residencial e produtivo em função dos interesses do Estado, quer seja ele colonial como o que surgiu da luta de libertação nacional. Com este artigo pretendemos analisar como o domínio dos sistemas de objectos e de acções no espaço foi fundamental para a materialização dos interesses dos atores hegemónicos em cada fase da história moçambicana. Para sustentar as análises efectuadas ao longo do texto, recorremos à pesquisa bibliográfica sobre o assunto, tanto de autores moçambicanos como de estrangeiros. Foram consultados livros, artigos, teses e relatórios que abordaram a realidade do país durante a última fase da presença colonial portuguesa em Moçambique. Analisou-se os primeiros dez anos de independência de Moçambique, ou seja, quando foi implantada a socialização do campo como estratégia de desenvolvimento do espaço rural.
Objectivo geral
Falar da Socialização do campo
Objectivo específico
Debruçar sobre a Socialização do campo, antes e depois da independência, e a educação do campo…
Metodologia
A metodologia usada foi descritiva e consulta de varias obras bibliográficas e a consulta da internet, tendo em conta que um trabalho cientifico e muito vasto aqui contem informações básicas e essenciais e como a opinião conta aceitamos as criticas para melhorar mais..
SOCIALIZAÇÃO
Segundo LEVY JR(1973), a socialização é um processo contínuo no qual o indivíduo ao longo da vida aprende, identifica hábitos e valores característicos que o ajudam no desenvolvimento de sua personalidade e na integração de seu grupo, tornando-o sociável, hábitos estes que não são inatos. Para LEVY JR. (1973, p. 60), “em estado de isolamento social, o indivíduo não é capaz de desenvolver um comportamento humano, pois este deve ser aprendido ao longo de suas interacções com os grupos sociais”.
Importância da socialização
DURKHEIM (1987) ressalta a importância da socialização ao mostrar que a sociedade só pode existir porque penetra no interior do ser humano, moldando sua vida, criando sua consciência, suas ideias e valores.
Ao longo do processo de desenvolvimento humano, o indivíduo participa de inúmeros grupos sociais. A socialização faz com que a pessoa adquira as normas definidoras dos critérios morais e éticos, conforme os padrões da sociedade em que está inserido. Nessa constante interacção com o meio, o indivíduo vai internalizando crenças e valores, construindo padrões de comportamento próprios para interacção em cada grupo. Tais valores vão se consolidando e determinando suas escolhas, dentre elas, as escolhas profissionais. Este mesmo processo revela-se crucial no contexto de uma organização. Ao ingressarem em um novo grupo, os funcionários precisam ser apresentados aos valores, crenças, normas e práticas da organização, passando por um processo de socialização, que lhes permitirá articular-se com os processos de comunicação e de integração que permeiam o fazer colectivo.
O conceito de socialização e seus usos
Segundo os autores, a socialização acontece em duas etapas: 
a) Socialização primária, que é a introdução do indivíduo no mundo objectivo de uma sociedade ou sector dela; 
b) Socialização secundária, acontece quando um indivíduo já socializado que participa de outros sectores do mundo objectivo dessa sociedade. 
Para ficar mais claro, iremos tratar de cada etapa separadamente. Comecemos com a socialização primária.
O mundo social objectivo é, portanto, apresentado a partir de dois filtros: a) a classe social que os pais ocupam na sociedade; b) as particularidades que cada família tem. São estes 2 filtros que moldam/controlam nossa experiência nesse mundo social.
Socialização primária 
Família 
Escola 
Grupo de pares 
Media
Mas a socialização primária não é só um processo cognitivo, é também emocional.
A socialização secundária é diferente da primária, pois desperta processos diferentes. A começar pela consciência que de o mundo que foi apresentado na socialização primária não é o único existente. Pode ocorrer uma crise, vergonha ou medo do conhecimento da amplitude do mundo social, muito maior do que aquela primeira apresentação. Para que o mundo da socialização secundária seja absorvido, por vezes, é necessário um grande choque para que o mundo da socialização primária seja destruído.
Socialização secundária 
Integração em “submundos” especializados.
Ressocialização 
O indivíduo é separado da sua vida social anterior e despojado da sua identidade social. (Goffman).
A Educação do Campo é uma concepção político pedagógico voltada para dinamizar a ligação dos seres humanos com a produção das condições de existência social, na relação com a terra e o meio ambiente, incorporando os povos e o espaço da floresta, da pecuária, das minas, da agricultura, os pesqueiros, caiçaras, ribeirinhos e extractivistas (BRASIL, 2002).
De acordo com a concepção de educação rural, a educação deve ser dada aos indivíduos para suprir suas carências mais elementares, deve funcionar como uma educação supletiva em que transmite-se a cada indivíduo somente os conhecimentos básicos, pois se acredita não ser necessário aos sujeitos do campo, que lidam com a roça, aprender conhecimentos complexos, que desenvolvam sua capacidade intelectual. Assim a educação passa a ser vista Como um favor e não como um direito. 
DURKHEIM E A EDUCAÇÃO 
A educação é um assunto eminentemente social, tanto pelas suas origens como pelas suas funções.” 
Definição da educação 
“A educação é a acção exercida pelas gerações adultas sobre as que ainda não se encontram amadurecidas para a vida social. Ela tem por objectivo suscitar e desenvolver na criança um certo número de condições físicas, intelectuais e morais que dela reclamam, seja o meio específico a que ela se destina particularmente.” “
DURKHEIM E A EDUCAÇÃO 
A educação é um assunto eminentemente social, tanto pelas suas origens como pelas suas funções.” 
Definição da educação 
“A educação é a acção exercida pelas gerações adultas sobre as que ainda não se encontram amadurecidas para a vida social. Ela tem por objectivo suscitar e desenvolver na criança um certo número de condições físicas, intelectuais e morais que dela reclamam, seja o meio específico a que ela se destina particularmente.” “Muito longe de a educação ter por objectivo único (…) o indivíduo e os seus interesses, a educação é antes de mais, o meio pelo qual a sociedade renova perpetuamente as condições da sua própria existência.
Explicação causal e funcional da educação A educação cria as condições para que a sociedade se perpetue; é uma força conservadora.
Acto pedagógico Deve adequar o novo membro da sociedade àquilo que essa sociedade quer. Isto passa pelo controlo social (sanções e recompensas). “O homem que a educação deve realizar (…) é como a sociedade quer que seja.
Papel do professor Integrar novos membros na sociedade, tornando-os conscientes das normas pelas quais devem reger a sua conduta. Incutir ideias e sentimentos para harmonizar a criança com o meio em que a mesma deverá viver.
A SOCIALIZAÇÃO DO CAMPO
Após o

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.