A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
HAM I - OSCE I

Pré-visualização | Página 1 de 2

1 
 
 @jumorbeck 
AFERIÇÃO DE PRESSÃO ARTERIAL 
➢ Bom dia, meu nome é Júlia, sou estudante de 
medicina do 1º período da Faculdade Santo 
Agostinho de Itabuna. 
➢ Considerando que minhas mãos estão 
higienizadas e estou devidamente paramentada, 
solicito sua permissão para aferir sua pressão. 
➢ SE POSICIONAR A DIREITA DO PACIENTE. 
➢ Solicito ao paciente para manter os dois pés 
paralelos e apoiado no chão. 
➢ Com o braço apoiado em uma mesa de modo 
que esteja aproximadamente no mesmo nível 
do coração, coloco a braçadeira do 
esfigmomanômetro em torno de um braço nu, 
2 a 3 cm acima da fossa cubital. (TORTORA, 14ª 
ed.) 
➢ Palpo a artéria radial e aperto a pêra de borrada 
para insuflar a braçadeira, até não sentir mais a 
pulsação da artéria radial. Logo após, insuflo mais 
20 – 30 mmHg. 
➢ Coloco as olivas do estetoscópio nos ouvidos, 
aqueço o diafragma na minha roupa e coloco-o 
na fossa cubital do paciente (sobre a artéria 
braquial). 
➢ Desse modo, desinsuflo lentamente a braçadeira, 
resultando no primeiro som auscultado com o 
estetoscópio – esse som corresponde à 
pressão arterial sistólica (PAS) – e o último som 
auscultado será o diastólico. 
➢ Retiro a braçadeira do esfigmomanômetro do 
paciente. Informo o valor da pressão arterial (ex.: 
120x80mmHg) ao paciente. 
➢ Nada mais a declarar, encerro aqui essa seção 
do OSCE. 
QUAIS PERGUNTAS FAZER ANTES DE AFERIR A PRESSÃO 
ARTERIAL? 
➢ Bom dia, meu nome é Júlia, sou estudante de 
medicina do 1º período da Faculdade Santo 
Agostinho de Itabuna. 
➢ Considerando que minhas mãos estão 
higienizadas e estou devidamente paramentada, 
solicito sua permissão para atendê-lo. 
➢ Pergunto ao paciente a quanto tempo ele 
chegou no local? (Esperar no mínimo 10 min. 
Para realizar a aferição) 
➢ Pergunto se a bexiga está cheia (o ideal é estar 
vazia no momento da aferição). 
➢ Pergunto se ingeriu cafeína nos últimos 30 min. 
➢ Pergunto se fez algum tipo de exercício físico 
na última hora. 
AUSCULTA CARDÍACA 
➢ Bom dia, meu nome é Júlia, sou estudante de 
medicina do 1º período da Faculdade Santo 
Agostinho de Itabuna. 
➢ Considerando que minhas mãos estão 
higienizadas e estou devidamente paramentada, 
solicito sua permissão para realizar a ausculta 
cardíaca. 
➢ SE POSICIONAR A DIREITA DO PACIENTE. 
➢ Aqueço o diafragma do estetoscópio na minha 
roupa. 
➢ Coloco o diafragma no 2º espaço intercostal 
direito na margem lateral do esterno para 
auscultar o FOCO AÓRTICO . 
➢ Coloco o diafragma no 2º espaço intercostal 
esquerdo na margem lateral do esterno para 
auscultar o FOCO PULMONAR. 
➢ Coloco o diafragma no 3º espaço intercostal 
esquerdo na margem lateral do esterno para 
auscultar o FOCO AÓRTICO ACESSÓRIO. 
➢ Coloco o diafragma no 5º espaço intercostal 
esquerdo na margem lateral do esterno para 
auscultar o FOCO PULMONAR. 
➢ Coloco o diafragma no 5º espaço intercostal 
esquerdo na linha hemiclavicular para auscultar o 
FOCO MITRAL (corresponde ao ictus cordis ou 
ponta do coração) 
➢ Nada mais a declarar, encerro aqui essa seção 
do OSCE. 
 
 
 
 
HAM I - OSCE 
2 
 
 @jumorbeck 
HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS 
➢ Bom dia, meu nome é Júlia, sou estudante de 
medicina do 1º período da Faculdade Santo 
Agostinho de Itabuna. 
➢ Considerando que estou devidamente 
paramentada, solicito permissão para iniciar o 
procedimento de higienização das mãos. 
➢ Retirar adornos; 
➢ Abro a torneira e molho as mãos. 
➢ Aplico quantidade suficiente de sabão líquido na 
palma das mãos. 
➢ Ensaboou as palmas das mãos, friccionando-as 
entre si. 
➢ Esfregar a palma da mão direita contra o dorso 
da mão esquerda entrelaçando (espaços 
interdigitais) os dedos e vice-versa. 
➢ Esfregar o dorso dos dedos de uma mão com 
a palma da mão oposta, segurando os dedos, 
com movimento de vai e vem e vice-versa. 
➢ Esfregar o polegar direito com o auxílio da palma 
da mão esquerda, utilizando-se movimento 
circular e vice-versa. 
➢ Friccionar as polpas digitais e unhas da mão 
esquerda contra a palma da mão direita, fechada 
em concha, fazendo movimento circular e vice-
versa. 
➢ Esfregar o punho esquerdo, com o auxílio da 
palma da mão direita, utilizando movimento 
circular e vice-versa. 
➢ Enxaguar as mãos, retirando os resíduos de 
sabonete, evitando contato das mãos com a 
torneira. 
➢ Secar as mãos com papel toalha descartável, 
iniciando pelas mãos e seguindo pelos punhos. 
No caso de torneira com contato manual para 
fechamento sempre utiliza papel toalha. 
➢ Nada mais a declarar, encerro aqui essa seção 
do OSCE. 
ANAMNESE 
➢ Identificação; 
➢ Queixa Principal; 
➢ História da Doença Atual (HDA); 
➢ Interrogatório Sintomatológico; 
➢ Antecedentes Pessoais; 
➢ Antecedentes Familiares; 
➢ Hábitos de Vida; 
➢ Condições socioeconômicas e culturais. 
 
INSPEÇÃO 
➢ Começa desde a anamnese. 
➢ Estática e Dinâmica. 
➢ Avaliação do Estado Geral: BEG (Bom Estado 
Geral), REG (Regular Estado Geral), MEG (Mau 
Estado Geral). 
PRINCIPAIS TIPOS DE FÁCEIS 
Fácies hipocrática: olhos fundos, parados e inexpressivos 
chamam logo a atenção do examinador. Esse tipo de 
fácies indica doença grave e quase nunca falta nos 
estados agônicos das afecções que evoluem de modo 
lento. 
 
Fácies renal: o elemento característico é o edema que 
predomina ao redor dos olhos. 
 
Fácies leonina: as alterações que a compõem são 
produzidas pelas lesões da hanseníase. 
 
3 
 
 @jumorbeck 
Fácies adenoidiana: os elementos fundamentais são o 
nariz pequeno e afilado e a boca sempre entreaberta. 
 
Fácies parkinsoniana: a cabeça inclina-se um pouco para 
frente e permanece imóvel nesta posição. O olhar fixo, 
os supercílios elevados e a fronte enrugada conferem ao 
paciente uma expressão de espanto. 
 
Fácies basedowiana: seu traço mais característico reside 
nos olhos e no olhar. Os olhos são salientes (exoftalmia) e 
brilhantes, destacando-se sobremaneira no rosto magro. 
 
Fácies mixedematosa: é constituída por um rosto 
arredondado, nariz e lábios grossos, pele seca, espessada 
e com acentuação de seus sulcos. 
 
Fácies acromegálica: caracteriza-se pela saliência das 
arcadas supraorbitárias, proeminência das maçãs do rosto 
e maior desenvolvimento do maxilar inferior, além do 
aumento do tamanho do nariz, lábios e orelhas. 
 
Fácies cushingoide ou de lua cheia: como a própria 
denominação revela, chama a atenção de imediato o 
arredondamento do rosto, com atenuação dos traços 
faciais. 
 
Fácies mongoloide: está na fenda palpebral seu elemento 
característico, uma prega cutânea (epicanto) que torna 
4 
 
 @jumorbeck 
os olhos oblíquos, bem distantes um do outro, lembrando 
o tipo de olhos dos chineses. 
 
BIOTIPO OU TIPO MORFOLÓGICO 
O biótipo ou tipo morfológico é o conjunto de 
características morfológicas apresentadas pelo indivíduo. 
Brevilíneo: comparado a Sancho Pança, apresenta as 
seguintes características 
➢ Pescoço curto e grosso; 
➢ Tórax alargado e volumoso; 
➢ Membros curtos em relação ao tronco; 
➢ Tendência para baixa estatura. 
Mediolíneo: é o tipo intermediário e caracteriza-se pelos 
seguintes elementos: 
➢ Equilíbrio entre os membros e o tronco; 
➢ Desenvolvimento harmônico da musculatura e 
do panículo adiposo; 
Longilíneo: comparado a Dom Quixote, apresenta as 
seguintes características: 
➢ Pescoço longo e delgado; 
➢ Tórax afilado e chato; 
➢ Membros alongados com franco predomínio 
sobre o tronco; 
➢ Tendência para estatura elevada. 
 
ANAMNESE CARDIOVASCULAR 
➢ Dor torácica; 
➢ Dispneia; 
➢ Palpitação; 
➢ Fadiga; 
➢ Hemoptise; 
➢ Cianose; 
➢ Síncope; 
➢ Edema. 
SINAIS VITAIS 
Frequência Cardíaca 
➢ Menor q 60 bpm: bradicárdico 
➢ Maior que 100 bpm: taquicárdico 
➢ Entre 60-100bpm: normocárdico 
Frequência Respiratória 
➢ Abaixo de 12/16 rpm: bradpnéico 
➢ Acima de 20 rpm: taquipnéico 
➢ Entre 12/16 rpm – 20rpm: eupneico 
➢ Ausência de respiração: apnéia 
Pressão

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.