Seja Premium

Unidades de Conservação - Biogeografia

Seja Premium e tenha acesso liberado!

São milhões de conteúdos disponíveis pra você.

Já tem cadastro?

Você viu 1 do total de 5 páginas deste material

Prévia do material em texto

RESUMO SOBRE AS UNIDADES DE CONSERVAÇÃO 
 
 As unidades de conservação são áreas naturais destinadas à proteção e conservação da 
biodiversidade, devido as suas características específicas. Elas também têm a capacidade de 
certificar que as populações possuam uma utilização sustentável dos recursos naturais de 
maneira inteligente, proporcionando à população circunvizinha o progresso de um desempenho 
econômico sustentável. O Parque Nacional Yellowstone é o mais antigo dos Estados Unidos, e 
está localizado predominantemente em Wyoming, compreendendo partes de Montana e Idaho. 
O estado do tempo em Yellowstone pode mudar rapidamente, de quente e ensolarado para frio 
e chuvoso. O Parque Nacional do Serengeti fica na fronteira entre a Tanzânia e o Quênia; ele 
foi criado em 1951. No início, incluía a Zona de Conservação de Ngorongoro, mas essa região 
se tornou uma área separada em 1959. O Parque Nacional São Joaquim está inserido no bioma 
Mata Atlântica do Brasil, sendo localizado no estado de Santa Catarina, na região Sul do país, 
abrangendo os municípios de Bom Jardim da Serra, Urubici, Orleans, Lauro Müller e Grão-
Pará. O Parque Nacional Serra da Capivara localiza-se na região Sudeste do Estado do Piauí, 
compreendendo as áreas de quatro municípios nessa localidade: São João do Piauí, Coronel 
José Dias, São Raimundo Nonato e Canto do Buriti, onde encontram-se planaltos sedimentares, 
e a dissolução carbonática das rochas resultou em formações de grutas e cavernas. 
 
1 INTRODUÇÃO 
 
 
FONTE: Quadros 10 
 
1.1 Parque Nacional de Yellowstone 
Criado em 1872, o Parque Nacional Yellowstone é o mais antigo dos Estados Unidos. 
Ocupa uma área de 8.987 quilômetros quadrados no meio-oeste do país. Localizado 
predominantemente em Wyoming, o parque também compreende partes de Montana e Idaho. 
Yellowstone situa-se na ponta nordeste de um acidente geográfico em forma de U que atravessa 
as montanhas e que atualmente são as planícies do rio Snake. Esta planície em forma curva foi 
criada na altura em que o continente americano sofria deriva continental e passava por um 
hotspot ("zona quente") vulcânico existente abaixo da crosta terrestre. Este hotspot estava 
anteriormente localizado onde é hoje a localidade de Boise, no estado de Idaho. A caldeira 
vulcânica de Yellowstone é o maior sistema vulcânico existente na América do Norte. É 
normalmente denominado como "supervulcão" porque a caldeira foi formada por ação de 
erupções explosivas de elevada proporção. O estado do tempo em Yellowstone pode mudar 
rapidamente, de quente e ensolarado para frio e chuvoso. No verão, as temperaturas durante o 
dia rondam os 25°C e ocasionalmente os 30°C em elevações baixas. Já no inverno, muitas vezes 
as temperaturas estão entre os -20°C e os -5°C durante o dia. Enquanto que na primavera e 
outono, as temperaturas de dia vão dos 0º aos 20°C com descidas de temperatura à noite (-5 to 
-20°C). Yellowstone é considerado o habitat selvagem dos Estados Unidos com maior 
variedade de megafauna. Alguns dos animais que podem ser encontrados são: Bisonte-
americano (Bison bison), Urso-pardo (Ursus arctos), Urso-negro (Ursus americanus), Alce 
(Alces alces) e Veado (Odocoileus hemionus). 
 
1.2 Parque Nacional de Serengeti 
 O Parque Nacional do Serengeti é um grande refúgio de vida selvagem localizado na 
planície do Serengeti, na África. O parque fica na fronteira entre a Tanzânia e o Quênia. O 
Parque Nacional do Serengeti foi criado em 1951. No início ele incluía a Zona de Conservação 
de Ngorongoro, mas essa região se tornou uma área separada em 1959. A UNESCO declarou 
o Parque Nacional do Serengeti como Patrimônio da Humanidade em 1981. Todos os anos, 
milhares de turistas de vários países visitam o parque. O terreno é coberto por gramíneas e 
vegetação de savana. Há um gradiente espaço-temporal de fatores abióticos como precipitação, 
temperatura, topografia e geologia, solos e sistemas de drenagem no Parque Nacional do 
Serengeti. A combinação de solos vulcânicos aliada ao impacto ecológico da migração resulta 
em um dos ecossistemas mais produtivos do planeta, sustentando o maior número de ungulados 
e a maior concentração de grandes predadores do mundo. Um desafio importante é o de gestão 
da água, pois apesar das numerosas fontes de água durante a estação das chuvas, existe apenas 
um rio perene (Mara) que é transnacional. No entanto, este rio enfrenta atualmente várias 
ameaças cruzadas mediadas por humanos. Vastas planícies, montanhas, vales e lagos cobrem o 
território da Tanzânia. A grande planície de Serengeti fica no nordeste. A leste dela situa-se o 
monte Kilimanjaro, formado por três vulcões extintos. O pico central do Kilimanjaro tem cerca 
de 5.900 metros e é o ponto mais alto da África. A Grande Fossa Africana (também chamada 
de Grande Fenda Africana, ou Grande Vale do Rift) atravessa o país. Ao longo das fronteiras 
da Tanzânia estão três grandes lagos: Niassa, Tanganica e Vitória. O Vitória é o segundo maior 
lago de água doce do mundo, ultrapassado apenas pelo lago Superior, na América do Norte. 
A diversidade biológica do parque é muito alta, temos como exemplos: rinoceronte preto, 
elefante, cachorro selvagem, chita e leões. 
 
1.3 Parque Nacional São Joaquim 
O Parque Nacional São Joaquim (PNSJ) uma região de extrema importância para a 
proteção dos remanescentes de Matas de Araucárias. Esse parque nacional está inserido no 
bioma Mata Atlântica do Brasil, sendo localizado no estado de Santa Catarina, na região Sul do 
país. Esse parque abrange os municípios de Bom Jardim da Serra, Urubici, Orleans, Lauro 
Müller e Grão-Pará, sendo os dois primeiros na parte superior da Serra Geral (Vegetação: 
floresta ombrófila mista, matinhas nebulares e os campos de altitude) e os demais na inferior 
(Vegetação: floresta ombrófila densa), conhecida como “serra abaixo”. O PNSJ apresenta uma 
rica diversidade de animais, dentre eles pode-se citar: a onça-parda (Puma concolor), a 
jaguatirica (Leopardus pardalis), o gato-do-mato (Leopardus tigrinus), o papagaio-charão 
(Amazona pretrei), e a noivinha-do-rabo-preto (Xolmis dominicanus) que são algumas das 
muitas espécies da fauna que habitam esse lugar. Em um único dia no PNSJ é possível vivenciar 
às quatro estações do ano. Tal característica climática, quando associada a fatores como grotas 
e peraus (encostras), possibilita a ocorrência de inúmeros endemismos. No interior do parque, 
por exemplo, são registrados não só a presença de ventos intensos e das temperaturas mais frias 
do país, mas também a presença de neve. Esse fenômeno raro em um país tropical como o Brasil 
pode ser observado no Morro da Igreja, uma das regiões mais altas do parque com 
aproximadamente com 1.822 metros. No centro do Parque também há áreas bastante elevadas 
como as pertencentes aos Campos de Santa Bárbara com altitudes acima de 1.650 metros. 
Ademais, o Parque é responsável por protege nascentes de importantes rios da região que 
compões não só a bacia hidrográfica do Rio Canoas, mas também os afluentes do Rio Tubarão 
e as nascentes do Rio Pelotas, o principal formador do Rio Uruguai. Por fim, a formação 
geológica desse parque nacional é caracterizada pela presença de rochas vulcânicas, chamadas 
de Basalto, que formam, conjuntamente com as formações de Arenito, um local propício à 
recarga e descarga do Aquífero Guarani. 
 
1.4 Parque Nacional Serra da Capivara 
 O Parque Nacional Serra da Capivara localiza-se na região Sudeste do Estado do Piauí, 
compreendendo as áreas de quatro municípios nessa localidade: São João do Piauí, Coronel 
José Dias, São Raimundo Nonato e Canto do Buriti (GUIDON, 1988; CPRM, 2011; CHAVES, 
2013). Em relação às condições físicas ambientais geomorfológicas, é comum encontrar um 
relevo ruiniforme tabular. Também encontram-se planaltos sedimentares, e a dissolução 
carbonática das rochas resultou em formações de grutas e cavernas. Ascondições físicas 
ambientais climáticas é classificada como Tropical quente e seco, do tipo Bshw (Köppen, 
1918), a época chuvosa prolonga-se desde o verão até o outono. O sudeste do estado é apontado 
como uma área de mudança climática entre o Semiárido e o Tropical Equatorial Úmido. Nas 
condições físicas ambientais hidrográficas, a área está inserida na Bacia Hidrográfica do Rio 
Parnaíba, porém, os arredores, limitam-se à Bacia do Rio Piauí, tributário do Rio Parnaíba. As 
5 espécies mais comuns da fauna são a onça pintada, tamanduá bandeira, tatu canastra, gato 
maracajá e o mocó. 
 
2 CONCLUSÃO 
 Dado o exposto, o presente trabalho destacou os principais aspectos de cada área 
estudada, onde percebe-se que as Unidades de Proteção são regiões naturais designada à 
estabilidade e perpetuação da biodiversidade, sendo concedido exclusivamente o 
aproveitamento indireto do seu patrimônio natural. Com isso, conclui-se que as áreas de 
unidade de conservação são um legado natural de bem comum, que diz respeito a toda à 
população; preservá-las e valorizá-las é de uma relevância primordial, que assiste a preservação 
e continuidade da qualidade de vida da biodiversidade. 
 
REFERÊNCIAS 
 
ICMBIO. Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. Plano de Manejo do 
Parque Nacional Serra da Capivara. Brasília, 2019. Disponível em: 
https://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/plano-de-
manejo/plano_de_manejo_parna_da_serra_da_capivara.pdf 
 
ICMBIO. Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. Plano de Manejo do 
Parque Nacional de São Joaquim. Santa Catarina, 2018. Disponível em: 
https://www.icmbio.gov.br/parnasaojoaquim/images/stories/plano_de_manejo_parque_nacion
al_de_sao_joaquim_2018.pdf 
https://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/plano-de-manejo/plano_de_manejo_parna_da_serra_da_capivara.pdf
https://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/plano-de-manejo/plano_de_manejo_parna_da_serra_da_capivara.pdf
https://www.icmbio.gov.br/parnasaojoaquim/images/stories/plano_de_manejo_parque_nacional_de_sao_joaquim_2018.pdf
https://www.icmbio.gov.br/parnasaojoaquim/images/stories/plano_de_manejo_parque_nacional_de_sao_joaquim_2018.pdf
MOREIRA, Jasmine Cardozo. A geoconservação e as áreas protegidas. In: Geoturismo e 
interpretação ambiental [online]. 1st ed. rev. and enl. Ponta Grossa: Editora UEPG, 2014, p. 
37-70. Disponível em: http://books.scielo.org/id/v4ddr/pdf/moreira-9788577982134-03.pdf 
 
MOURA, Débora Coelho; SILVA, Janaína Barbosa da; MOURA, Alexandrina Saldanha 
Sobreira de; MELO, José Iranildo Miranda de. Mapeamento e análise espectro-temporal 
das unidades de conservação de proteção integral da administração federal no bioma 
caatinga. Recife: 2017. 36 p. Disponível em: 
https://www.fundaj.gov.br/images/stories/cieg/CAPITULOS/cap10_parnaserracapivara_caati
nga_fundaj.compressed-ilovepdf-compressed_compressed.pdf. Acesso em: 29 ago. 2021. 
 
Parque Nacional do Serengeti. In Britannica Escola. Web, 2021. Disponível em: 
Tanzânia. In Britannica Escola. Web, 2021. Disponível em: 
UNESCO WORLD HERITAGE CENTRE. Serengeti National Park. Disponível em: 
<http://whc.unesco.org/en/list/156>. Acesso em: 11 set. 2021. 
http://books.scielo.org/id/v4ddr/pdf/moreira-9788577982134-03.pdf