A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
19 pág.
Tutoria UC6- Morfofisiologia e Genética Bacteriana

Pré-visualização | Página 4 de 4

para cada NADH que durante a respiração aeróbia, 
porque o potencial de oxidação‐redução é menor para essas 
reações. Essas reações são utilizadas por bactérias anaeróbias 
facultativas no trato GI e outros ambientes anaeróbicos.
Via das Pentoses Fosfato:
A via final de metabolismo da glicose aqui apresentada é 
conhecida como via das pentoses fosfato, ou desvio de hexose 
monofosfato. A função dessa via é gerar precursores dos ácidos 
nucleicos e poder redutor na forma de nicotinamida‐ adenina 
dinucleotídeo fosfato (forma reduzida) (NADPH) para uso na 
biossíntese.
5- Descrever os mecanismos de transferência gênica entre as 
células bacterianas
Morfofisiologia e genética bacteriana 18
A troca de DNA entre as células permite o intercâmbio de genes e 
características entre elas, produzindo novas cepas bacterianas; 
o DNA transferido pode ser integrado ao cromossomo do receptor 
ou ser mantido de forma estável como um elemento 
extracromossômico (plasmídeo) ou vírus bacteriano (bacteriófago) 
e ser passado às bactérias-filhas como unidade autônoma de 
replicação;
Plasmídeos são pequenos elementos genéticos que se replicam 
independentemente do cr. bacteriano; assim como o DNA do cr. 
bacteriano, os plasmídeos podem se replicar de maneira autônoma 
e por isso, são chamados replicons. alguns plasmídeos, como F. 
da E. coli são epissomas, o que significa que são capazes de se 
integrar ao DNA cromossômico do hospedeiro; eles podem não ser 
essenciais mas criam uma vantagem seletiva para as bactérias;
Plasmídeos grandes, como o fator de fertilidade F. da E. coli ou 
fator de transferência de resistência podem mediar sua 
transferência de uma célula para outra por o processo de 
conjugação; 
Bacteriógafos são vírus bacterianos contendo genoma de DNA ou 
RNA normalmente protegidos por uma membrana ou um invólucro 
proteico; podem sobreviver fora de uma célula hospedeira e ser 
transmitido de uma célula para outra; bacteríofagos infectam uma 
célula bacteriana e, ou se replicam em grandes quantidades, 
causando lise celular (infecção lítica) ou se integram ao genoma 
hospedeiro sem matar o hospedeiro;
Transpósons são elementos genéticos móveis que podem transferir 
DNA desntro de uma célula, tanto de uma posição para outra no 
genoma, quanto em diferentes moléculas de DNA; 
Transferência Gênica:
Transformação: a bactéria absorve a molécula de DNA dispersas 
no meio e são incorporadas à cromatina;
Conjugação: pedaços de DNA passam diretamente de uma bactéria 
doadora, o "macho", para uma receptora, a "fêmea". Isso 
Morfofisiologia e genética bacteriana 19
acontece através de microscópicos tubos protéicos, chamados 
pili, que as bactérias "macho" possuem em sua superfície. O 
fragmento de DNA transferido se recombina com o cromossomo da 
bactéria "fêmea", produzindo novas misturas genéticas, que 
serão transmitidas às células-filhas na próxima divisão 
celular.
Tradução: moléculas de DNA são transferidas de uma bactéria a 
outra usando vírus como vetores (bactériófagos). Estes, ao se 
montar dentro das bactérias, podem eventualmente incluir 
pedaços de DNA da bactéria que lhes serviu de hospedeira. Ao 
infectar outra bactéria, o vírus que leva o DNA bacteriano o 
transfere junto com o seu. Se a bactéria sobreviver à 
infecção 
viral, pode passar a incluir os genes de outra bactéria em 
seu genoma.
Endosporos: