Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
SENTENÇA PENAL | Processo Penal

Pré-visualização | Página 2 de 2

Aula 20 
→ Necessidade de aditamento: o aditamento sempre será necessário, 
ainda que o quantum de pena seja menor. 
- Em regra, deve ser espontâneo, realizado pelo Promotor. 
- O §1º do art. 384 autoriza a aplicação do art. 28 (remessa dos autos 
ao PGJ) quando o aditamento da denúncia não é realizado de forma 
espontânea pelo membro do MP, o que evidenciaria um aditamento 
provocado. 
 
→ Procedimento da mutatio libelli: 
1) Denúncia; 
2) Instrução processual; 
3) Aditamento; 
4) Oitiva da defesa: a defesa deverá ser ouvida previamente (defesa 
preliminar – art. 395). 
5) Juízo de admissibilidade do aditamento; 
→ Em caso de rejeição do aditamento, será cabível: 
- Decisão interlocutória: RESE; 
- Sentença: apelação. 
 
→ Em caso de recebimento, em tese, não há previsão de recurso. 
Excepcionalmente, cabe HC para o trancamento do processo. 
 
6) Nova instrução probatória: recebido o aditamento, ainda que as 
partes não se manifestem pela produção de provas, é necessário ao 
menos novo interrogatório do réu, por se tratar de nova imputação. 
 
→ Em regra, o juiz fica adstrito aos termos do aditamento realizado, 
não sendo possível realizar a condenação do acusado pela imputação 
originária (art. 384, §4º). 
 Aula 20 
⤿ Exceções: possibilidades de ocorrer a imputação alternativa 
superveniente 
1. Nos casos de crime simples com aditamento para inclusão de 
elemento especializante; 
 
Ex: denúncia por roubo simples e aditamento para inclusão do concurso 
de pessoas – não sendo comprovada a majorante, será possível a 
condenação pela imputação originária. 
2. Crime complexo; 
Ex: denúncia pelo crime de furto simples e aditamento para o crime de 
roubo (crime complexo). Ainda assim será possível a condenação do 
agente pelo crime de furto (crime parte). 
 
→ O aditamento decorrente da mutatio libelli só pode ser realizado 
pelo MP nos casos de ação penal pública e ação penal privada 
subsidiária da pública. 
→ A mutatio libelli não pode ser realizada em 2ª instância por violar o 
duplo grau de jurisdição ( ). Porém, pode ser feita pelos 
tribunais nos casos de competência originária.
Página12