A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
25 pág.
Avaliação nutricional do adulto

Pré-visualização | Página 1 de 2

Introdução Avaliação nutricional do adulto
· Entre 20 e 60 anos. 
· Já está com organismo madura, mas é preciso a avaliação para manter a saúde. 
Avaliação nutricional 
· Antropometria 
· Exame físico 
· Exame bioquímico 
· História nutricional e clinica 
Avaliação antropométrica 
· Peso
· Estatura 
· Perímetros 
· Dobras cutâneas 
* Medida = avaliações direta de um parâmetro 
(EX: Peso corporal; glicemia de jejum) 
* Índice = combinação matemática de medidas 
(EX: índice de Massa Corporal; Índice Glicémico) 
* Indicadores = classificação (ponto de corte) construída com base nos índices 
(EX: IMC >18,5kg/m2; Glicemia de jejum <110mg/dl)
Principais medidas da avaliação física do adulto
❖ Avaliação do tamanho corporal 
PESO 
⮚ O peso do adulto pode variar até cerca de 2kg, durante o dia. 
⮚ Os valores mais estáveis são obtidos regularmente pela manhã, após 12 horas de jejum e bexiga vazia. 
ESTATURA 
⮚Varia durante o dia. 
⮚Valores maiores de estatura são obtidos pela manhã, podendo haver redução de até 1% durante o transcorrer do dia.
❖Avaliação da composição corporal e distribuição de gordura corporal 
– Dobras cutâneas 
(tricipital, bicipital, subescapular, supra ilíaca) 
– Perímetros 
(braço, cintura, quadril)
O IMC possui boa correlação com a adiposidade, mas baixa correlação com estatura. Boa correlação com as dobras. 
Dobras cutâneas
As dobras são usadas de forma complementar na avaliação do adulto. Tem-se usado IMC e perímetro da cintura. 
Perímetros
· Os mais usados são braço, cintura e quadril 
Os pontos de corte do perímetro da cintura variam de acordo com algumas etnias. 
O perímetro da cintura e do quadril são preditores de gordura abdominal. Além de serem medidas fáceis de serem obtidas a relação do perímetro da cintura com o do quadril = RCQ. Bom indicador da distribuição da gordura corporal. 
Quanto maior esse RCQ maior a desigualdade entre a distribuição da gordura corporal. 
O RCQ abaixo de 1 não significa que o indivíduo não está relacionado a outras comorbidades. 
A relação cintura\ quadril pode não sofrer alterações mesmo com aumento significativo das medidas de circunferência. Se a pessoa engordou muito na mesma proporção da cintura e do quadril. 
Como a maior parte da proteína é estocada no músculo a massa muscular dá uma noção da quantidade da reserva proteica do indivíduo. 
Os perímetros podem ser usados para estimativa de massa LIVRE DE gordura
Perímetro do braço
A medida do perímetro do braço isolada ou em combinação com dobras cutâneas pode indicar as reservas, tanto proteicas quanto de gordura corporal. 
Área muscular do braço
Vai estimar a reserva proteica do tecido muscular, ou seja, quanto tem de proteína. 
AMB E PMB
Considerações sobre o uso de dobras cutâneas, CB e CMB para avaliação de composição corporal
Avaliação nutricional do idoso
Alterações do envelhecimento
Inicia-se naturalmente a partir dos 30 anos. 
Ocorre diminuição da taxa metabólica basal em decorrência da diminuição da massa magra e atividade física. A diminuição de processos sensoriais como olfato e paladar podem afetar o controle de apetite e saciedade. dificuldade em detectar sabores primários tais como doce, salgado, amargo e ácido é considerado um dos principais fatores para a redução da ingestão alimentar de idosos.
Avaliação Nutricional de Crianças e Adolescentes (Curvas de Crescimento)
Medidas de tendencia central
· Média, moda e mediana são medidas de tendencia central. 
Medidas de dispersão
· São aquelas que medem o grau de diferença entre os dados. 
Variância
· Quantifica a variabilidade do afastamento entre a média das medidas. 
· Pega cada imc e diminui da média e eleva ao quadrado, vamos ter 12 valores e então somamos eles. Depois divide pelo n-1. 
· Por se tratar de um dado ao quadrado calculamos a variância para chegar ao desvio padrão que é a raiz quadrada da variância e não há mais dificuldade para interpretar o dado. 
Desvio padrão
· Mostra o quanto os dados se desviam em relação à média. 
As medidas geram histogramas. 
Exercitando: media 3,5; mediana 2,5, moda 2
· Distribuição mais agrupada.
A média foi alterada pois ela é sensível a valores extremos. 
Gerou esse histograma 
· Distribuição tendenciosa pela presença de um valor extremo. 
Distribuição de dados
Distribuição normal ou simétrica
· É uma das mais importantes 
· Peso e estatura tendem a seguir essa distribuição 
· Curva simétrica em torno da média, em forma de sino 
· A média a mediano e moda se coincidem ou são valores próximos ou iguais. 
· Outras características dessa distribuição é que no histograma identificamos a curva de sino. 
· A área baixo dessa curva corresponde a 100%. 
· A probabilidade de um valor X ser maior ou menor que a média é de 50%
· A média ou a mediana parte a curva em duas partes iguais: 50% acima e 50% abaixo. 
· Valores afastados para a direta são os maiores valores. 
· Associado a essa distribuição temos sempre a média e o desvio padrão. 
· A curva pode ter mais de 1 desvio padrão. 
· Aqui temos um desvio padrão acima da média e um abaixo da média. 
· Vão gerar áreas que já estão padronizadas 
· Então qualquer valor que tenha distribuição normal ou simétrica segue esse padrão 
· Quando temos 1 desvio padrão podemos dizer que temos 68,26% dos valores vão estar entre -1 desvio padrão e +1 desvio padrão da média. E assim por diante. 
· Jogando para parte das infecções do exercício anterior podemos dizer que 68, 26% estão entre -1 e +1 desvio padrão da média, 95,44 então entre -2 e +2 desvios padrão da média e 99,74 estão a -3 e +3 desvios padrão da média. 
Esses valores vão dizer pontos de corte. Permite inferir que o mais comum é o peso entre 2800g e 4150g
Curva normal padronizada ou reduzida
· Saber valores que estão entre -1 e a média por exemplo. 
· Mesmo formato da simétrica, mas no eixo da abscissa (que teria os valores de peso ao nascer com variáveis mais 1 e menos 1) vai ter os valores em score Z
· 0 são os valores da média, acima os valores acima da média. 
· O escore diz o quanto o valor está se distanciando da média. 
Transformando para Z escore
Então, qual a probabilidade de eu encontrar um jovem, com valor de IMC entre a média e 28kg\m2? Esse valor corresponde a área entre a média e 0,85.
0 seria o valor da média, 24, 67
· Ver na tabela qual área corresponde a 0,85 escore que é 0,3023 ou 30,23%. Então a probabilidade de achar os valores entre a média e 0,85 escore é 30%.
· Trabalhando com essa curva e z escore achamos qualquer outra área dentro da curva. 
Aplicabilidade disso na avaliação nutricional
· Sabemos que a maioria dos valores se situa entre o -2 e 2 escore 
· Quanto maior esse valor para menos ou mais maior afastado da média está. 
Suponha que essa seja uma distribuição de estatura para crianças. Uma criança que você avaliou apresentou valor de escore Z de – 3,02. O que você me diz sobre a estatura dessa criança? 
Esse valor indica que sua estatura está muito fora da média podendo indicar um caso grave de desnutrição. 
Esses dados são importantes para chegarmos aos pontos de corte. 
Como avaliar o estado nutricional de crianças e adolescentes
· Avaliamos peso e estatura de forma mais detalhada jogando nas curvas de crescimento.
· Índice é a junção de duas ou mais medidas.
Percentil
· Valores que se afastam muito do percentil 50 para cima ou para baixo é porque se afastam da média. 
· Cada valor de z escore apresenta valor de percentil correspondente. Por exemplo percentil 50 é igual a 0 escore. 
Então a probabilidade de encontrar uma criança saudável fora do intervalo de percentil 3 e 97 ou escore -2 e +2 é muito pouca. 
Esse peso esperado obtemos da população de referência. Mas o que seria uma população de referência? Curvas construídas com crianças com boa qualidade de vida, estudos com padrão que vão mostrar o padrão ideal de crescimento. 
Padrão x referencia
Who 2006 é a referência que deve ser utilizada para avaliar crianças de 0 a 5 anos. Acima de 5 anos usa-se world