A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Poderes da Administração Pública

Pré-visualização | Página 1 de 2

(Poderes da Administração Pública I Tá Tudo Mapeado - YouTube) 
 
Os Poderes da Administração Pública são um tratamento jurídico diferenciado concedido à Adm. 
para que ela possa, desse modo, representar o interesse público. 
 CONCEITO: Poderes administrativos são as prerrogativas de direito público que a ordem 
jurídica confere aos agentes administrativos com a finalidade de permitir que o Estado alcance 
seus fins. (José dos Santos Carvalho Filho) 
Fim do Estado = Bem Comum 
Classificação de Hely Lopes Meirelles: 
🞭 Poder Vinculado 
🞭 Poder Discricionário 
🞭 Poder Hierárquico 
🞭 Poder Disciplinar 
🞭 Poder Normativo ou Regulamentar 
🞭 Poder de Polícia. 
ESSA CLASSIFICAÇÃO É ESPECÍFICA DE HELY LOPES MEIRELLES, em outros autores podem ter 
outros nomes. 
PODER VINCULADO 
https://www.youtube.com/watch?v=WJRxSYwAYx4
Ele existe na prática de atos vinculados (quando a lei disciplina todos os elementos e requisitos 
do ato deixando uma única opção de agir, diferente do ato discricionário). O Poder é vinculado 
porque o agir está ligado àquela situação específica. 
Poder discricionário (liberdade da atuação da adm), tendo em vista que terá mais de uma 
opção para agir é o contra- ponto ao Poder Vinculado. 
A diferença entre eles está relacionada a essa liberdade de atuação. 
Definição de Meirelles de Poder Vinculado: “É aquele que a lei confere a Administração 
Pública para pratica de ato de sua competência determinando os elementos e requisitos 
necessários à sua formalização.” 
Elementos para formação dos atos (todos os tipos de ato): competência, finalidade, forma, 
objeto e motivo. 
 
PODER DISCRICIONÁRIO 
Conceito: “Poder Discricionário é aquele que o direito concede à Administração Pública, de 
modo explícito ou implícito, para a prática de atos administrativos com liberdade na escolha 
de sua conveniência, oportunidade e conteúdo.” (Hely Lopes Meirelles). – Isso é o que a 
doutrina chama de “mérito do ato”. 
Elementos sempre vinculados: competência, finalidade e forma. {São elementos que a lei 
sempre vai definir, não dando liberdade para o agente público} 
Elementos que podem ser vinculados ou discricionários: objeto e motivo {ora podem ser 
vinculados, ora podem ser discricionários.} 
 
Discricionariedade x Arbitrariedade 
 “Discricionariedade e arbitrariedade são atitudes inteiramente diversas. 
Discricionariedade é liberdade de ação, dentro dos limites permitidos em lei; arbitrariedade é a 
ação contrária ou excedente da lei. Ato discricionário, quando autorizado pelo direito, é legal e 
válido, ato arbitrário é sempre ilegítimo e invalido.” (Hely Lopes Meirelles). 
 
• Discricionariedade: o agente possui mais liberdade, mas a lei está regendo a situação. (de 
acordo com as opções legalmente permitidas) 
X 
• Arbitrariedade: o agente age fora do que a lei permite (não é permitido, sempre ilegítimo e 
inválido) 
PODER HIERÁRQUICO 
A estrutura da adm. é composta por órgãos superiores e subordinados, assim como os agentes 
também, por ex., o prefeito é superior aos secretários. 
Essa estrutura hierárquica é regida por esse Poder. 
🞭 Conceito: “Poder Hierárquico é o que dispõe o executivo para distribuir e escalonar as 
funções de seus órgãos, ordenar e rever a atuação de seus agentes, estabelecendo a 
relação de subordinação entre os servidores do seu quadro de pessoal.” (Hely Lopes 
Meirelles). 
Delegação (superior para inferior) é diferente de Avocação (inferior para superior). 
Também vem do poder hierárquico poder rever os atos dos inferiores. 
🞭 Fundamentos: distribuição de competências e hierarquia 
🞭 Faculdades implícitas que decorrem do Poder hierárquico: 
 a) dar ordens; 
 b) fiscalizar; 
 c) delegar ou avocar atribuições; 
 d) rever os atos dos inferiores; 
 e) dever de obediência. 
PODER DISCIPLINAR 
Decorre do Poder Hierárquico, pois existe quem mande e quem obedece. Quem pratica 
atos fora do permissivo legal, vai sofrer com esse poder disciplinar. 
Mas não somente decorre dele, tendo em vista que pode ser aplicado também a 
algumas pessoas que não compõe a adm., mas em razão de algum vínculo jurídico existente (ex.: 
alunos de escola pública, enquanto estiverem dentro da escola são pessoas sujeitas à disciplina 
administrativa ou pessoas internadas em hospitais públicos, ou presos em presídios). 
OBS.: Poder Disciplinar só existe DENTRO da Administração, diferente do Poder Polícia 
(se aplica para FORA da Adm.) 
Quem será alcançado por o poder disciplinar? R.: As pessoas que cometem infrações, que 
passaram por um processo administrativo disciplinar (PAD). Após passar por esse processo, será 
gerada uma penalização. 
🞭 Conceito: “Poder disciplinar é o que cabe à Administração Pública para apurar infrações 
e aplicar penalidades aos servidores públicos e demais pessoas sujeitas à disciplina 
administrativa.” (Maria Sylvia de Di Pietro) 
 
🞭 O Poder Disciplinar possibilita à Administração Pública: 
❖ Punir internamente as infrações funcionais de seus servidores; (decorre da hierarquia) 
❖ Punir infrações administrativas cometidas por particulares a ela ligados mediante algum 
vínculo jurídico específico. 
A doutrina diz que o exercício do Poder Disciplinar é DISCRICIONÁRIO (obs.: é somente o 
exercício, mas ela não pode deixar de punir alguém que comete em irregularidade em virtude 
do crime de prevaricação, porém o modo que será aplicado esse processo administrativo fica à 
critério da Adm., por isso é discricionário, SOMENTE SEU EXERCÍCIO). 
Seus atos devem ser sempre motivados (apresentação dos pressupostos fáticos e jurídico que 
dão fundamento à prática dele ato). Além disso, o P. Disciplinar deve seguir o devido processo 
legal, com direito à ampla defesa e ao contraditório. 
PODER REGULAMENTAR 
Ou “Poder Normativo”. 
As leis, em geral, são criadas no plano na abstração e da generalidade. Quando acontece uma 
situação fática, é adequada a lei ao caso concreto. 
Muitas vezes, é necessário que essas leis sejam regulamentas (normas abaixo da lei que 
determina procedimento de como aquela lei será aplicada – é isto é o que o Poder 
Regulamentar faz). 
🞭 Conceito: “é a faculdade de que dispõe o chefe do Poder Executivo (Presidente, 
Governador ou Prefeito) de explicar a lei para sua correta execução. 
🞭 Instrumento: Decreto ou Regulamento executivo. 
🞭 Emenda Constitucional nº 32/01: possibilidade de Decreto Autônomo. – O poder 
regulamentar é exercido sem existir uma lei previamente existente, ou seja, são 
assuntos que podem disciplinados diretamente por decreto, sem que exista a lei. 
🞭 “Art. 84, CF. Compete privativamente ao Presidente da República: 
 (...) 
 VI – dispor, mediante decreto, sobre: 
 a) Organização e o funcionamento da administração federal, quando não 
implicar aumento de despesa, nem criação ou extinção de órgão público; 
 b) Extinção de função ou cargos públicos, quando vagos.” 
- Nesse artigo, há quem entende que este seria decreto autônomo, já outros acreditam 
que é necessário existir uma lei antes. Mas na prática, é usado o decreto autônomo. 
 
Poder de Polícia 
É também uma das atividades administrativas. 
🞭 Conceito: 
 “Poder de Polícia é a atividade do Estado consistente em limitar o exercício dos direitos 
individuais em benefício do interesse público.” (Maria Sylvia Di Pietro) 
 “Poder de Polícia é a faculdade de que dispõe a Administração Pública para condicionar 
e restringir o uso e gozo de bens, atividades e direitos individuais, em benefício da coletividade 
ou do próprio Estado.” (Hely Lopes Meirelles) 
*Conceito Legal localizado no art. 78 do Código Tributário Nacional.* 
❑ Fundamento: Supremacia do interesse público. 
❑ Polícia Administrativa e Polícia Judiciária 
A polícia administrativa é exercida por órgãos administrativos (ex.: Vigilância sanitária, 
IBAMA, Polícia Rodoviária Federal) de caráter fiscalizador, já a polícia judiciária, em 
razão de preparar a atuação da função

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.