A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
AULA 2 - Microbiologias dos Ossos

Pré-visualização | Página 1 de 1

AMANDA GARCIA 2021 
INFECÇÕES ÓSSEAS (OSTEOMIELITES) 
Infecção causada por microrganismos que invadem os 
ossos. 
 Causas: 
Traumatismo, Nutrição comprometida, Presença de 
inoculo microbiano significativo e/ou presença de 
corpo estranho 
 Classificação: 
OSTEOMIELITE AGUDA: processo 
infeccioso agudo 
OSTEOMIELITE CRONICA: osteomielite 
não diagnosticada ou tratada inadequadamente 
 Epidemiologia: 
Osteomielite por via hematógena depende da 
faixa etária: do nascimento a puberdade, ossos 
longos são mais frequentemente envolvidos; e 
nos adultos, os mais afetados são as vertebras 
(a corrente sanguínea pode levar uma infecção 
de outra parte até os ossos). 
Osteomielite por trauma é responsável por 
70% de infecções em fraturas (invasão direta 
via fraturas expostas, cirurgia ou objetivos que 
perfuram o osso). 
Osteomielite por contaminação de tecidos 
adjacentes ocorre com ulceras nos pés em 
30% de pacientes diabéticos. Bactéria se 
projeta até o osso (infecção em estruturas 
próximas, como articulações naturais ou 
artificiais e tecidos moles) 
 
 Sitio de infecção: 
Geralmente ocorre apenas em um sítio 
Recém-nascidos criticamente doentes ou causado por 
MRSA (Staphylococcus aureus meticilina 
resistentes) vários sítios 
Ossos longos são os mais atingidos (80%): Metáfise; 
Fémur, tíbia ou úmero 
Coluna (discite): ocorre em 1-2%; normalmente lombar 
Osteomelite por via hematógena: 
A) Durante um episódio de 
bacteremia, as bactérias 
são depositadas na 
metáfise dos vasos 
metafisária (artéria e veia 
de nutrientes). 
B) Um foco de infecção 
desenvolve-se na metáfise, 
o que leva à celulite na 
medula óssea. 
C) exsudado sob pressão é forçado lateralmente através 
dos sistemas de Havers e de Volkmann e canais para o 
córtex do osso, onde se pode elevar ou haver ruptura 
através do periósteo. 
Infecção monomicrobiana (infeccoes polimicrobianas 
raras). 
Agente infeccioso: Staphylococcus aureus 
Outros agentes: Streptococcus pyogenes e 
Streptococcus agalactiae na infância Bacilos 
Gram-negativos em adultos 
Osteomielite por introdução do agente infeccioso 
Ocorre quando o trauma séptico quebra a barreira do 
tecido que envolve o osso, com penetração do agente 
infectante na matriz. 
Etiologia: São polimicrobianas 
Condições predisponentes: fraturas expostas e redução 
cirúrgica com implantação de fixações metálicas 
internas. 
A necrose do osso e a destruição do tecido mole tornam 
essa forma de osteomielite difícil de tratar. 
Osteomelite por contiguidade: 
AMANDA GARCIA 2021 
 
Trauma – Ossos longos: Staphylococcus aureus, 
Streptococcus sp., Haemophilus sp. 
Etiologia: Sítios anatómicos e micro-organismos mais 
frequentes em relação ao quadro clinico: 
 
Anemia falciforme – Múltiplos: Salmonella sp., 
Staphylococcus aureus, Streptocccus pneumoniae 
Trato urinário – Vertebras: bacilos Gram-negativos, 
Streptococcus sp., Enterococcus sp. 
Infecção de pele – Vertebras: Staphylococcus aureus, 
Streptococcus sp. 
Trato respiratório – Vertebras, Quadril, Joelho: 
Streptococcus sp., Mycobacterium tuberculosis 
Cateteres vasculares, Usuários de drogas – Vertebras, 
pélvis, clavícula: bacilos Gram-negativos, 
Staphylococcus sp., Candida sp. 
Imunodeficiência – Múltiplos: Fungos, Mycobacterium 
sp. 
Endocardite – Vertebras: Staphylococcus aureus, 
Streptococcus sp. 
Fraturas– Local da fratura: Staphylococus aureus, 
Staphylococcus epidermidis, bacilos Gram-negativos 
Prótese articular – Prótese: Staphylococcus 
epidermidis, Staphylococcus aureus 
Ulceras de pele – Pé, perna: Staphylococcus sp., 
Streptococcus sp., bacilos Gram-negativos, anaeróbios 
 Diagnóstico 
História clínica e sintomas 
Exames laboratoriais 
Hemograma (Aumento do nível de leucócitos) 
Velocidade de hemossedimentação (VHS, 
Aumento de 92%) 
Proteína C reativa (PCR, Aumento de 98%) 
Cultura 
Exames de imagem: RX / Cintilografia / RNM / TC / 
USG 
INFECÇÕES ARTICULARES (ARTRITE INFECCIOSA OU SÉPTICA) 
 
-Via hematogenica: Bacteremia (infecções das vias 
áreas superiores, da pele, trato gastrointestinal). 
-Inoculação direta: Articulação invadida por um objeto 
contaminado (punção). Considerar infecções 
polimicrobianas. 
-Contiguidade: Osteomielite dos RN e lactentes jovens 
 Fisiopatogenia: 
Membrana sinovial altamente vascularizada e ausência 
de membrana basal 
-Facilidade para a bactéria atingir o líquido 
sinovial (fluido sinovial ou sinóvia) durante 
bacteremia 
 
 Sítios de infecção 
Joelho (53%) 
Quadril (20%) 
Ombro (11%) 
Punho (9%) 
Tornozelo (8%) 
Cotovelo (7%). 
 
 Diagnostico: 
Histórico 
Caracterização da dor (constante) 
Uso recente de ATB (mascara clínica) 
AMANDA GARCIA 2021 
Doença concomitante ou recente 
Vacinação (Rubéola) 
Exame físico 
Mantém a articulação em uma posição que 
maximiza o conforto 
Examina todas as articulações, se mais de 1 
envolvida provavelmente será outra artropatia 
Sinais flogísticos na articulação envolvida 
Diminuição da amplitude de movimento 
Exames laboratoriais 
Hemograma completo 
Velocidade de hemossedimentação (VHS), 
Proteína C reativa (PCR) Utilizados para 
avaliar o curso da doença e a resposta ao 
tratamento 
Cultura do liquido sinovial (diagnóstico 
definitivo) 
 
Exames de imagem 
RX 
Alargamento do espaço articular 
Ao analisar as radiografias, comparar a 
extremidade envolvida com o lado oposto 
USG 
Derrames articulares 
Cintilografia 
Diagnóstico precoce 
Suspeita de osteomielie 
RNM 
Mais sensível para derrame articular

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.