A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
11 pág.
Contracepção hormonal e não hormonal

Pré-visualização | Página 1 de 2

Introdução: 
 A taxa de gestação não-planejada no mundo é de 41%; 
 No Brasil, são 40% de gestações não-planejadas. 
 
 Em geral, metade das mulheres que tem uma gestação 
não planejada estava em uso de algum método moderno 
(pílula, injeção ou preservativo). 
Impacto de uma gravidez não planejada: 
Para a criança: 
 Aumenta a chance de prematuridade; 
 Aumenta a chance do bebê nascer com baixo peso; 
 Aumenta o risco da criança morrer no primeiro ano de 
vida. 
Para a mãe: 
 Aumenta a chance de ter complicações na gravidez 
(parto prematuro); 
 Diminui a adesão ao pré-natal; 
 Aumento o risco de mortalidade materna. 
 
Objetivos do planejamento familiar: 
 Promover a vivência da sexualidade de maneira segura e 
saudável; 
 Controlar a fecundidade segundo o desejo do casal; 
 Preparar para a maternidade e paternidade 
responsáveis; 
 Reduzir a mortalidade e morbidade materna, perinatal e 
infantil; 
 Reduzir a incidência das DSTs e suas consequências, 
principalmente a infertilidade; 
 Melhorar a saúde e o bem estar dos indivíduos da família. 
Métodos contraceptivos: 
 
 
Conceito: administração de progestagênios isolados ou 
associados a estrogênios, com a finalidade de impedir a 
concepção. 
Classificação: 
 Pela composição e via de administração: 
 
 
 
 
 
 
Mecanismo de ação: 
 
Progestagênio: 
 Inibição da secreção de LH  inibe ovulação; 
 Alteração da composição do muco  muco hostil para 
ascensão de espermatozoides; 
 Atrofia das glândulas endometriais (o endométrio fica 
bem fino)  impede a implantação; 
 Alterações da peristalse e secreção das tubas  
impede o transporte do oócito/embrião. 
Estrogênio: 
 Inibição da secreção de FSH; 
 Potencializa a ação do progestagênio, inibindo a formação 
do folículo dominante; 
 Mantém o padrão de sangramento cíclico; 
 É importante ressaltar que ele não inibe a ovulação, 
porém ajuda a progesterona a inibir a formação do 
folículo dominante. 
Os contraceptivos hormonais são eficazes? 
 São, porém o que muito se acontece é a gravidez não 
planejada devido ao uso incorreto de métodos 
contraceptivos; 
 
Benefícios não-contraceptivos comprovados: 
  dismenorreia; 
  distúrbios menstruais; 
  acne, hirsutismo; 
  TPM; 
  dor e proliferação (endometriose); 
  câncer de ovário (20%), endométrio (50%) e cólon; 
  Doença Inflamatória Pélvica (DIP); 
  anemia ferropriva; 
  gestação ectópica (o DIU e os progestagênios isolados 
também). 
Evidências: 
 Apesar de ainda inconclusivas, o contraceptivo hormonal: 
Não aumenta o risco para câncer de mama OU aumenta 
pouco. 
 
Efeitos adversos gerais: 
Estrogênio: 
 Náuseas; 
 Vômitos; 
 Enxaqueca; 
 Mastalgia; 
 Irritabilidade; 
 Edema; 
 Cloasma; 
 Trombose. 
Progesterona: 
 Aumento de apetite; 
 Acne e oleosidade da pele; 
 Sangramento irregular (progesterona isolada) 
 Edema; 
 Depressão. 
Risco de trombose na mulher em idade fértil: 
 < 5 em 100.000 mulheres. 
 
 
 O contraceptivo combinado aumenta em 4x o risco de 
trombose na mulher em idade fértil; 
 É importante ressaltar o quanto esse risco é aumentado 
nas mulheres em puerpério. 
Contraceptivos combinados: 
 
1. Pílula combinada: 
Composição: 
 
Classificação em gerações: 
 
Classificação quanto à dosagem: 
 
Classificação quanto à composição e dose: 
 
Redução da dose de estrogênios: 
Doses de estrogênio < 50 mcg x doses > 50 mcg: 
 Redução de efeitos gerais estrogênicos nas doses 
menores; 
 Redução de efeitos metabólicos graves (AVC, trombose 
venosa); 
 Sem redução da eficácia (não há diferença na eficácia 
entre doses baixas e altas). 
Entre doses de estrogênio em 33, 30, 20 e 15 mcg: 
 Redução de efeitos gerais estrogênicos; 
 Sem redução de efeitos metabólicos graves. 
Quando começar a usar a pílula combinada? 
 Até o 5° dia do ciclo: sem necessidade de método 
adicional (já estará protegida neste ciclo); 
 Após o 5° dia do ciclo: ter certeza que ela não está 
grávida e usar método adicional por 7 dias (preservativo, 
abstinência, coito interrompido, espermicida); 
 Prefira o preservativo ou abstinência. 
Forma de uso: 
 
- Cíclica: 
 
 
- Contínua: 
 
Esqueceu a pílula, o que fazer? 
- 1 pílula: 
 Tomar a pílula o mais rápido possível; 
 Pequeno ou nenhum risco de gestação; 
 Sem necessidade de método adicional. 
- 2 ou mais pílulas: 
 Tomar a pílula o mais rápido possível; 
 Usar método adicional por 7 dias; 
 Se relação sexual nos últimos 5 dias, usar contracepção 
de emergência; 
 Se for na última cartela pode orientar não fazer pausa 
entre as cartelas. 
2. Anel vaginal: 
 Nuvaring; 
 Estrogênio + progesterona; 
 Via: vaginal; 
 Uso durante 3 semanas e pausa de 1 semana; 
 Vantagem: menor falha por esquecimento; 
 Efeitos adversos: leucorreia (aumento da secreção 
vaginal); 
 Outra grande vantagem é que quando se usa métodos 
combinados e se tem espace, ao mudar para o anel 
vaginal há melhora desse sangramento. 
 
3. Adesivo: 
 Estrogênio + progesterona; 
 Via: transdérmica; 
 Uso durante 3 semanas e pausa de 1 semana; 
 Efeitos adversos semelhantes a via oral; 
 Não reduz risco de trombose em relação à pílula oral. 
 
Progestagênios isolados: 
1. Pílula de progesterona (oral): 
 Uso contínuo; 
 Padrão de sangramento variável; 
 Não aumenta o risco de trombose; 
 Falha de 9 em 100 mulheres (desogestrel). 
 
 
2. Injetável trimestral: 
 Acetato de medroxiprogesterona (AMPD) 150 mg; 
 Via: intramuscular; 
 Vantagem: não aumenta risco de trombose; 
 Efeitos indesejáveis: 
- Atraso no retorno a fertilidade (até 1 ano); 
- Ganho de peso; 
- Queda de cabelo; 
- Sangramento irregular; 
- Redução da massa óssea temporária (reversível com a 
descontinuação). 
 
3. Dispositivo intrauterino de progesterona: 
 DIU-LNG ou SIU-LNG; 
 Dispositivo em forma de T com liberação de 
levonorgestrel diária; 
 Duração até 5 anos; 
 Parte mínima do hormônio é absorvida pelo organismo 
(25 a 50% apenas das pacientes apresentam 
anovulação); 
 Mecanismo de ação: crescimento endometrial reduzido, 
muco cervical se torna hostil e função, motilidade e 
capacitação espermática são afetados. 
 
 Efeitos colaterais: 
- Sangramento irregular ou spotting nos primeiros três a 
cinco meses; 
- Cefaleia; 
- Depressão; 
- Acne, mastalgia, ganho de peso (menos comum). 
 Benefícios: 
- Redução do volume do sangramento; 
- Redução da dismenorreia; 
- Retorno rápido à fertilidade; 
- Não aumenta risco de trombose. 
 
4. Implante de progesterona: 
 Implanon; 
 Via: subdérmica; 
 Duração: até 3 anos; 
 Vantagens: melhora da TPM, diminuição da dismenorreia 
e do fluxo menstrual; 
 Desvantagens: custo, exige profissional habilitado para 
sua colocação, sangramento irregular. 
 
 
Contraindicações ao uso dos contraceptivos hormonais: 
 
 
 Só existem duas contraindicações absolutas aos métodos 
de progestagênio (categoria 4 da OMS): Câncer de 
mama atual e gestação. 
 
 
 Métodos comportamentais; 
 Métodos de barreira; 
 Método químico; 
 Método da amenorreia lactacional; 
 Dispositivo intrauterino; 
 Métodos cirúrgicos. 
Eficácia da anticoncepção não hormonal: 
 
Métodos comportamentais: 
 Baseiam-se na abstinência sexual periódica, a partir da 
percepção de sinais e sintomas característicos aos dias 
férteis; 
 Coito interrompido – coitus interruptus (retirada): é um 
dos métodos comportamentais mais comumentes usados. 
Mesmo para o uso típico, funciona tão bem quanto 
muitos métodos de barreira femininos; 
 Abstinência periódica. 
 
1. Abstinência periódica: 
 Método de Ogino-Knaus ou Tabelinha ou método rítmico; 
 Apenas para ciclos regulares; 
 
 
2. Abstinência periódica: 
- Temperatura basal: 
 Registrar temperatura na boca pela manhã diariamente; 
 Após ovulação ocorre

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.