Buscar

APOSTILA - INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Você viu 3, do total de 4 páginas

Faça como milhares de estudantes: teste grátis o Passei Direto

Esse e outros conteúdos desbloqueados

16 milhões de materiais de várias disciplinas

Impressão de materiais

Agora você pode testar o

Passei Direto grátis

Prévia do material em texto

Introdução ao Estudo do Direito: 
 1) CONCEITO: 
 ● Conjunto de normas gerais e positivas que regulam a vida em sociedade. 
 2) DIREITO POSITIVO E DIREITO NATURAL: 
 ● Direito Positivo: ordenamento jurídico em vigor em determinado Estado e 
 época. 
 ● Direito Natural: ideia abstrata do direito, correspondendo à uma justiça 
 superior. 
 3) DIREITO OBJETIVO E DIREITO SUBJETIVO: 
 ● Direito Objetivo: conjunto de normas impostas pelo Estado, de caráter geral, 
 cuja violação resulta na aplicação de uma sanção ( norma agendi ). 
 ● Direito Subjetivo: permissão dada por meio da norma jurídica para exercer ou 
 não determinado direito ( facultas agendi ). 
 4) DIREITO PÚBLICO E DIREITO PRIVADO: 
 ● Direito Público: regula as relações do Estado com outro Estado e do Estado 
 com seus cidadãos. 
 ● Direito Privado: disciplina as relações entre os indivíduos particulares. 
 5) TEORIA DOS CÍRCULOS E MÍNIMO ÉTICO: 
 ● Teoria dos Círculos Concêntricos (Jeremy Bentham): os dois círculos seriam 
 concêntricos, com o maior pertencendo à Moral -> o Direito se subordinaria à 
 Moral. Teoria dos Círculos Secantes (Du Pasquier): Direito e Moral possuem 
 uma faixa de competência comum e, ao mesmo tempo, uma área particular 
 independente. 
 ● Visão Kelseniana (Hans Kelsen): concebeu os dois sistemas como esferas 
 independentes -> a norma é o único elemento essencial ao Direito, cuja 
 validade não depende de conteúdos morais. 
 ● Teoria do Mínimo Ético (Jellinek): consiste na ideia de que o Direito representa 
 o mínimo de preceitos morais necessários ao bem-estar da coletividade. 
 6) HISTÓRIA DO DIREITO: 
 ● O direito é um fenômeno histórico. 
 ● Código de Hamurabi: art. 196 e art. 197 -> Lei de Talião (a pena que você vai 
 sofrer é igual ao crime que você praticou). 
 ○ O Código de Hamurabi foi um dos primeiros códigos de leis escritos da 
 humanidade. 
 ● As sociedades do passado são “pré-capitalistas”: escravismo e feudalismo -> 
 direito incidental (não tem relevância). 
 ● Transição do pré-capitalismo para o capitalismo: ascensão da burguesia na 
 Europa com uma nova forma de arranjo do trabalho. 
 ● Capitalismo: nova modalidade de organização social -> a subjetividade 
 jurídica passa a ser fundamental (as vinculações e coerções morais e 
 religiosas persistem até a atualidade mas com algumas alterações). 
 ● Idade Contemporânea: o direito vai tomando uma forma social (as pessoas 
 passam a agir mediante vínculos contratuais). 
 7) TEORIA TRIDIMENSIONAL DO DIREITO: 
 ● Criada pelo jurista Miguel Reale. 
 ● Para que um fato seja considerado jurídico, deve necessariamente possuir 
 três elementos básicos: 
 ○ Fato: ocorrência de um fato social. 
 ○ Valor: bem jurídico tutelado pelo Estado. 
 ○ Norma: leis que existem para regular a vida em sociedade. 
 ● A tridimensionalidade explica que os fatos geram juízos de valores que 
 demandam normas para regulamentá-los. 
 8) NORMA JURÍDICA: 
 ● Miguel Reale: célula do organismo jurídico. 
 ● Características: 
 ○ Bilateralidade. 
 ○ Generalidade. 
 ○ Imperatividade. 
 ○ Abstratividade. 
 ○ Coercibilidade. 
 9) PRINCÍPIOS E REGRAS: 
 A) CONCEITO: 
 ● Espécies de normas. 
 ● Princípios: valores basilares da ordem jurídica, permitindo maior participação 
 do intérprete na aplicação do direito (multiplicidade interpretativa). 
 ● Regras: normas que impõem, permitem ou proíbem determinadas condutas 
 (mais objetivas). 
 ● Uma ordem jurídica democrática e eficiente deve trazer em si o equilíbrio 
 necessário entre princípios e regras. 
 B) CONFLITO ENTRE REGRAS: 
 ● Duas regras não podem ser aplicadas ao mesmo caso concreto, devendo 
 valer uma ou outra (tudo ou nada). 
 ○ Formas de solução: 
 ■ Critério hierárquico: a norma hierarquicamente superior prevalece 
 sobre a norma inferior. 
 ■ Critério cronológico: a norma posterior prevalece sobre a norma 
 anterior. 
 ■ Critério da especialidade: a norma especial prevalece sobre a 
 norma geral. 
 C) CONFLITO ENTRE PRINCÍPIOS: 
 ● Não há hierarquia entre princípios, uma vez que estes coexistem. 
 ● Em caso de conflito entre princípios, não haverá declaração de invalidade de 
 qualquer um deles, devendo um prevalecer sobre o outro conforme o peso 
 que assumirem no caso concreto, não podendo, portanto, ser resolvido em 
 abstrato.

Outros materiais