A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Propedêutica reumatológica

Pré-visualização | Página 1 de 1

Maria Luiza Maia – M5 
2022 REUMATOLOGIA 
 Propedêutica reumatológica. 
INTRODUÇÃO 
 A probabilidade de existir uma doença reumatoló-
gica gera uma das consultas de maior duração na 
clínica 
 Maior parte as doenças reumatológicas tende 
a desencadear um acometimento sistêmico 
 Vários geradores de queixas musculoesquelé-
ticas -> exame físico geral e do SOA minucio-
sos 
ANAMNESE 
ID 
 Idade, sexo, etnia, profissão, procedência 
HDA 
 Dor é a principal queixa 
 Localização, duração, início e evolução, irradi-
ação, intensidade, qualidade, sinais e sintomas 
associados, fatores desencadeantes, agra-
vantes e de alívio, repercussão e tratamen-
tos feito (decálogo da dor) 
1. Característica da dor – caráter pares-
tésico, choque ou quimação (neurite), em 
aperto, em fisgada (muscular), profunda 
ou pontada (óssea) e inespecíficas e de 
fácil localização (óssea) 
2. Extensão da dor – monoarticular, mo-
nossegmentar, regional (LER e artropa-
tias inflamatórias monoarticulares), oligo-
articular (até 4 articulações) e poliarti-
cular (> 4 articulações) 
 Rigidez articular que é a diminuição TEMPORÁRIA 
da mobilidade da articulação afetada 
 Aparece após repouso prolongado da articu-
lação 
 Protocinética (osteoartrite), início ao acordar 
e com duração de pelo menos 1 hora (artrite 
reumatoide) 
 Perda de amplitude articular 
 Fraqueza – perda da força muscular que pode 
ser avaliada objetivamente 
 Fadiga é a falta de energia 
IS 
 Sintomas constitucionais (são aqueles inespecífi-
cos que atingem diferentes órgãos e comuns a 
diversas doenças) – considera-se o início, as es-
truturas envolvidas, a localização, o cronograma, 
a intensidade, o impacto funcional, outros sinto-
mas associados, o curso, fatores de melhora e 
piora, manifestações associadas e resposta ao 
tratamento prévio -> hipótese diagnóstica e diag-
nósticos diferenciais 
 Sintomas cutâneos – prurido, ardor local, dor lo-
cal, fotossensibilidade, rash malar, espessamento 
cutâneo, fenômeno de Raynaud e úlceras 
 Sintomas neurológicos – cefaleia, vertigem, sín-
cope, crises convulsivas, paralisias 
 Sintomas oftalmológicos – dor ocular secundária 
a uveíte, olhos secos, déficit de visão ou escoto-
mas, hiperemia ocular 
 Sintomas otorrinolaringológicos – secreção puru-
lenta, epistaxe, inflamação da cartilagem auricu-
lar, hipoacusia 
 Sintomas orais – aftas, úlceras indolores, paroti-
dite de repetição e xerostomia 
 Sintomas cervicais – cervicalgia que pode ter di-
ferentes diagnósticos diferenciais a depender do 
paciente que se trata 
 Sintomas cardiovasculares – claudicação dos 
membros, tromboflebite, dor torácica, hemoptise 
 Sintomas respiratórios – dispneia, antecedentes 
de asma 
 Sintomas gastrintestinais – pirose, disfagia, san-
gramento do TGI, alterações do ritmo intestinal, 
retocolite ulcerativa, dor abdominal 
 Sintomas genitourinários – hematúria macroscó-
pica, urina espumosa (indício de proteinúria), 
Maria Luiza Maia – M5 
2022 REUMATOLOGIA 
poliúria, lesões penianas e vulvovaginais, dores 
testiculares, dispareunia e secura vaginal 
 Sintomas psiquiátricos – ansiedade, depressão, 
variação de humor e de capacidade cognitiva 
AP 
 Hábitos alimentares 
 Atividade profissional 
 História obstétrica 
 Medicações em uso e utilizadas previamente 
EXAME FÍSICO GERAL E DO APARELHO 
LOCOMOTOR 
Exame físico geral 
 Avaliação dos sinais vitais 
 Avaliação sistemática dos órgãos-alvo 
Exame do aparelho locomotor 
 Avaliação completa da área dolorosa 
 Avaliação global da postura do paciente, do equilí-
brio, da marcha e do tônus do tronco 
 Exame comparativo e iniciado com estruturas as-
sintomáticas 
 
 Paciente em pé 
 Inspeção geral 
 Grau de expansão torácica, flexibilidade da co-
luna (teste de Schober) e presença de ente-
sites 
 
 Grau de amplitude e movimento dos membros 
 Marcha do paciente 
 Avaliação dos pontos de gatilhos 
 Paciente sentado 
 Coluna cervical 
 Articulação temporomandibular 
 Força muscular dos membros superiores 
 Movimentos e alterações dos compartimen-
tos articulares 
 Presença de crepitações 
 Decúbito dorsal 
 Articulações do compartimento posterior da 
perna 
 Grau de força dos membros inferiores 
 Sinais de compressão do nervo ciático (teste 
de Lasègue) 
https://youtu.be/rzndCc1HiUk

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.