A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
5 Desconsideração da personalidade jurídica

Pré-visualização | Página 1 de 1

Desconsideração da personalidade jurídica
Desconsideração no Código civil (art. 50, CC)
-> A desconsideração para que os sócios respondam pela obrigação da pessoa jurídica em determinadas situações.
-> Requisitos para desconsideração: Existência de confusão patrimonial ou por desvio de finalidade da empresa.
-> Quem pode solicitar: A parte ou o MP. Não pode desconsiderar de ofício.
-> Aplicação da teoria maior: Teoria mais ampla, uma vez que possui requisitos extremamente específicos para que ocorra desconsideração. Aqui também se encaixa a lei do CAD e a lei de anticorrupção.
Desconsideração no CDC (art. 28)
-> Requisitos para desconsideração (não cumulativos): Abuso de direito, excesso de poder, infração da lei, fato ou ato ilícito, violação dos estatutos ou contrato social, falência, estado de insolvência, encerramento ou inatividade da pessoa jurídica provocados por má administração e em caso de inadimplência perante o consumidor.
-> Em tese, o juiz poderia desconsiderar de ofício, porque não há exigência de que a parte requeira. Há discussão doutrinária a respeito.
-> Aplicação da teoria menor: Não há um requisito específico, um simples inadimplemento já é o suficiente para desconsiderar. Também é adotada pelo direito ambiental (lei 9.605/98, art. 4º).
-> Em caso de sociedades integrantes de grupos societários/grupos econômicos, tais grupos são subsidiariamente responsáveis pelas obrigações. 
-> As empresas consorciadas respondem solidariamente.
-> As sociedades coligadas só responderão se agirem com culpa, pois elas não têm poder de gestão sobre a outra empresa, é apenas uma acionista.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.