A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Protocolos de Autoavaliação Vocal - QVV, PPAV, IFV, IDV-10, ESV, EDTV e PEED

Pré-visualização | Página 1 de 1

Protocolos de
Autoavaliação
Vocal
@projetofonoo@projetofonoo
@projetofonoo@projetofonoo
O QUE É AUTOAVALIAÇÃO VOCAL?
- é a percepção do paciente sobre a própria voz, ou
seja, o paciente não é só analisado, mas participa
também da avaliação;
- vem antes da avaliação do fonoaudiólogo;
IMPORTÂNCIA?
- saber o que o paciente pensa, trazer consciência,
percepção de melhora do paciente (antes e depois da
atuação); é subjetiva;
- traz dados do estado emocional, físico, funcionais;
- problema vocal: envolve uma dimensão de aspectos
a serem entendidos individualmente em cada paciente
(personalidade, condições psicológicas, entre outros)
 (De Vet et al., 2011);
- autopercepção dos indivíduos em relação à voz;
- usadas em população geral e grupos específicos
- auxilia na compreensão dos aspectos envolvidos
da disfonia;
PROTOCOLOS
- questionário ou entrevista;
- PROMs - paciente mensura a própria voz;
- abordam perspectivas do paciente em 2 dimensões:
1. estado de saúde/sintomas;
2. qualidade de vida;
*verificar como o individuo percebe o impacto do
agravo ou doença nas condições gerais/específicas de
saúde;
*verificar como percebe o impacto do agravo em
aspectos sociais, funcionais e psicológicos da QV
(Moreti, Pernambuco e Silva, 2019);
PROTOCOLOS DE AVALIAÇÃO VOCAL
PROTOCOLOS OBJETIVOS
- triar/rastrear distúrbios vocais;
- investigar prevalência de distúrbios vocais;
- avaliar o impacto de um distúrbio vocal;
- investigar a relação entre diferentes dados da
avaliação multidimensional da voz;
- investigar padrões de voz e qualidade de vida de
grupos específicos;
- pode ser usada para avaliar os efeitos de uma
intervenção;
*em parâmetros gerais ou específicos;
- comparar efeitos de diferentes intervenções;
- avaliar a progressão de patologias de base que
envolvem os distúrbios vocais;
(Moreti, Pernambuco e Silva, 2019);
PROTOCOLOS BÁSICOS
 QVV - Qualidade de Vida em Voz;
 IDV-10 (versão reduzida do IDV-30) - 
 PPAV
 ESV
PRÁTICA
paciente responde e avalia de 0 a 5;
contabiliza a quantidade do impacto da qualidade
vocal tem na vida do paciente;
1. QVV
@projetofonoo@projetofonoo
- 10 questões
- cálculo
*slide > a primeira fórmula deve ser desconsiderada
*quanto mais próximo de 0, pior o impacto da voz
na qualidade de vida; quanto mais próximo de 100,
melhor;
*anotação de relatório: qual o escore total. (ex:
QVV escore sócio emocional = 56,25); 
 
*após isso, consultar o parâmetro dos escores de
cada item (valores de vozes saudáveis e
disfônicos);
→ escore total (1 a 10 → soma a pontuação de um
dos itens);
- 100 (escore bruto - 10) x 100 / 40
 
*40 → seria 50 pontos - 10 questões
*escore bruto: soma da pontuação do paciente
*100 é o total
→ escore do domínio sócio-emocional (4, 5, 8 e 10)
- 100 (escore bruto - 4) x 100 /16
→ escore do funcionamento físico (1,2,3,6,7 e 9)
- 100 (escore bruto - 6) x 100 / 24
PPAV
dois escores adicionais:
*PRECISA DE RÉGUA - vai de 0 a 10 cm;
*quanto mais próximo do 0, mais normal a voz é;
*marcado pelo paciente sem a régua;
*o fono vem com a régua e mede a marcação que o
paciente fez;
*em cada tema do protocolo, são feitas somas de
todos os números medidos;
*máximo escore total: 280 pontos 
*efeitos no trabalho: 40
*dimensão na comunicação diária: 40
*efeitos na emoção: 70
*comunicação diária, questões 2, 6 e 18 - calculo PRP
somar pontuação
*consultar a tabela de pontuações: quanto mais
próximo de 0, melhor;
IDV-10
*fala de desvantagem vocal;
*somatória simples para o valor total;
- nota de corte: 7,5 pontos (se menor que isso, o
paciente não tem desvantagem vocal)
- máximo: 40 pontos
ESV
*formato questionário;
*somatória simples
*total: 120 pontos
*somar questões do Total (120), Limitação (60),
Emocional e Físico; cada uma tem um valor
máximo somado nas questões;
@projetofonoo@projetofonoo
EDTV
paciente exemplo:
total: 83
limitação: 40
emocional: 22
físico: 21
*fadiga
*investiga o cansaço vocal;
 
→ 19 questões em 3 categorias:
1. fadiga e restrição vocal
2. desconforto físico associado à voz
3. recuperação com repouso vocal
→ escore geral para cada subitem, ou seja por
fator;
1. 44 pontos;
2. 20 pontos;
3. 12 pontos;
*quanto maior 1 e 2 maior é a fadiga relacionada
ao fator
*no subitem 3 quanto maior a pontuação maior a
recuperação da fadiga;
escore > 16 pontos;
limitação: > 6,5;
físico: > 1,5;
- o menos afetado é o de limitação, comparando os
pontos do paciente com o máximo de pontuação; mas
todas as pontuações estão acima da nota de corte;
 
*nota de corte do protocolo: 
→ totais indivíduos com disfonia - 
IFV
*sem somatória ou mensuração;
 
*considera-se o repouso e não enquanto usa a
voz; é a análise da voz no dia a dia;
 
*objetivo: analisa o filtro e não a fonte;
 
*paciente marca com um círculo, a frequência e
intensidade das sensações/sintomas;
*caso o paciente marque no 0 na frequência, ele
não poderá marcar a intensidade;
 
- podem ser resultado de esforço à fonação;
 
- graus: 0 - nunca/nenhuma e 6 - sempre/extrema;
PEED
*estratégias de enfrentamento da disfonia, ou seja,
como as pessoas lidam com os problemas de voz;
*o paciente circula as pontuações;
*somatória simples;
 
*foco no problema: 10 questões;
2,4,7,8,11,13,14,24,25,26
 
*foco emoção: 17 questões -
1,3,5,6,9,10,12,15,16,17,18,19,20,21,22,23,27
 
*media pra disfônicos: 51,8;
*media para população sem disfonia: 23,1;
*escore total possível: 27 questões x 5 pontos =
135 pontos;
 
- pacientes que tem muito foco na emoção tende a
não fazer direito os exercícios passados e precisa
de mais consciência;
- foco no problema: paciente tende a ser mais
aberto;
- quando é muito baixa da população sem
disfonia, significa que o paciente não está
enfrentando ou arranjando meios de enfrentar a
disfonia; é difícil resolver o problema caso o
paciente não tenha um foco específico;

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.