A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
29 pág.
RESUMO A1 E A2 CLINICA DE SILVESTRES

Pré-visualização | Página 1 de 5

05/08
Animais selvagens não foram selecionados pelo comportamento e pela genética pelos
seres humanos.
Fauna doméstica: possui genética diferente das espécies de vida livre, foram selecionadas
com o passar do tempo pelo Homem
Fauna silvestre: mesma genética de espécies de vida livre, sem alteração genética.
1. Nativa: vive pelo menos uma parte de sua vida no Brasil
2. Exótica: não passa nenhum ciclo de vida no Brasil.
*Mesmo se foi adicionado pelos seres humanos, continua exótico. Ex.:
Sinantrópicos: ou pragas, animais nativos ou exóticos que convivem em sinergia com seres
humanos. Ex.: pombo, barata, rato.
Em aves, a anilha de identificação é obrigatória, já o microchip não. A nota fiscal é o
documento que comprova que o animal é legal e seu.
12/08
19/08
Anatomia de Aves
As penas são responsáveis pela proteção térmica (eriçar penas), auxiliar o voo,
identificação de machos e fêmeas/dimorfismo sexual (em algumas espécies), camuflagem
(algumas espécies) e proteção contra água (impermeabilidade, glândula uropigiana produz
uma secreção oleosa, e a ave passa ela pena por pena).
apteria=área sem pena
alteração de coloração (não eram pra ser amareladas), penas opacas, falhas no
crescimento/apteria e penas com formato alterado/distróficas.
*O circovírus é um vírus que causa, dentre os sinais clínicos, distrofia de penas.
Dimorfismo sexual
Nem todas as aves têm diferença na forma, então se utiliza leitura do material genético para
diferenciar.
Cálamo (a)
Raqui (linha vermelha)
Bárbula (c)
Canhão=cálamo+raqui (parte mais dura da pena)
Penas de contorno (área azul): as de maior abundância. mantém a aerodinâmica do
animal, proteção e temperatura.
*para saber se a ave está acima do peso, apenas com peso e palpação da musculatura
peitoral. a quilha faz parte do esterno, e é por ela que a gente se guia para palpar a
musculatura. Um bom ECC não permite que você sinta a quilha.
ECC 3 é o ideal.
escore 1,5
Plumas (não são penas): mantém a temperatura. elas não devem ser vistas em animais
adultos.
Penas de voo: Rémiges (penas das asas, divididas em primárias/carpo metacarpo e
secundárias/ulna) e Rectrizes (penas da cauda/pigóstilo).
são as maiores e as mais complexas, precisam ser muito fortes para aguentar todo o vento
e muito bem presas e firmes, por isso existe uma ligação íntima com o periósteo através de
ligamentos.
*penas jovens têm vasos sanguíneos, depois de formada ela não tem mais vaso (pq é
tecido queratinizado, morto).
A muda depende muito da espécie, pinguins tem muda mais rápida e papagaio mais longa,
por exemplo. Mas em média de uma a duas mudas por ano. Alteração na duração da muda
pode estar relacionada à nutrição e na frequência pode estar relacionada ao manejo.
Penas de sangue são penas em crescimento. Quando arrancadas, demoram 2 semanas
para crescerem novas. Já quando cortadas, só crescerão na próxima muda.
Quando as penas de sangue são fraturadas, deve-se arrancar essas penas para não
ocasionar hemorragias e possíveis infecções decorrentes disso.
1. pra que serve o corte de asas? Para evitar fuga (não impede 100% o voo, pois ela
plana), adestramento (torna ela mais “mansa”, porém é o pior tipo de adestramento)
e acidentes/machucados (não evita 100%, porque a chance de pisar nas aves é
grande).
2. todas as aves devem ter as asas cortadas? por que? não, porque a ave não tem pra
onde fugir, causa dependência com o tutor para se locomover, aves que não voam
tem problema cardiovascular, osteoporose em fase avançada por falta de exercício e
sedentarismo.
3. dói? não dói se feito de maneira correta
4. quanto tempo demora para crescer as penas novamente? na próxima muda.
Corte de asas
Conta as três primeiras primárias, pula elas, e corta as nove seguidas no cálamo.
a área em vermelho são as penas de contorno, e elas não devem ser cortadas.
A pena nos diz se o animal está em muda, se existe presença de ectoparasitas (ácaro de
pena), como está a nutrição, se tem lesão por estresse.
26/08
Narinas são fixas, situam-se acima do bico e podem ser rodeadas por penas; Nas aves a
epiglote está ausente (tomar muito cuidado com falsa via, não é possível forçar alimentação
e evitar medicação líquida), e a laringe não possui cordas vocais nem desempenham papel
algum na vocalização. Traqueia localiza-se do lado esquerdo e contém anéis cartilaginosos
completos (360°). Siringe localiza-se na bifurcação caudal da traquéia e produz vocalização
por meio de vibrações;
coana em cima e traqueia em baixo.
Pulmão é rígido e fixado na região tóraco-dorsal, ele não infla e nem desinfla (quem controla
a respiração são os sacos aéreos). não existem alvéolos (formato de saco cego), e sim
parabrônquios (formato tubular).
Sacos aéreos: não fazem trocas gasosas, eles aumentam a capacidade volumétrica do
sistema respiratório, tem epitélio simples, não estratificado com algumas células ciliadas e
secretoras.
1ª inspiração: entra na traqueia e vai pros sacos aéreos caudais, 2ª expiração: dos sacos
aéreos caudais para o pulmão, acontece as trocas gasosas, 2ª inspiração: ar sai dos
pulmões e vai pros sacos aéreos craniais, 2ª expiração: dos sacos aéreos craniais para fora
do organismo.
flui num sistema de contra fluxo, que aumenta a eficiência das trocas gasosas.
Auscultação em toracodorsal para pulmão e abdominal para os sacos aéreos.
Anestesia: se não conseguir canular a traqueia (ex. por motivos de obstrução) pode-se
canular direto o saco aéreo abdominal (máximo de tempo é 7 dias pois há risco de infecção,
já que não tem a filtração do trato respiratório superior). Em casos de pneumonia, não
adianta canular o saco aéreo, pois o ar está entrando pela traqueia.
Os ossos pneumáticos tem sacos aéreos dentro deles, sendo os principais: úmero e
fêmur. Em casos de fratura exposta desses ossos, é importante analisar o pulmão em busca
de pneumonia.
A via intraóssea é importante em emergências, pois são mais fáceis de canular que as veias
e a absorção de fármacos no espaço intra ósseo é igual ao do sistema circulatório, porém
dói demais (anestesiar ou bloqueio local). *tomar cuidado para não pegar acesso
intraósseo em ossos pneumáticos pq vai pro sistema respiratório. fazer acesso na ulna e no
tíbio-tarso .
Na coleta, a veia é muito fina e a pele é elástica (veia basílica, jugular, társica e veia ulnar).
02/09
Ossos trabeculados: tem pequenas pontes de cálcio dentro dele, que fazem com que o
osso tenha firmeza. Ele é mais leve que o dos mamíferos, auxilia no voo.
Fêmur (pneum.), tibiotarso (trab) e tarsometatarso (trab). A contagem dos dígitos se faz de
caudal para cranial e medial para lateral.
O sinsacro é uma fusão dos ossos: sacro, ílio, ísquio e vértebras sacrais (logo não há
acesso a nenhum espaço intervertebral). Na fossa do sinsacro, o rim está aderido.
Úmero, rádio ,ulna (é maior que o rádio), carpometacarpo e dígitos.
Ossos ligados a parte de voo: coracoides e clavículas ou fúrculas.
Escápulas (paralela a coluna vertebral).
A língua é diferente em cada espécie de ave. Tucano: queratina e pouco móvel, não tem
função de deglutição. Arara: formato de dedão, muscular e tem destreza.
Esôfago e inglúvio: inglúvio ou papo é uma expansão do esôfago para armazenar alimento,
permite que ele ingira grandes quantidades de alimento de uma vez (cuidado com o papo
cheio na contenção porque ele dificulta ou impede a coleta de sangue na jugular e se
contido de maneira errada, ele pode regurgitar e broncoaspirar, pois não tem epiglote).
Papinhas para filhotes muito quentes: necrose de papo. Muito frias: diminui o peristaltismo e
fermenta, ocorre estase de papo. Animais adultos que não estão se alimentando ou
precisam de altas doses de medicamento são sondados (sonda rígida de aço cirúrgico)
Estômago: dividido em proventrículo (glandular) e ventrículo (“moela”, muscular). Todas as
aves têm os dois e o tamanho depende da alimentação (ex. aves carnívoras tem
proventrículo mais desenvolvido que o ventrículo). O alimento vai e volta entre os
estômagos.
Proventrículo: produz muco, ácido

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.