Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
153 pág.
Conhecimento Específico Agente Administrativo - PF

Pré-visualização | Página 1 de 50

APOSTILA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS
PARA
POLÍCIA FEDERAL
Para o cargo de Agente Administrativo (nível médio),
conforme edital de 2004
Encontre o material de estudo para seu concurso preferido em
www.oreidasapostilas.com.br
crystal
Rectangle
REDAÇÃO DE EXPEDIENTES
APOSTILA
CONCEITO
Apostila é o aditamento a um ato administrativo anterior, para fins de retificação ou atualização.
"Apostila é o ato aditivo, confirmatório de alterações de honras, direitos, regalias ou vantagens, exarado em
documento oficial, com finalidade de atualizá-lo." (Regulamento de Correspondência do Exército - art. 192)
GENERALIDADES
A apostila tem por objeto a correção de dados constantes em atos administrativos anteriores ou o registro
de alterações na vida funcional de um servidor, tais como promoções, lotação em outro setor, majoração de
vencimentos, aposentadoria, reversão à atividade, etc.
Normalmente, a apostila é feita no verso do documento a que se refere. Pode, no entanto, caso não haja
mais espaço para o registro de novas alterações, ser feita em folha separada (com timbre oficial), que se
anexará ao documento principal. É lavrada como um termo e publicada em órgão oficial.
PARTES
São, usualmente, as seguintes:
a) Título - denominação do documento (apostila).
b) Texto - desenvolvimento do assunto.
c) Data, às vezes precedida da sigla do órgão.
d) Assinatura - nome e cargo ou função da autoridade.
APOSTILA
O funcionário a quem se refere o presente Ato passou a ocupar, a partir de V de janeiro de 1966, a classe
de Professor ............. ....... código EC do Quadro único de Pessoal - Parte Permanente, da Universidade
Federal do Rio Grande do Sul, de acordo com a relação nominal anexa ao Decreto nº 60.906, de 28 de junho
de 1967, publicado no Diário Oficial de 10 de julho de 1967.
DP, ................
(Dos arquivos da UFRGS)
APOSTILA
Diretor
O nome do membro suplente do Conselho Fiscal da Caixa Econômica Federal (CEF) constante na
presente Portaria é José Rezende Ribeiro, e não como está expresso na mesma.
Rio de janeiro (G13), de de
(DOU de 31-3-1971, p. 2.517)
José Flávio Pécora, Secretário-Geral.
ATA
Você certamente já participou de alguma reunião em seu trabalho ou mesmo de uma assembléia do
condomínio onde reside. Deve ter notado que inicialmente é designado um secretário que deverá lavrara atado
encontro. Você sabe o que é e para que serve uma ata?
A ata é um documento em que deve constar um resumo por escrito, detalhando os fatos e as resoluções a
que chegaram as pessoas convocadas a participar de uma assembléia, sessão ou reunião. A expressão
correta para a redação de uma ata é lavrar uma ata.
Uma das funções principais da ata é historiar, traçar um painel cronológico da vida de uma empresa,
associação, instituição. Serve como documento para consulta posterior, tendo em alguns casos caráter
obrigatório.
Por tratar-se de um documento, a ata deve seguir algumas normas específicas. Analisemos algumas delas.
- Deve ser escrito à mão, em livro especial, com as páginas numeradas e rubricadas. Esse livro deve conter
termo de abertura e encerramento.
- A pessoa que numerar e rubricar as páginas do livro deverá também redigir o termo de abertura.
Termo de Abertura - é a indicação da finalidade do livro.
Este livro contém 120 páginas por mim numeradas e rubricadas e se destina ao registro de atas da Escola
Camilo Gama.
Termo de Encerramento - é redigido ao final do livro, datado e assinado por pessoa autorizada.
Eu, Norberto Tompsom, diretor do Colégio Camilo Gama, declaro encerrado este livro de atas.
Parnaíba, 21 de junho de 1996
Norberto Tompsom
- Na ato não deve haver parágrafo, mesmo se tratando de assuntos diferentes, a fim de se evitar espaços
em branco que possam ser adulterados.
- Não são admitidas rasuras. Havendo engano, usam-se expressões, tais como: aliás, digo, a seguir
escreve-se o termo correto. Se a incorreção for notada ao final, usa-se a expressão em tempo, escrevendo-se
em seguida "onde se lê ... leia-se ... ".
A ata obedece a uma estrutura fixa e padronizada. Observe:
Introdução - Deve conter o número e a natureza da reunião, o horário e a data (completa) escritos por
extenso, o local, o nome do presidente da reunião e dos demais participantes.
Desenvolvimento - Também chamado contexto. Nele deverão estar contidos ordenadamente os fatos e
decisões da reunião, de forma sintética, precisa e clara.
Encerramento - É o fecho, a conclusão. Deverá constar a informação de que o responsável, após a leitura
da ata, deu por encerrada a reunião e que o redator a lavrou em tal horário e data. Deverá informar também
que se seguem as assinaturas.
Já está sendo aceita atualmente a ata datilografada depois de encerrada a reunião. Porém, as anotações
são feitas à mão, durante a reunião.
Ao datilografar, todas as linhas da ata devem ser numeradas e o espaço que sobra à margem direita, deve
ser preenchido com pontilhado.
Modernamente, por se necessitar de maior praticidade e rapidez, as empresas vêm substituindo a ata por
um determinado tipo de ficha. É uma ficha prática, fácil de preencher e manusear, embora não possua o
mesmo valor jurídico de uma ata.
MODELOS
a) Modelos de introdução (partes iníciais)
CONSELHO PENITENCIÁRIO FEDERAL
Ata da 791º Reunião Ordinária
Aos dezesseis dias do mês de dezembro do ano de mil, novecentos e setenta, no quarto andar do Bloco "0"
da Avenida L-2, do Setor de Autarquias Sul, na Sala de Despachos do Procurador-Geral da justiça, sob a
presidência do Doutor José Júlio Guimarães Lima, reuniu-se o Conselho Penitenciário Federal. Estiveram
presentes os Conselheiros Hélio Pinheiro da Silva, Elísio Rodrigues de Araújo, Abelardo da Silva Comes,
Nestor Estácio Azambuja Cavalcanti, Miguel Jorge Sobrinho, Otto Mohn e o Membro Informante Tenente Pedro
Arruda da Silva. Aberta a sessão, foi lida e, em votação, aprovada a ata da reunião anterior. Na fase de
comunicações, o Tenente Pedro Arruda da Silva comunicou que, por força constitucional, voltará para a Polícia
Militar do Distrito Federal, deixando, assim, a direção do Núcleo de Custódia de Brasília.
(DOU de 31-3-1971, p. 2.510)
ATESTADO
CONCEITO
Atestado é o documento mediante o qual a autoridade comprova um fato ou situação de que tenha
conhecimento em razão do cargo que ocupa ou da função que exerce.
"Atestados administrativos" são atos pelos quais a Administração comprova um fato ou uma situação de que
tenha conhecimento por seus órgãos competentes. (Hely Lopes Meirelles - Direito Administrativo Brasileiro)
GENERALIDADES
0 atestado comprova fatos ou situações não necessariamente constantes em livr os, papéis ou documentos
em poder da Administração. Destina-se, basicamente, à comprovação de fatos ou situações transeuntes,
passíveis de modificações freqüentes. Tratando-se de fatos ou situações permanentes e que constam nos
arquivos da Administração, o documento apropriado para comprovar sua existência é a certidão. 0 atestado é
mera declaração, ao passo que a certidão é uma transcrição. Ato administrativo enunciativo, o atestado é, em
síntese, afirmação oficial de fatos.
PARTES
a) Título - denominação do ato (atestado).
b) Texto - exposição do objeto da atestação. Pode-se declarar, embora não seja obrigatório, a pedido de
quem e com que finalidade o documento é emitido.
Como bem lembram Marques Leite e Ulhoa Cintra, no seu Novo Manual de Estilo e Redação, "se se tratar
de dotes, habilidades, ou qualidades de alguma pessoa, o atestante deverá cuidar de especificar com grande
clareza os dados pessoais do indivíduo em questão (nome completo, naturalidade, estado civil, domicílio)". A
recomendação é muito oportuna, pois tais atestados impõem responsabilidade particularmente grande a quem
os fornece.
São perfeitamente dispensáveis, no texto do atestado, expressões como "nada sabendo em desabono
Página123456789...50