A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Finalidade das penas e princípios

Pré-visualização | Página 1 de 1

Ana Luiza Bittencourt 
 
DIREITO PENAL - PARTE GERAL II 
 
Finalidade das Penas e os Princípios do Direito Penal 
 
- A pena e a medida de segurança são uma consequência jurídica do delito > são consequências 
penais. 
 
- Existem consequências jurídicas e extra-penais (que também são jurídicas) > as extra-penais 
também são chamados de efeitos secundários, relacionadas às consequências posteriores ao 
ato condenatório. 
 
- Dentre as sanções, ao réu pode ser imputada: pena privativa de liberdade; pena restritiva de 
direitos e pena de multa. 
 
- Já os efeitos secundários penais estão relacionados à responsabilidade jurídica, que pode ser 
moral ou material. Ex.: um indivíduo sofreu uma lesão corporal grave, ficando até mesmo 
tetraplégico > essa pessoa vai cumprir a pena prevista no CP e a família do indivíduo, e até ele 
mesmo, pode entrar com um processo para que o autor seja responsabilizado civilmente. 
Responsabilizado moralmente e materialmente, uma vez que ele não vai conseguir trabalhar da 
mesma forma que trabalhava antes. 
 
Qual a finalidade da pena? 
 
- Existem duas teorias: 
● Teoria Absoluta: critério > RETRIBUIÇÃO > a pena é mera retribuição ao mal causado 
pelo delito > é como se fosse uma compensação pela pessoa ter praticado o ato ilícito. 
Não há nenhuma função social. Além de que a pena deve ser proporcional ao delito > 
duração e intensidade correspondente com a gravidade do delito. Existem duas 
espécies: 
- Teoria da retribuição: a pena compensa a culpabilidade > você praticou o ato, é culpado e 
agora deverá cumprir a pena. 
- Teoria da expiação: a pena é um meio de tirar o mal de dentro do autor do crime. 
 
● Teoria Relativa: critério > PREVENÇÃO > função social. Existem duas espécies: 
- Prevenção Geral: para toda a sociedade: 
Positiva/Integradora: busca infundir na consciência geral a necessidade de respeito a 
determinados valores. Ex.: conscientização sobre o cinto de segurança. 
Negativa/Intimidadora: busca prevenir por meio do medo que as pessoas podem ter da pena. 
 
- Prevenção Especial: para quem praticou o delito: 
Positiva: fazer com que a pessoa seja ressocializada > fazer com que não volte a transgredir as 
normas jurídico-penais. 
Negativa: neutralizar o agente que pratica o delito > segregação no cárcere. 
 
Princípios 
 
- Princípio da Legalidade: não há crime sem lei anterior que o defina > não há pena sem prévia 
cominação legal > art. 1º CP. Fonte: leis. 
 
- Princípio da Anterioridade: precisa ter lei que define o crime no momento que o delito foi 
praticado > não adianta criar a lei depois do ato praticado ou até mesmo aumentar a pena 
depois. 
 
- Princípio da Personalidade/Intranscendência: a pena não pode passar para outra pessoa > 
aquele que cometeu o crime que responderá penalmente. 
 
- Princípio da Individualidade: a pena tem que ser individual, conforme o caso concreto > ex.: 
mesmo crime cometido nas mesmas circunstâncias, porém por um autor tem 22 anos e o outro 
tem 70 anos > a punição deve ser proporcional > não se pode tratar o idoso de forma idêntica > 
princípio da isonomia. Art. 5º, XLVI. 
 
- Princípio da Inderrogabilidade: o Estado não pode derrogar a aplicação da pena para qualquer 
pessoa > é o Estado que deve executar a pena. 
 
- Princípio da Humanidade: no nosso país não podem ter penas desumanas ou degradantes. 
Art. 5º, XLVII.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.