A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
ANATOMIA RADIOGRÁFICA DENTO MAXILAR

Pré-visualização | Página 1 de 1

ANATOMIA RADIOGRÁFICA DENTO MAXILO MANDIBULAR
· MAXILA: 
ESCALA DE RADIOPACIDADE:
1- Esmalte;
2- Cortical óssea alveolar;
3- Dentina e cemento;
4- Osso alveolar;
5- Polpa dental;
6- Espaço periodontal.
INCISIVOS CENTRAIS SUPERIORES
· Estruturas e reparos anatômicos – espinha nasal anterior, septo nasal ósseo, fossa nasal, conchas nasais, forame incisivo, forame superior do canal incisivo, sutura intermaxilar, imagem do tecido mole (ponta do nariz).
· Forame incisivo: radiolucido, de forma variada, arredondado ou ovalado (depende do ângulo de incidência vertical) – mais frequente entre as raízes dos ICS ou entre seus ápices. vermelho: forame incisivo, amarelo: fossa nasal, linha verde: imagem do tecido mole do nariz.
· Fossas nasais ou cavidades nasais: região mediana da face, entre cavidade craniana e bucal, radiolucidas, acima das imagens dos ápices dos incisivos em pacientes dentados e em distncia variável do rebordo em pacientes desdentados. 
· Cartilagem que forma o ápice nasal: é projetada sobre as imagens das raízes dos incisivos – pequena radiopacidade, com altura variável (ângulo de incidência vertical). 
· Espinha nasal anterior: forma de ponta de lança triangular, radiopaca, na extremidade inferior da imagem do septo nasal, entre as raízes dos IC e se associam ao septo nasal (forma de ancora). 
· Septo nasal ósseo: ósseo cartilaginoso, formado pelo vômer, lamina perpendicular do osso etmoide e cartilagem do septo. – faixa radiopaca, de largura e altura não muito uniformes. 
· Sutura intermaxilar: linha radiolucida entre os ICS, atravessa sagitamente todo o palato e termina na crista alveolar, uniforme, com a idade fica mais estreita, mais nítida na região de crista alveolar. – junção das maxilas. 
· Forame superior do canal incisivo: radiolucidas, pequenas aberturas que vao dirigindo para baixo em direção da linha mediana, juntando se em um canal e terminando no forame incisivo.
· Concha nasal inferior: em cada parede lateral da cavidade nasal.
- Concha nasal superior e media: osso etmoide;
- Concha nasal inferior: ossos crânio faciais. 
 
INCISIVO LATERAL E CANINO SUPERIOR
Estruturas e reparos:
· Y invertido de ennis;
Junção da cavidade nasal com a parede anterior do seio maxilar, com linhas radiopacas que representam um Y invertido. 
· Fossa nasal;
· Soalho da cavidade nasal: ampla área radiolucida acima dos IS e é dividida pelo septi ósseo as conchas nasais inferiores e conchas nasais medias. 
· Seio maxilar: revestidos por mucosa e preenchidos por ar, no corpo da maxila. Formato triangular, apresenta o ápice voltado para o processo zigomático, acima do ápice dos pré molares e molares -> áreas radiolucidas amplas de contornos arredondados e bem definidos por uma linha radiopaca. 
Três paredes: medial (formada pela parede lateral da cavidade nasal), anterior: face anterior da maxila, posterior: região do tuber.
Soalho: processo alveolar. Teto: soalho da orbita. 
· Soalho do seio maxilar (cortical sinusal);
· Fosseta mirtiforme: área do processo alveolar entre as raízes de IL e CS (predomínio de espaços medulares e trabéculas osseas), presente em poucos pacientes, radiolucido e triangular.
PRÉ MOLARES SUPERIORES
· Estruturas e reparos:
· Seio maxilar;
· Soalho do seio maxilar: limite inferior do seio maxilar, linha radiopaca de espessura regular e contorno curvo, cruzando a região das raízes dos dentes posteriores. 
· Septo divisório do seio maxilar;
· W sinusal: dobras de osso cortical que surgem do assoalho e das paredes do seio maxilar.
· Processo zigomático da maxila;
1: Extensão alveolar do seio maxilar.
2- Processo zigomático da maxila.
3-: osso zigomático.
- Extensão alveolar do seio maxilar: áreas radiolucisas com contornos bem definidos por uma linha radiopaca (soalho), estendendo-se em direção ao rebordo alveolar. – em periapicais e panorâmicas.
· Canais nutritivos (onde passa vasos sanguíneos periféricos), linhas radiolucidas que corresponde ao trajeto intra-ósseo das arteioriolas, em radiográficas oclusais, periapicais e panorâmicas, presente na região de seios maxilares, dentes incisivos inferiores e áreas edentulas com pouca espessura óssea. 
MOLARES SUPERIORES
· Estruturas e reparos:
· Seio maxilar;
· Soalho do seio maxilar: limite inferior do seio maxilar, linha radiopaca de espessura regular e contorno curvo, cruza a região das raízes dos dentes posteriores, em periapicais e panorâmicas. 
· Septo divisório do seio maxilar;
· W sinusal;
· Processo zigomático da maxila: projeção óssea que se une ao osso zigomático por meio da sutura zigomaticomaxilar. – aspecto radiopaco espesso, em forma de “u” ou “v” localizado acima da região de molares superiores, em radiográficas periapicais. 
· Osso zigomático: proeminência mais saliente da face e se articula com maxila, temporal e frontal. – estrutura radiopaca, de formato triangular que se estende posteriormente a partir do processo zigomático da maxila, observado em radiografias periapicais.
· Canais nutritivos 
· Tuber da maxila: projeção óssea, região mais posterior do processo alveolar, aparece como área de trabeculado espardo e espaços edulares amplos, posterior a região dos molares superiores. Em periapiciais. 
· Hámulo pterigoideo: extensão inferior da lamina medial do processo pterigoideo do osso esfenoide, se relaciona com musculo tensor do veu palatino e ligamento pterifomandibular. – projeção radiopaca em forma de gancho, posterior ao tuber da maxila, em periaricais. 
· Processo coronóide da mandíbula: na porção antero superior do ramo da mandíbula. – imagem radiopaca de contornos nítidos, forma triangular, posterior ou sobreposta a região do tuber da maxila. Em periapicais.