A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
11 pág.
Anatomia e fisiologia - Otorrino

Pré-visualização | Página 1 de 3

1 Isadora Frota Hagge 
OTORRINOLARINGOLOGIA 
Ubyb 
L 
(Otorrinolaringologia) 
Anatomia e fisiologia 
 
ANATOMIA NASAL 
O nariz externo é constituído pelos ossos nasais e por 
algumas cartilagens -> as laterais superiores, as laterais 
inferiores (que tem 1 cruz lateral e 1 cruz medial), a 
septal e algumas cartilagens menores ou acessórias. 
 
 
Falando agr do nariz em uma visão de frente... 
A gente tem aqui a concha nasal média (do lado E), 
delimitando o meato nasal médio. Temos o meato nasal 
inferior delimitado pela concha nasal inferior. Temos o 
seio maxilar e o óstio do seio maxilar. Temos o septo 
nasal, as células etmoidais e o seio frontal. 
 
 
Vamos ver agr a parede nasal lateral... 
 Do lado E, de cima p/ baixo -> temos: 
1. Seio frontal 
2. Concha nasal superior (*delimitando o meato nasal 
superior) 
3. Meato nasal superior 
4. Concha nasal média 
5. Meato nasal médio 
6. Concha nasal inferior 
7. Meato nasal inferior 
8. Processo palatino da maxila e Lâmina horizontal 
do osso palatino (*estruturas que separam a 
cavidade nasal da cavidade oral!) 
 
 Do lado D, de cima p/ baixo -> temos: 
1. Recesso esfenoetmoidal (região anteriormente à 
parede do seio esfenoidal) 
2. Óstio do seio esfenoidal 
3. Seio esfenoidal 
4. Cóano (*abertura que será a transição entre a 
cavidade nasal e a rinofaringe!) 
5. Toro tubário (já na rinofaringe) 
6. Óstio faríngeo da tuba auditiva (já na 
rinofaringe) 
7. Recesso faríngeo (já na rinofaringe) 
 
 
Continuando a falar sobre o nariz... a gente tem aqui em 
uma visão especular, em consultório... onde vamos 
visualizar: 
1. Concha nasal média (em alguns pcts) 
2. Meato nasal médio 
3. Septo nasal protuberante (*onde iremos poder 
observar se existe algum desvio septal) 
4. Via aérea p/ a parte nasal da faringe (*via aérea 
entre o septo nasal e a concha inferior, seguindo 
lá atrás até a rinofaringe!) 
5. Concha nasal inferior (*delimitando o meato nasal 
inferior) 
6. Meato nasal inferior 
7. Assoalho da cavidade nasal 
 
2 Isadora Frota Hagge 
 
 
Vamos falar agr da parede nasal lateral após a retirada 
de concha inferior e concha média... então temos aqui: 
 Do lado E, de cima p/ baixo -> 
1. Seio frontal (*drenando através do recesso 
frontal) 
2. Recesso frontal 
3. Concha nasal média (seccionada) 
4. Após a secção da concha nasal média, temos o -
> Processo uncinado (que é a 1° lamela do 
labirinto etmoidal!) 
5. Bula/bolha etmoidal (estrutura bolhosa que é a 
2° lamela do labirinto etmoidal!) 
6. Entre esses 2 últimos -> Óstio do seio maxilar (p/ 
ampliar esse óstio do seio maxilar a gente faz a 
retirada cirúrgica do processo uncinado). 
*Importante falar o conceito de Infundíbulo etmoidal -> 
é um espaço tridimensional que é delimitado pelo 
processo uncinado, bula etmoidal e lateralmente pela 
lâmina papirácea (que nada + é do que uma lâmina óssea 
que vai separar a cavidade nasal da cavidade orbitária!). 
7. Hiato semilunar (entrada do infundíbulo 
etmoidal, é um espaço bidimensional que serve 
de entrada p/ o infundíbulo etmoidal). 
 
 
Seguindo, temos aqui só p/ mostrar p vcs a relação entre 
o ducto nasolacrimal e a cavidade nasal, que ele vai 
desembocar no meato nasal inferior. 
 
 
 Temos aqui os principais constituintes do septo 
nasal -> 
1. Cartilagem septal 
2. 2 estruturas ósseas -> Vômer e Lâmina 
perpendicular do etmoide. 
 
Ainda sobre o nariz, temos a irrigação do septo nasal... o 
nariz é imensamente irrigado, ele tem uma irrigação 
proveniente das artérias carótidas externa e interna! 
Os ramos das carótidas internas são as artérias etmoidais 
anterior e posterior! 
E os demais ramos são ramos da carótida externa! 
 
A região + vascularizada do nariz é o septo nasal, 
sobretudo -> o septo anterior! Nessa região que é 
denominada de Plexo de Kiesselbach. 
Esse plexo é constituído pelas artérias etmoidais -> 
anterior, esfenopalatina, palatina maior e labial 
superior (que é ramo da face alta). 
O plexo de Kiesselbach é a região do nariz em que ocorre 
a maior parte dos sangramentos nasais, das epistaxes! 
 
3 Isadora Frota Hagge 
 
 
Falando + um pouquinho sobre a artéria 
esfenopalatina... ela é a principal artéria que vai irrigar 
a cavidade nasal! 
Ela é ramo da artéria maxilar. 
E ela possui 2 ramos principais -> artéria septal (medial) 
e a artéria nasal lateral posterior (que vai irrigar a parede 
lateral). 
Tem origem na fossa pterigopalatia, que é uma região 
posterior à parede posterior do seio maxilar e anterior à 
lâmina pterigoide. 
 
 
Vamos falar agr da inervação do nariz... 
A inervação do nariz é feita sobretudo pelo nervo 
maxilar! 
O nervo maxilar é o 2° ramo do trigêmeo, e ele tbm vai 
ter origem na fossa pterigopalatia. 
 
SEIOS PARANASAIS 
Sobre os seios paranasais: 
 Temos 4 -> 
1. Seio Frontal 
2. Seio Etmoide/Etmoidal 
3. Seio Maxilar 
4. Seio Esfenoidal 
São todos bilaterais! 
 
 
Seio Frontal: 
Inicia sua formação aos 4 anos de idade, porém 
radiologicamente ele só vai aparecer em torno dos 6 
anos. 
E atinge seu tamanho adulto em torno dos 20 anos. 
Costuma estar ausente em até 10% das pessoas, então 
não é tão raro um pct não ter o seio frontal! 
 
 
Seio maxilar: 
Inicia seu desenvolvimento ainda intrauterino, aos 3 
meses de gestação. 
Tem um crescimento que é bifásico, em torno dos 3 anos 
e tbm dos 17 aos 18 anos. 
O seu desenvolvimento tem associação c/ o 
desenvolvimento dentário. Então vemos que ele tem 
 
4 Isadora Frota Hagge 
relação com as raízes dos dentes molares, e algumas 
vezes quando são feitas as cirurgias do seio maxilar ou 
cirurgias dentárias... pode haver lesão dessas estruturas, 
as vezes até conformação de fístulas. 
O seio maxilar possui 1 óstio principal (que é por onde 
drenam as secreções), mas ele pode apresentar tbm 1 ou 
+ óstios acessórios. 
 
 
Seio etmoidal/Células etmoidais: 
É constituído por diversas células, de 10 a 15 células... 
Tem seu início intrauterino tbm, aos 5 meses de 
gestação. 
E atinge o tamanho adulto em torno de 12 a 15 anos de 
idade. 
Existem 5 lamelas que vão fazer parte do labirinto 
etmoidal: 
1. Processo uncinado 
2. Bula etmoidal 
3. Lamela/porção basal da concha média 
4. Concha superior 
5. Concha suprema 
Até a 3. Lamela basal da concha média a gente vai ter o 
etmoide anterior! 
E da lamela basal da concha média p/ traz o etmoide 
posterior! 
 
Seio esfenoidal: 
Atinge o tamanho adulto em torno dos 12 a 18 anos. 
E ele possui uma relação mto íntima c/ a hipófise... e isso 
acaba favorecendo que algumas cirurgias de tumores 
hipofisários sejam feitas através do acesso ao seio 
esfenoidal... então são cirurgias feitas pelo otorrino em 
associação c/ o neurocirurgião. 
Existem algumas estruturas tbm bastante importantes 
que tem relação mto próxima c/ o seio esfenoidal. 
 Elas são: 
1. Nervo óptico (superiormente) 
2. Artéria carótida interna 
3. Nervo maxilar (lateralmente) 
4. Nervo vidiano (no assoalho) 
Então é importante lembrar que há várias estruturas 
importantes que possuem relação c/ o seio esfenoide. 
 
 
 
Quanto a drenagem dos seios paranasais... 
Existe uma via de drenagem dos seios paranasais 
anteriores. 
 Quais são os seios paranasais anteriores? 
1. Frontal 
2. Etmoidal anterior 
3. Maxilar 
Eles vão drenar através do infundíbulo etmoidal e vão 
seguir essa drenagem anterior e inferiormente ao óstio 
da tuba auditiva. 
 
5 Isadora Frota Hagge 
E existe a drenagem dos seios paranasais posteriores. 
 Quais são os seios paranasais posteriores? 
1. Etmoide posterior 
2. Esfenoide 
Que vai seguir p/ recesso etmoidal e daí drenar póstero-
superiormente ao óstio da tuba auditiva. 
 
 
FISIOLOGIA NASAL 
Vou falar agr um pouquinho sobre a fisiologia nasal: 
A respiração nasal é a que + acaba levando

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.