A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
178 pág.
Questões de Tributário

Pré-visualização | Página 16 de 50

sobre rendimentos pagos, a qualquer título, por eles, suas autarquias e fundações que instituírem e mantiverem.
Aos Municípios pertencem vinte por cento do produto da arrecadação do imposto que a União instituir no exercício de sua competência residual.
Do produto da arrecadação da contribuição provisória sobre movimentação ou transmissão de valores e de créditos e direitos de natureza financeira (CPMF), a União entregará vinte por cento aos Municípios, para aplicação em ações e serviços públicos de saúde.
Pertence aos Municípios o produto da arrecadação do imposto sobre a propriedade de veículos automotores licenciados em seus territórios.
Do montante da arrecadação do imposto da União sobre operações de crédito, câmbio e seguro, ou relativas a títulos ou valores mobiliários (IOF), cobrado na operação de origem, relativa ao ouro definido em lei como ativo financeiro ou instrumento cambial, é assegurada a transferência de setenta por cento para o Município de origem.
(AFRF/2002-1 – ESAF) Verifique as afirmações abaixo, e identifique as verdadeiras (V) e as falsas (F), orientando-se pelo que se conhece da lei que criou o “SIMPLES”, regulando, em conformidade com o disposto no art. 179 da Constituição, o tratamento diferenciado, simplificado e favorecido, aplicável às microempresas e às empresas de pequeno porte, relativo a impostos e contribuições. Depois, indique a seqüência respectiva das letras correspondentes a este juízo de acerto (V) ou erro (F).
A pessoa jurídica enquadrada na condição de microempresa e de empresa de pequeno porte, independentemente de inscrição ou qualquer medida burocratizante, estará automaticamente submetida aos benefícios do Sistema Integrado de Pagamento de Impostos e Contribuições das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte - SIMPLES.
A referida lei, atendendo ao peso que o ISS e o ICMS têm no conjunto de impostos devidos pelas microempresas, e considerando a diretriz do art. 179 da Constituição da República, determinou a automática inclusão desses impostos no âmbito do SIMPLES.
Determinou-se que o pagamento unificado de impostos e contribuições, devidos pela empresa submetida ao SIMPLES, seria feito de forma centralizada, até o décimo dia do mês subseqüente àquele em que houvesse sido auferida a receita bruta.
V, V, V
V, V, F
V, F, F
F, F, V
F, F, F
(AFRF/2002-2 – ESAF)
As microempresas optantes pelo SIMPLES, que utilizarem sistemas de processamento eletrônico de dados para registrar negócios e atividades econômicas ou financeiras, escriturar livros ou elaborar documentos de natureza contábil ou fiscal, ficam obrigadas a manter, à disposição da Secretaria da Receita Federal, os respectivos arquivos digitais e sistemas, pelo prazo decadencial previsto na legislação tributária?
A inscrição no SIMPLES implica pagamento mensal unificado entre outros, do IRPJ (imposto de renda das pessoas jurídicas)?
O pagamento unificado de impostos e contribuições, devidos pela microempresa e pela empresa de pequeno porte, inscritas no SIMPLES, será feito de forma descentralizada, junto ao INSS, à Receita Federal e ao órgão arrecadador do Estado?
Não, não, não
Não, sim, não
Sim, não, não
Sim, sim, não
Sim, sim, sim
(AFRF/2003 – ESAF) Em relação ao Sistema Integrado de Pagamento de Impostos e Contribuições das Microempresas e das Empresas de Pequeno Porte (SIMPLES), instituído pela Lei nº 9.317, de 5 de dezembro de 1996, marque a resposta correta.
As atividades de arrecadação, cobrança e tributação das contribuições pagas de conformidade com o SIMPLES competem ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), quanto às contribuições para a seguridade social por ele administradas.
A inscrição de pessoa jurídica no SIMPLES implica pagamento mensal unificado dos seguintes impostos e contribuições, entre outros: Imposto de Renda das Pessoas Jurídicas (IRPJ), Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (COFINS), Contribuição para o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).
Aplicam-se aos impostos e contribuições devidos pela microempresa e pela empresa de pequeno porte, inscritas no SIMPLES, as normas relativas aos juros e às multas de mora e de ofício previstas para o imposto sobre produtos industrializados.
As pessoas jurídicas, enquadradas na condição de microempresa ou de empresa de pequeno porte, que se dediquem exclusivamente às atividades de centros de formação de condutores de veículos automotores de transporte terrestre de passageiros e de carga, agências lotéricas e agências terceirizadas de correios têm permissão legal para optar pela inscrição no SIMPLES.
Em regra, é vedada a inclusão, no SIMPLES, do Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal (ICMS) e do Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS), devidos por microempresa e empresa de pequeno porte
�
(TTN/94 – ESAF) São características do empréstimo compulsório:
competência concorrente dos poderes públicos, lei complementar, fixação facultativa de condições
competência da União, previsão em lei complementar, observância do princípio da anterioridade, no caso de investimento público urgente e relevante
competência da União, instituição por lei complementar, fixação obrigatória do prazo de resgate em dinheiro
competência da União, fixação de condições pelo Senado Federal
competência da União, atendimento a investimento público urgente e relevante e interesse nacional ou regional
(TTN/94 – ESAF) Na hipótese de ser criado um Território não dividido em Municípios, é correto afirmar que nele:
Não se paga imposto sobre a propriedade territorial urbana, porque não existe Município.
Não se paga imposto sobre circulação de mercadorias e serviços de transporte interestadual e intermunicipal e de comunicação, porque não existe Estado nem Município.
A União só pode cobrar imposto sobre propriedade de veículos automotores.
A União pode ser sujeito ativo de todos os tributos, quer sejam federais, estaduais ou municipais.
O tratamento da competência tributária é idêntico ao do Distrito Federal.
(TTN/94 – ESAF) No direito tributário brasileiro, o emprego da eqüidade:
é o primeiro recurso para o caso de integração da legislação tributária
poderá resultar na dispensa do pagamento do tributo devido
justifica conceder-se remissão, desde que autorizada por lei, em relação com as características pessoais ou materiais do caso
afasta a interpretação literal da legislação tributária que trata da dispensa do cumprimento das obrigações tributárias acessórias.
determina que a lei tributária se aplique a ato pretérito quando deixa de defini-lo como infração
(TTN/94 – ESAF) Sendo o fato gerador de um tributo, em certo caso, um negócio jurídico condicional, tem-se como ocorrido o fato gerador
desde o momento do implemento da condição, se esta for suspensiva
desde o momento da prática do ato ou da celebração do negócio, se a condição for suspensiva
desde o momento da implementação da condição, se esta for resolutória
desde o momento da implementação da celebração do negócio, seja a condição resolutória ou suspensiva
na data da publicação do negócio jurídico condicional
(TTN/94 – ESAF) Tendo havido enchente em certo Município, a lei determinou que os créditos tributários definitivamente constituídos à data de sua publicação ficariam extintos independentemente de pagamento, bastando requerimento do contribuinte demonstrando ter seu imóvel sido danificado pelas águas. Trata-se de hipótese de
moratória
anistia
isenção
remissão
compensação
(TTN/94 – ESAF) Como regra geral, no caso de prática de ato indispensável para evitar caducidade de direito:
só com edição de disposição legal permissiva se dispensará prova de quitação de tributos
não se dispensará prova de quitação porque a Fazenda Pública tem prazo legal para fornecer certidão negativa
dispensa-se a prova de quitação, independentemente de disposição legal permissiva,