Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Suinocultura

Pré-visualização | Página 1 de 1

Suinocultur�
. . . . . . . . . . . . . . . . . . Criação de Animais Monogástricos . . . . . . . . . . . . . . . . .
- O que é suinocultura? é um segmento zootécnico,
que se dedica a produção de suínos, sua carne e
derivados.
➜ A carne suína é a mais consumida no mundo, e o seu
mercado interno se encontra em amplo crescimento.
Origem e Domesticação dos Suínos
✱ Descendentes dos javalis, sua domesticação
começou a + ou - 5.000 anos.
✱ Sempre ocorreu muito preconceito acerca da carne
suína, principalmente por fatores religiosos.
✱ A chegada no Brasil ocorreu por volta de 1.500
através de Martins Afonso.
Tipos de Suínos e Melhoramento Genético
Suíno tipo BANHA Suíno tipo CARNE
➜ Ao longo do tempo, o melhoramento genético
resultou em um percentual de 35% menos gordura.
➜ O melhoramento genético desses animais se baseou
ao longo dos anos em 4 pilares:
1º Reprodutores de raças magras
2º Seleção dos animais
3º Adoção de Tecnologias
4º Pesquisas e melhoramentos nas áreas de nutrição,
sanidade e manejo.
✱ O bem - estar animal é muito importante, e
influencia diretamente a produção, já que o animal que
está sofrendo libera CORTISOL, que faz com que ele
produza menos e a qualidade da carne caía.
Suín� Selvage� Suín� Banh� Suín� Carn�
Anterior 70% Anterior 50% Anterior 30%
Posterior 30% Posterior 50% Posterior 70%
➜ Atualmente rendimento de 54% a mais, o animal com
um mês a menos produz 7kg de carne a mais.
➜ Indíce de produtividade avaliado por: Prolificidade
(quantos leitões ela pare), Precocidade e Rendimento
Raças de Suínos
- O que é raça? são características semelhantes
transmitidas para os descendentes.
➜ Sempre avaliar os defeitos e qualidades da raça.
➜ O perfil frontonasal e o tamanho e orientação das
orelhas é o que mais difere entre as raças de suínos.
RAÇAS Estrangeira� - são mais avançadas.
✱ DUROC - 1º raça
introduzida no Brasil,
suíno tipo banha; Maior
produção de toucinho e banha,
são fortes e rústicos, pelagem
vermelha. Macho = 170kg | Femêa = 225kg
✱ LANDRACE - origem
Dinamarquesa, usado para
produção de carne, é comprido
e enxuto, resultando em uma carne
magra. Pele fina e despigmentada.
✱ HAMPSHIRE- antiga raça
Thin Ring, é do Kentucky
e Sul Indiana. Possui dupla
aptidão (carne e banha), rústico e curto.
✱ WESSEX - origem na
Grã-Bretanha, originou o
Hampshire, chegou no
Brasil por volta de 1934. É do
tipo banha, sua pelagem é
preta, é rústico, tem grande habilidade materna e
prolificidade.
✱ PIETRAN - origem Belga,
mais usado para
cruzamentos. Tem o
famoso “4 pernis” que é
quando possui paleta
grande, tem bastante massa muscular. Sua pelagem é
clara, malhado de preto.
✱ LARGE WHITE- conhecido
como “Yorkshire”, origem
na Inglaterra, possui dupla
aptidão, famoso porquinho
cor de rosa. É rústico.
Cachaç� - Suíno macho inteiro (sem castrar)
RAÇAS Nacionai� - na grande maioria são mestiças,
usadas em grande parte para produção de banha e
estudos nutricionais e genéticos.
✱ PIAU - 1º raça nativa
registrada (1989), “piau”
quer dizer malhado/pintado.
Maior parte nos estados de
GO e MG, é muito rústico,
possui dupla aptidão, baixa leitegada (poucos filhotes
por nascimento), pelagem branca com manchas pretas.
✱ MOURA- maior parte
no sul do Brasil, é do tipo
banha, mas a carne é boa.
Usado para o presunto cru,
famoso “Pata Negra”
✱ CANASTRA- conhecido por
“meia perna”, mais banha do
que carne, descendente de
raças portuguesas.
Raça� �/ Mã� Raça� �/ Pa�
Landrace e Wessex Duroc e Hampshire
Aptidão materna, Elevada produção
prolificidade, produção de
leite, pequena espessura de
toucinho.
de carne,
qualidade de
carcaça,
precocidade
Planejamento da Criação
➜ É importante saber a necessidade do produtor,
como ele pode ter um melhor aproveitamento, realizar
um melhoramento genético… Saber as afecções que
podem atingir aquele plantel.
➜ Avaliar os recursos, o capital disponível para
investir naquela propriedade, a localização deve ser
de fácil acesso.
➜ Quais as condições do meio ambiente naquele área
de criação.
➜ Tem que saber qual o fornecedor de insumos, qual o
mercado consumidor, e a estrutura de comercialização
( a bolsa de suínos é um mercado em franca expansão,
mas deve saber o melhor momento para vender a
carne/produto do animal)
➜ As instalações do local devem ser adequadas, deve
haver um manejo sanitário naquela propriedade a fim
de evitar doenças e até mesmo zoonoses.
➜ A mão de obra deve ser adequada, sempre dar a
oportunidade de cursos e aulas para os trabalhadores
daquele local saberem como proceder.
➜ Deve haver um plano nutricional.
✱ Escrituração zootécnica é muito importante, ela
que contém as informações de tudo que acontece com
o animal e o plantel, proporcionando a avaliação
constante dos indíces que vão ajudar a direcionar
tudo que deve ser feito para melhorar aquela
produção.
Monitoramento da Criação
- É a marcação do rebanho, que ajuda na
escrituração zootécnica e econômica.
Norma� d� marcaçã�- podem ser simples (método
australiano, brinco, tatuagem) ou moderno (eletrônico,
biometria, escaneamento de íris…)
✱ Método Australiano - numerações de 1 a 1621,
consiste em fazer furos na orelha. Atualmente não é
um método indicado por fatores relacionado ao
bem-estar animal.
✱ Brincos - uma técnica cada vez mais implementada,
o furo deve ser realizado no meio da orelha (para
evitar acertar um vaso sanguíneo). Sempre aplicar com
o nº para dentro da orelha e a roseta (tarraxa) para
fora, pois os suínos são bem curiosos, e assim não
chama tanta atenção deles. A desvantagem é o risco
de perda daquele número por desgate, ou cair. Sempre
retirar antes de ir para o abate.
✱ Tatuagem - é de fácil visualização, mais eficaz em
animais de pele clara, o custo é baixo, mas pode ficar
ilegível com o tempo.
✱ Eletrônico - é rapido e completo, ajuda muito no
transporte da informação.
✱ Biométrico - pode ser para retina ou íris (que são
como as nossas digitais), é um tipo de sistema
interativo e eficaz.
Escrituração Zootécnica
➜ Pode ser manual ou informatizada, os registros são
individuais, e devem conter o nome dos pais, data de
nascimento e desmame (individual e coletivo),
aplicação de ferro, vacinas, etc…
Escrituração Econômica
➜ Funciona como um inventário, informações sobre os
alimentos… animais comprados X criados, galpões,
benfeitorias, equipamentos, mão de obra, gastos
extras. “Não tem como mensurar o que entra sem
saber o que sai!”
Distoci� - é a dificuldade para parir, quando precisa
de intervenção humana.
Eutoci�- parto que ocorre normal.
Bem-Estar Animal
✱ Consiste em 5 liberdades:
1º Livres de dor, injúria e doenças
2º Livre de desconforto
3º Livre de fome e sede
4º Livre para expressar o seu comportamento animal
normal
5º Livre de medo e estresse
Panorama Geral da Suinocultura no Brasil e no
Mundo
➜ É uma atividade bem consolidada no Brasil, para ser
considerado um produtor deve-se produzir de forma
economicamente eficiente (Ter lucro $$$)
➜ Aproximadamente 70% do custo da produção vai
para a alimentação.
➜ Deve se adaptar às exigências do mercado
consumidor.
➜ CHINA recentemente sofreu um surto de peste
suína africana, do qual ainda está se recuperando.
Ocupa o lugar de 50% da produção mundial de carne
suína. Devido a esse e outros ocorridos, ao longo do
tempo os chineses tiveram uma migração alimentar
para carne de frango, peixe e boi.
➜ Existem cerca de 39 milhões de cabeças de porco
no Brasil.
➜ O estado do Sul é o maior produtor de suínos, e
atualmente o estado de SC ocupa o 1º lugar.
➜ O Brasil exporta carne suína e importa
reprodutores.
➜ Ocorrem muitas questões internas X externas
(economicamente falando), e quem paga essa diferença
é o consumidor $$$
➜ O consumo Per-Capita de carne suína no Brasil em
2020 foi de 16.86kg.