Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
17 pág.
Atividades praticas aguas e efluentes pratico

Pré-visualização | Página 1 de 3

Disciplina: Sistemas de Tratamento para Águas e Efluentes
Relatório das Atividades Práticas
Prof. Guilherme Barrachina Stocco
UNINTER CENTRO UNIVERSITÁRIO INTERNACIONAL
TECNOLOGIA EM PROCESSOS QUIMICOS
Moacir Táino Conceição Barbosa
RU:850345
TRABALHO DE SISTEMAS DE TRATAMENTO PARA ÁGUA E SEUS EFLUENTES
Trabalho prático apresentado à disciplina de 
sistemas de tratamento para águas e efluentes, 
sob a supervisão do Professor Tutor Guilherme Stocco
Camaçari- Bahia
04/04/2022
INTRODUÇÃO
Este trabalho tem como base a analisar a estação de tratamento água e efluentes da indústria, avaliando cada etapa do processo e sua existência. É de fundamental importância que as indústrias sejam cada vez mais responsáveis por suas atividades geradoras de resíduos. A preocupação com o meio ambiente deve ser uma prioridade das empresas, principalmente as indústrias, as quais buscam alterações em seus processos diários que podem diminuir os impactos ambientais, construindo assim uma imagem melhor perante a sociedade e seus clientes.
Um dos processos que vem ganhando a atenção nas indústrias é a forma como é feito o descarte de efluentes, diminuindo os impactos e prejuízos na natureza. No Brasil, o Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA), é o órgão responsável por regularizar os processos realizados pelas empresas que possam causar danos ao meio ambiente, onde o despejo de efluentes deve estar de acordo com a resolução nº 430/2011.
OBJETIVO
O objetivo é fornecer uma fonte única de informação para a gestão de águas residuais e pluviais geradas na unidade da Kimberly, a fim de não prejudicar o meio ambiente com o despejo, contribuindo para o desenvolvimento sustentável e cumprimento da legislação vigente e direcionamentos da KC.
OBJETIVO ESPECÍFICO
Direcionar a gestão e controles sobre o sistema de utilização de água fresca, tratamento de águas residuais e águas de chuva para garantir uma adequada tratativa para estes diante de conformidades legais, direcionamentos da KCC e legislações ambientais vigentes.
RESPONSABILIDADES E AUTORIDADES
Gerência de Fábrica – Fornecer recursos necessários e atribuir a pessoa responsável pela gestão de recursos hídricos na instalação. Garantir que o cumprimento e a conformidade sejam mantidos e que quaisquer ações corretivo/preventivas sejam acompanhadas até que estejam completas. Área de Meio Ambiente – Checar e monitorar resultados de análises de efluente Comitê dos Stds Gerenciamento de Águas – Checar e monitorar as condições de funcionamento deste procedimento e equipamentos aplicáveis ao seu processo, rotinas de inspeções e prevenção para controle do risco, bem como promover a atualização caso necessário. Realizar auto avaliações do standard/EPS, elaborar e aplicar ações, participar ativamente das reuniões dos times/CCQEHS, assessorar as áreas onde os controles operacionais e requisitos sejam aplicáveis influenciando os times 
Líder gestor Stds Gerenciamento de Águas – dar suporte ao comitê, garantir o cumprimento deste procedimento e sua atualização acompanhar periodicamente os indicadores do seu subcomitê e participar ativamente das reuniões dos subcomitês e CCQEHS. 
Operador de Utilidades – Operar a ETE conforme orientações e procedimentos, manter os equipamentos operando em conformidade, realizar as manutenções/inspeções preventivas, realizar análises conforme frequência. 
Manutenção Civil e Prestadores de Serviço – É responsável pela aplicação das medidas preventivas e /ou corretivas no sistema de água. Direcionar as atividades da empresa contratada para garantir a execução deste procedimento. Todos os trabalhos de terceiros são acompanhados por equipe KC. 
Área de Qualidade - É responsável pela programação, coleta e gerenciamento das análises de monitoramento da potabilidade da água 
DEFINIÇÕES
EHS – Environment, hygiene and safety (Meio ambiente, higiene e segurança)
EPS – Environmental Performance Standard (Padrões de performance ambiental).
Descarga de águas pluviais – A liberação de água proveniente da chuva ou de outras formas de precipitação da instalação através de um fluxo direcionado.
Descarga de Águas Pluviais Impactada – A liberação de água da chuva ou de outras formas de precipitação impactada por atividades na instalação. Contaminadores das Águas Pluviais – Poluentes na descarga de águas pluviais, como Sólidos Totais em Suspensão, Demanda Bioquímica de Oxigênio, pH, produtos químicos específicos, óleo e graxa.
Água Fresca – Água tratada que pode ser oriunda de um recurso natural como rios, lenções freáticos ou de uma rede pública.
Água Residual – Efluentes industriais ou sanitários descarregados em rede pública ou rios após tratamento especifico.
Calibração – Comparação de um sistema de medidas ou dispositivo de precisão desconhecida com um sistema de medidas de precisão conhecida para detectar, correlatar, relatar ou eliminar por meio de ajustes qualquer variação dos limites de desempenho exigidos do sistema de medição não verificado. 
Atividade Industrial – Atividade relacionada ao mau funcionamento, processamento ou áreas de armazenagem de matérias-primas em uma indústria. Sistema pluvial: É assim designado por receber as águas das chuvas e direcioná-las para o rio ou estação de tratamento de efluente.
CADRI – Certificado de Movimentação de Resíduos de Interesse Ambiental. 
ETE – Estação de Tratamento de Efluentes.
SEGURANÇA E MEIO AMBIENTE
Todas as atividades devem ser realizadas de forma segura e os EPI’s apropriados devem ser utilizados conforme orientação e avaliação de aspectos e impactos, perigos e riscos. Os aspectos e impactos do sistema devem ser mapeados e as medidas de controle devem atender as necessidades do programa de gerenciamento de recursos hídricos
MATERAIS E MÉTODOS – Procedimento Operacional
Este procedimento considera o sistema para gerenciar os requisitos específicos em torno da Gestão de Recursos Hídricos, conforme diretrizes do EPS 2.0 Gerenciamento de Água Fresca, EPS 3.0 Gerenciamento de Água Pluvial e EPS 4.0 Gerenciamento de Água Residual.
CONSERVAÇÃO DA ÁGUA 
Considerando a necessidade de controle e monitoramento de todo sistema de recursos hídricos e a escassez deste recurso natural, devem-se tomar algumas ações imediatas para garantir a conservação da água. Qualquer anomalia deve ser acionada a Manutenção Predial e a área de meio ambiente para que seja realizado a tratativa.
IDENTIFICAÇÃO DE REQUISITOS APLICÁVEIS 
A instalação deve cumprir todas as exigências legais e da KC que regem o uso das águas e a geração de efluentes. A revisão dos requisitos legais, juntamente com uma avaliação da conformidade devem ser documentadas. A unidade utiliza software contratado de requisitos legais (SOGI LIRA) para garantir o conhecimento e o cumprimento da legislação e realiza mensalmente reuniões com consultoria de requisitos legais para acompanhar o atendimento dos mesmos.
INVENTÁRIO
 A unidade mantém um inventário dos pontos de água potável com os reservatórios principais e caixas d’água distribuídas na unidade e para água pluvial os inventários com a malha de água pluvial e o de aspectos impactantes para o sistema.
SISTEMA DE TRATAMENTO DE ÁGUAS E EFLUENTES 
 
 
GERENCIAMENTO DE ÁGUA FRESCA
A água do poço deverá ser direcionada para o sistema de tratamento deslocado por bombas onde será totalmente tratada e adicionada produtos químicos para atendimento da PORTARIA GM/MS Nº 888, de 24 de maio de 2021, substituição a Portaria de Consolidação nº 5, de 28 de setembro de 2017. Dispõe sobre os procedimentos de controle e de vigilância da qualidade da água para consumo humano e seu padrão de potabilidade
As ações deverão seguir o procedimento bem como as melhorias deverão ser tratadas no plano de melhoria em EHS que contemple os processos para reduzir / eliminar o desperdício de água fresca. A Kimberly possui uma ETA com Filtração Ascendente para tratamento de água utilizando filtração direta ascendente é composto dos seguintes equipamentos e materiais.
 O tratamento químico da água vai
Página123