Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
POA como sujeito

Pré-visualização | Página 1 de 1

POA como sujeito
Instagram: @portuguescombetinho
TikTok: @portuguescombetinho
Uma das primeiras coisas que aprendemos sobre os pronomes
pessoais é que os retos atuam como sujeito, e os oblíquos
atuam como objeto. Existe, porém, um caso, excepcional, em
que nós podemos admitir que o pronome oblíquo átono (POA)
seja sujeito, mas isso é divergente entre os gramáticos.
Primeiro, existem dois grupos de verbos especiais, que nós
devemos conhecer:
a) VERBOS CAUSATIVOS: mandar, deixar, fazer.
b) VERBOS SENSITIVOS: ver, ouvir, sentir.
Quando algum desses seis verbos é seguido de infinitivo ou de
gerúndio, ele não forma locução verbal! Essa estrutura gera o
chamado sujeito acusativo.
Minha mãe ouviu a porta abrindo ontem.
 
Eu deixei o copo cair no chão.
 
Como você não me viu entrar na sala?
POA como sujeito
Instagram: @portuguescombetinho
TikTok: @portuguescombetinho
Veja o exemplo abaixo:
Eu deixei o copo cair no chão.
Nesse caso, há o verbo causativo "deixei" seguido do infinitivo
"cair". Esses dois verbos não formam locução verbal! Há três
análises possíveis:
1) A maioria dos gramáticos entende que a oração "o copo cair
no chão" funciona como objeto direto de "deixei". Portanto "Eu
deixei" é oração principal, e "o copo cair no chão" é oração
subordinada substantiva objetiva direta reduzida de infinitivo. O
termo "o copo" é sujeito de "cair".
2) Outros autores entendem que "o copo" é objeto direto de
"deixei". Nesse caso, "Eu deixei o copo" é a oração principal, e
"cair no chão" é uma oração subordinada substantiva
predicativa do objeto reduzida de infinitivo (ou seja, trata-se de
uma oração que funciona como predicativo para o objeto "o
copo").
3) Rocha Lima, na contramão de todos os autores, afirma que o
termo "o copo" funciona como objeto direto de "deixei" e como
sujeito de "cair" simultaneamente. Infelizmente, ele não explica
como as orações são classificadas entre si.
POA como sujeito
Instagram: @portuguescombetinho
TikTok: @portuguescombetinho
Agora veja este outro exemplo:
Como você não me viu entrar na sala?
Se adotarmos a primeira análise da página anterior,
assumiremos que "Como você não viu" é a oração principal e 
 "[me] entrar na sala" é a oração subordinada substantiva
objetiva direta reduzida de infinitivo. Nesse caso, sim, o "me",
POA, funciona como sujeito do verbo "entrar".
Vale lembrar, novamente, que "viu entrar" não é uma locução
verbal! Eu já vi esse tópico caindo em prova (olha só, o sujeito
acusativo de novo).
Na segunda análise, o "me" seria objeto direto de "viu", e
"entrar na sala", oração subordinada substantiva predicativa do
objeto reduzida de infinitivo.
Por fim, veja o último exemplo:
Minha mãe ouviu a porta abrindo ontem.
Nesse caso, sim, a oração "(a porta) abrindo" pode ser analisada
como objetiva direta reduzida de gerúndio ou predicativa do
objeto reduzida de gerúndio. Legal, né?