A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
80 pág.
Estatuto da OAB

Pré-visualização | Página 16 de 17

na OAB
Após a distribuição ao relator, o processo será incluído em pauta na primeira sessão de julgamentos. A
notificação do representante e do representado para comparecimento à sessão de julgamento deverá ser
providenciada pela Secretaria do Tribunal com 15 dias de antecedência.
na sessão de julgamento, após o voto do relator, é facultada a SUSTENTAÇÃO ORAL pelo tempo de 15
(quinze) minutos, primeiro pelo representante e, em seguida, pelo representado.
Do julgamento do processo disciplinar lavrar-se-á ACÓRDÃO, do qual constarão, quando procedente a
representação: o enquadramento legal da infração; a sanção aplicada; o quórum de instalação e o de deliberação;
a indicação de haver sido esta adotada com base no voto do relator ou em voto divergente; as circunstâncias
agravantes ou atenuantes consideradas; e as razões determinantes de eventual conversão da censura aplicada
em advertência sem registro nos assentamentos do inscrito.
Termo de Ajustamento de Conduta
Recentemente, em novembro de 2020, o artigo 58-A foi inserido no Código de Ética e Disciplina da OAB,
determinando que nos casos de infração ético-disciplinar punível com censura (art. 36 do EAOAB), será admissível
a celebração de termo de ajustamento de conduta, se o fato apurado não tiver gerado repercussão negativa à
advocacia.
No mesmo sentido, o artigo 47-A do CED-OAB prevê que será admitida a celebração de TAC no âmbito dos
Conselhos Seccionais e do Conselho Federal para fazer cessar a publicidade irregular praticada por advogados e
estagiários (art. 39 a art. 47 do CED).
O Provimento n. 200/2020 regulamenta o Termo de Ajustamento de Conduta e estabelece que somente será
permitida a formalização do TAC ao advogado ou estagiário que, detentor de regular inscrição nos quadros da
OAB, não tiver contra si condenação transitada em julgado por representação ético-disciplinar, ressalvando-se as
hipóteses de reabilitação.
Processo na OAB
Recursos
Todos os prazos processuais necessários à manifestação de advogados, estagiários e terceiros, nos processos
em geral da OAB, são de quinze dias, computados somente os dias úteis e contados do primeiro dia útil seguinte,
seja da publicação da decisão no Diário Eletrônico da OAB, seja da data do recebimento da notificação, anotada
pela Secretaria do órgão da OAB ou pelo agente dos Correios.
O recurso poderá ser interposto via fac-simile ou similar, devendo o original ser entregue até 10 dias da data de
interposição. Os recursos poderão ser protocolados nos Conselhos Seccionais ou nas Subseções nos quais se
originaram os processos correspondentes, devendo o interessado indicar a quem recorre e remeter cópia integral
da peça, no prazo de 10 dias, ao órgão julgador superior competente, via sistema postal rápido, fac-símile ou
correio eletrônico.
Todos os recursos têm efeito suspensivo, exceto quando tratarem de eleições dos órgãos, de suspensão
preventiva decidida pelo Tribunal de Ética e Disciplina, e de cancelamento da inscrição obtida com falsa prova.
O relator, ao constatar intempestividade ou ausência dos pressupostos legais para interposição do recurso,
profere despacho indicando ao Presidente do órgão julgador o indeferimento liminar, devolvendo-se o processo ao
órgão recorrido para executar a decisão, observando-se que contra a decisão do Presidente, cabe recurso
voluntário ao órgão julgador.
Os recursos são dirigidos ao órgão julgador superior competente, embora interpostos perante a autoridade ou
órgão que proferiu a decisão recorrida. O juízo de admissibilidade é do relator do órgão julgador a que se dirige o
recurso, não podendo a autoridade ou órgão recorrido rejeitar o encaminhamento.
Cabe recurso ao Conselho Federal de todas as decisões definitivas proferidas pelo Conselho Seccional, quando
não tenham sido unânimes ou, sendo unânimes, contrariem esta lei, decisão do Conselho Federal ou de outro
Conselho Seccional e, ainda, o regulamento geral, o Código de Ética e Disciplina e os Provimentos. Além dos
interessados, o Presidente do Conselho Seccional é legitimado a interpor o recurso referido.
Processo na OAB
Cabe recurso ao Conselho Seccional de todas as decisões proferidas por seu Presidente, pelo Tribunal de Ética
e Disciplina, ou pela diretoria da Subseção ou da Caixa de Assistência dos Advogados.
Não se pode decidir, em grau algum de julgamento, com base em fundamento a respeito do qual não se tenha
dado às partes oportunidade de se manifestar anteriormente, ainda que se trate de matéria sobre a qual se
deva decidir de ofício, salvo quanto às medidas de urgência previstas no Estatuto.
Revisão
A revisão é o processo ético-disciplinar originário, pelo qual, após o trânsito em julgado da decisão condenatória,
o representado requer a qualquer tempo, antes ou após a extinção da pena, o proferimento de uma nova
decisão em razão de erro no julgamento ou condenação baseada em falsa prova, nos termos do Manual de
Procedimentos do Processo Ético-Disciplinar do Conselho Federal da OAB.
O processo de revisão é utilizado pelo advogado punido com a sanção disciplinar para que o órgão de que
emanou a condenação final o processo promova novo julgamento, considerando erro de julgamento ou
condenação baseada em falsa prova, observando-se, no que couber, o procedimento do processo disciplinar.
O pedido de revisão não suspende os efeitos da decisão condenatória, salvo quando o relator, ante a relevância
dos fundamentos e o risco de consequências irreparáveis para o requerente, conceder tutela cautelar para que
se suspenda a execução.
Reabilitação
É permitido ao que tenha sofrido qualquer sanção disciplinar requerer, um ano após seu cumprimento, a
reabilitação, em face de provas efetivas de bom comportamento. Caso a sanção disciplinar resulte da prática de
crime, o pedido de reabilitação depende também da correspondente reabilitação criminal.
Processo na OAB
Cuida-se na reabilitação de processo ético-disciplinar originário, requerido pelo punido, perante a Seccional,
após o cumprimento da pena, pelo qual, em face de provas efetivas de bom comportamento (e, se for o caso,
de ter conseguido a reabilitação criminal), requer a extinção, de seus assentamentos, do respectivo registro
disciplinar, em conformidade com o Manual de Procedimentos do Processo Ético-Disciplinar do Conselho
Federal da OAB.
A competência para processar e julgar o pedido de reabilitação é do Conselho Seccional em que tenha sido
aplicada a sanção disciplinar. Nos casos de competência originária do Conselho Federal, perante este tramitará
o pedido de reabilitação, observando-se, no que couber, o procedimento do processo disciplinar.
O pedido de reabilitação será instruído com provas de bom comportamento, no exercício da advocacia e na
vida social, cumprindo à Secretaria do Conselho competente certificar, nos autos, o efetivo cumprimento da
sanção disciplinar pelo requerente. Quando o pedido não estiver suficientemente instruído, o relator assinará
prazo ao requerente para que complemente a documentação. Caso não seja cumprida a determinação, o
pedido será liminarmente arquivado.
Tribunal de Ética e Disciplina
Cada Conselho Seccional criará seu Tribunal de Ética e Disciplina, sendo competente para definir sua
composição e seu funcionamento, além de escolher seus membros. 
Compete aos Tribunais de Ética e Disciplina:
I – julgar, em primeiro grau, os processos ético-disciplinares;
II – responder a consultas formuladas, em tese, sobre matéria ético-disciplinar;
III – exercer as competências que lhe sejam conferidas pelo Regimento Interno da Seccional ou por este
Código para a instauração, instrução e julgamento de processos ético-disciplinares;
Processo na OAB
IV – suspender, preventivamente, o acusado, em caso de conduta suscetível de acarretar repercussão
prejudicial à advocacia, nos termos do Estatuto da Advocacia e da Ordem dos Advogados do Brasil;
V – organizar, promover e ministrar cursos, palestras, seminários e outros eventos da mesma natureza
acerca da ética profissional do advogado ou estabelecer parcerias com