A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Patologia Médica - Sistema Genital Masculino

Pré-visualização | Página 2 de 2

lisa da uretra prostática. Também pode ser cirúrgico com a 
prostatectomia aberta ou curetagem dos nódulos (RTU). 
→ Vemos na macroscopia Aumento nodular da próstata, 
varia conforme os lobos acometidos e a constituição 
histológica dos nódulos, podendo pesar até 20 vezes o 
normal. 
 
 
Adenocarcinoma Prostático 
→ É uma neoplasia maligna causada pela proliferação de 
ácinos e ductos prostáticos, sendo uma das principais 
causas de morte por câncer. 
 
 
 
 
→ Apenas uma camada celular, sem células basais. 
 
 
 
→ Pode ser classificado como: 
 ↪ Clinico: manifestações locais que levam a 
suspeita, se não tratado pode levar a morte.; 
 ↪ Latente: é o adenocarcinoma apenas 
histológico, podendo não evoluir para adenocarcinoma. 
 ↪ Oculto: descoberto devido a metástases. 
→ A necropsia é feita apenas em paciente com idade 
acima de 40 anos sem distúrbios urológicos. 
→ A maioria dos adenocarcinomas histológicos não 
evoluem para forma clínica (5:1). 
→ É a terceira causa de morte por câncer mais frequente 
em homens, após pulmão e colorretal. A mortalidade é 
maior em negros e pardos. 
→ A etiopatogenia é em grande parte desconhecida, mas 
sabe-se que a idade, raça (maior incidência em brancos e 
amarelos), alterações genômicas e hormonais (aumento do 
andrógeno aumenta volume do câncer) e fatores 
genéticos influenciam. 
→ O tratamento é a orquiectomia, prostatectomia radical, 
radioterapia e tratamentos paliativos com hormônios para 
regressão tumoral. 
 
 
 
→ O paciente com essa condição tem dificuldade para 
iniciar ou terminar o jato de urina, disuria, polaciuria e 
hematúria. 
 ↪ Pode progredir para metástases ósseas com 
manifestação de dor em lombar ou bacia. 
→ O diagnóstico é feito através da biopsia, USG transretal 
complementa o toque e detecta lesões. 
 ↪ Dosagem de PSA livre pelo total menor do que 
0,15 favorece carcinoma. 
→ Pode ser classificado de acordo com o Sistema de 
Gleason com graus 1, 2, 3, 4 e 5. 
 
 
 
→ O estadiamento varia de acordo com a graduação 
histológica: 
 
 
 
 
 
 
→ A disseminação ocorre para uretra, colo vesical, trígono 
vesical e tardiamente para a parede do reto. 
 ↪ Metástases linfáticas são comuns, acometendo 
cadeias obturadoras, hipogástricas, pré-sacros e paraórticos. 
 ↪ Metástases hematogênicas: osteoblásticas em 
70% dos casos, acometendo pelve, vertebras torácicas e 
costelas. Nesses casos a dor e fraturas ósseas são as 
primeiras manifestações. 
 ↪ Metástases a distância: pulmões, fígado, pleura 
e rim. 
 
Lesões Pré-Cancerosas 
→ Neoplasia intraepitelial prostática (NIP): são lesões 
atípicas do epitélio de revestimento prostático em ductos e 
ácinos. 
→ O tratamento é feito pela prostatectomia aberta, radical 
RTU ou biopsia de agulha. 
→ Não apresenta alterações macroscópicas tão visíveis 
com aspecto homogêneo e esbranquiçado ou branco 
amarelado, quanto as microscópicas encontramos células 
atípicas irregularmente dispostas com núcleos volumoso e 
nucléolos evidentes em ductos e ácinos prostáticos. 
 
 
 
 
→ Apresenta nódulo endurecido detectado ao toque retal 
e alteração no PSA. 
 
 
→ A aparência de uma próstata normal: