A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Aula 01 - Metodologia Científica

Pré-visualização | Página 1 de 2

A todo momento nos interrogamos sobre o 
significado e a função da Metodologia Científica, bem 
como seu ponto de partida, que recai sobre atitudes 
que não são espontâneas à existência humana, ao 
contrário da fala, por exemplo, que sem dúvida é um 
ato espontâneo. 
Porém, dominar a linguagem não depende do 
desenvolvimento natural dos sujeitos, mas de 
habilidades e competências para uma postura 
reflexiva e crítica. 
Esta aula visa uma maior aproximação da 
Metodologia Científica e do processo de 
desenvolvimento e aquisição do conhecimento. 
• Estudar os tipos de conhecimentos; 
• Distinguir os conceitos de senso comum, 
conhecimento filosófico, cientifico e discurso 
religioso. 
Você já ouviu falar em Metodologia Científica, mas será 
que sabe de fato o que é? 
Observe as definições segundo alguns autores: 
Metodologia científica é o 
estudo dos métodos de 
conhecer, de buscar o 
conhecimento. É uma forma 
de pensar para se chegar à 
natureza de um determinado 
problema, seja para explicá-lo 
ou estudá-lo. 
KAHLMEYER-MERTENS et al. Como elaborar projetos de 
pesquisa: linguagem e método. Rio de janeiro: FGV, 2007. 
p. 15 
 
 
 
Para nós, método é um conjunto 
de etapas, ordenadamente 
dispostas, a serem vencidas na 
investigação da verdade, no 
estudo de uma ciência, ou para 
alcançar determinado fim. E 
metodologia (do grego methodos 
+ logia) significa o “estudo do método”. 
Quanto à palavra ciência, durante muito tempo ela 
serviu para indicar conhecimento em sentido amplo, 
genérico, como na expressão “tomar ciência”, cujo 
significado é “ficar sabendo”. Aos poucos, porém, 
como veremos, ganhou também sentido restrito, 
passando a designar o conjunto de conhecimentos 
precisos e metodicamente ordenados em relação a 
determinado domínio do saber. 
RAMPAZZO, Lino. Metodologia científica: para alunos dos 
cursos de graduação e pós-graduação. 3. ed. São Paulo: 
Loyola, 2005. p. 13. 
Metodologia significa, na 
origem do termo, estudo 
dos caminhos, dos 
instrumentos usados para 
se fazer ciência. É uma 
disciplina instrumental a 
serviço da pesquisa. Ao 
mesmo tempo visa 
conhecer caminhos do processo científico, também 
problematiza criticamente, no sentido de indagar os 
limites da ciência, seja com referência à capacidade 
de conhecer, seja com referência à capacidade de 
intervir na realidade. 
DEMO, Pedro. Metodologia científica em ciências sociais. 
3. ed. São Paulo: Atlas, 2007. p. 11. 
Agora que você já conheceu um pouco sobre 
metodologia científica, marque a opção correta. 
–
I. Metodologia cientifica é o estudo dos 
métodos de conhecer e de buscar o 
conhecimento; 
II. Metodologia cientifica é o estudo dos 
caminhos e dos instrumentos usados 
para se fazer ciência. 
Das alternativas acima: 
a) Apenas a I é verdadeira. 
b) Apenas a II é verdadeira. 
c) Todas as alternativas são verdadeiras. 
d) Todas as alternativas são falsas. 
A metodologia científica está dentro de duas grandes 
áreas: a Epistemologia e a Metodologia Científica Aplicada. 
Essas duas áreas se completam! 
Vamos entender. 
Epistemologia vem de episteme = termo 
grego que designa ciência; logia/logos = estudo. 
Também conhecida como Filosofia da Ciência, a área 
se ocupa da fundamentação da ciência. 
“ –
– ” 
 
A Metodologia Científica está 
destinada à pesquisa e à elaboração 
de trabalhos acadêmicos e 
científicos. 
Se considerarmos o conhecimento e a 
verdade como algo dinâmico e histórico, 
encontraremos o ser humano como razão e 
fundamento desse saber. 
Assim, não será 
preciso mais fazer 
perguntas do tipo: por 
que tenho que estudar? 
Já que a resposta está na 
célebre frase de 
Descartes, “penso, logo 
existo”. Porque essa é a 
nossa essência. 
Aliás, muitos são os motivos para estudar 
Metodologia Científica. 
Vamos ver alguns deles: 
 
Ao ler as definições sugeridas para Metodologia 
Científica podemos perceber que todas mencionam a 
palavra conhecimento (capacidade de conhecer). 
• Mas, o que significa conhecer? 
Significa incorporar um conceito novo, ou original, 
sobre um fato ou fenômeno qualquer. 
Porque o conhecimento científico não 
existe sem método, sem uma linguagem 
específica, ou um rigor próprio.
Porque o maior desafio da Instituições de 
Ensino Superior está em desenvolver a 
postura de um pesquisador ao longo do 
processo educacional.
Porque é preciso desenvolver a autonomia do 
pensamento, muito presente no meio 
acadêmico. No exercício profissional, o sucesso 
está intimamente relacionado à capacidade de 
planejar e de organizar o pensamento, muitas 
vezes adquirida por meio da busca do 
conhecimento, através das práticas de leitura e 
da participação das atividades acadêmicas.
• E qual o valor do conhecimento para a vida 
humana? 
É o resultado das experiências que acumulamos em 
nossa vida cotidiana. 
• O conhecimento pode ser obtido de diversos 
modos, através do método científico, das 
hipóteses, das leis e teorias científicas, bem 
como por meio da pesquisa científica e da 
elaboração de trabalhos acadêmicos. 
Há muitas maneiras de estudar a realidade... 
No mundo acadêmico os modos de conhecer 
são classificados em: 
Vamos estudar cada um mais detalhadamente. 
 
Aquilo que assimilamos por tradição. Ideias que 
nos ajudam a interpretar a vida e a julgar certas 
situações. 
Na verdade, estamos mergulhados no senso 
comum, que geralmente se apresenta como um 
saber ingênuo, fragmentado e por vezes 
conservador. 
O senso comum pode ser caracterizado em: 
• Espontâneo: Primário, simples e elementar. 
Nasce da tentativa do homem resolver seus 
problemas no dia a dia. 
 
• Empírico: Se baseia na experiência cotidiana 
comum. 
 
• Subjetivo: É relativo ao sujeito do 
conhecimento. É formado por juízos 
pessoais a respeito das coisas, ocorrendo 
o envolvimento emocional e valorativo de 
quem observa. 
 
• Ametódico: Porque não possui um método, 
ou seja, um procedimento, uma técnica. 
 
• Ingênuo ou acrítico: Não é crítico, não se 
coloca como problema e não se questiona 
enquanto saber. 
É preciso ressaltar que senso comum não é o 
mesmo que bom senso, uma vez que este revela 
certo refinamento das ideias, uma elaboração mais 
coerente do saber comum. 
Você já deve ter ouvido que gato preto é considerado 
maus agouro. Mas você sabe por quê? 
“Tal crença surgiu na Inglaterra, no século XVI, 
quando um repentino aumento da população de 
gatos desencadeou uma perseguição aos animais. 
Numa noite de 1560, um gato preto foi ferido a 
pedradas. 
Encurralado, refugiou-
se na casa de uma velhinha, 
que por sinal costumava a dar 
abrigo a gatos de rua. No dia 
seguinte, a velhinha apareceu 
toda machucada, o que fez a 
população achar que ela era 
bruxa e o gato, um disfarce 
noturno. O episódio bastou para condenar os gatos 
pretos. A matança se espelhou pela Europa e só 
diminuiu a partir de 1630, quando o rei Luís 13 proibiu 
a prática.” 
Aqui está mais um exemplo de conhecimento 
que não necessita de comprovação, onde o que se 
sabe, se sabe pelo que se ouviu dizer e pronto, ou 
seja, o conhecimento empírico determina que o gato 
preto seja considerado mau agouro. 
Segundo Maria Lúcia Arruda Aranha e Maria 
Helena Pires Martins dizem que: 
“
” 
ARANHA; MARTINS, 2003, p. 81 
Agora veja como essas autoras caracterizam o 
conhecimento filosófico: 
• Radical: Originada do Latin radix, radicis 
significa raiz e, no sentido figurado, 
“fundamento”, “base”. A filosofia é considerada 
radical porque busca explicitar os conceitos 
que estão na base do pensar e do agir. 
Investiga as raízes, os princípios que orientam 
nossa existência. 
 
• Rigorosa: O conhecimento filosófico pode 
ser rigoroso, pois o filósofo deve dispor de 
um método a fim de proceder com rigor na 
investigação. São vários métodos para 
proceder a investigações e desenvolver um 
pensamento rigoroso, fundamentado, 
coerente

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.