A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Aula 04 - Diferentes técnicas de estudo

Pré-visualização | Página 1 de 3

Nessa aula, você aprenderá sobre as técnicas 
de estudo. Para isso, é importante reconhecer a leitura 
como principal fonte de matéria-prima para o 
desenvolvimento do conhecimento. 
• Reconhecer a leitura como principal fonte de 
matéria-prima para o desenvolvimento do 
conhecimento; 
• Comparar técnicas de estudo; 
• Diferenciar as funções da Resenha e do 
Resumo na produção científica; 
Acostumamo-nos a ouvir que as tecnologias 
invadiram nossa experiência cotidiana, não é mesmo? 
Muitos acreditam que os jovens se afastaram 
da leitura em razão de um suposto excesso de 
tecnologias. Esse afastamento, consequentemente, 
teria provocado um empobrecimento da linguagem. 
Há quem diga também que não tem paciência 
para ler um livro, que ver um filme é muito melhor. 
Ou, ainda, saem com frases do tipo: “o que não tenho 
é tempo!” 
Será que isso é verdade? Ou estamos diante 
de alguém que não criou o hábito de ler? 
É natural não termos tempo para certas coisas. 
Ninguém tem tempo, no final das contas, mas todos 
querem saber tudo, não é? 
Vamos descobrir nesta aula que a leitura não 
foi deixada de lado e que ela é o primeiro passo para 
colocar em prática as técnicas de estudo e 
desenvolver as atividades acadêmicas. 
 
 
 
 
Segundo alguns autores... 
Carlos Drummond de Andrade 
“A leitura é uma fonte 
inesgotável de prazer, mas, por 
incrível que pareça, a quase 
totalidade não sente esta sede”. 
 
Albert Einstein 
“A leitura após certa idade 
distrai excessivamente o 
espírito humano das suas 
reflexões criadoras. Todo o 
homem que lê demais e usa 
o cérebro de menos adquire 
a preguiça de pensar”. 
 
René Descartes 
“A leitura de todos os 
bons livros é uma 
conversação com as mais 
honestas pessoas dos 
séculos passados”. 
 
Francis Bacon 
“A leitura traz ao homem 
plenitude, ao discurso 
segurança e à escrita 
exatidão”. 
 
–
Durante a leitura, experimentamos um mundo 
totalmente novo ou melhoramos o nosso. E isso é 
muito gratificante, não é mesmo? 
Saber ler de maneira eficiente nos ajuda a 
descobrir novos caminhos, fertiliza a inteligência, nos 
ajuda a compreender a vida e a viver melhor ao lado 
do outro. 
Tudo bem que agora não é necessário adquirir 
um livro para ler um bom texto, já que as mídias 
eletrônicas possibilitam a leitura em telas. 
Porém, mesmo com essa tecnologia, as 
principais fontes de pesquisa e conhecimento ainda 
são os bons e velhos livros, principalmente no meio 
acadêmico. 
Por isso, vamos começar com a escolha deles 
.
Vamos ver um passo a passo de como 
escolher um livro... 
1. Título: 
Observe o título e o subtítulo, se 
houver. Na maioria das vezes, ele 
indica o assunto e, às vezes, 
até a intenção do autor. 
2. Orelha: 
Se o livro apresentar “orelhas”, 
faça a leitura da informação 
trazida nelas. Na que 
acompanha a 
capa, geralmente 
encontramos uma 
apreciação da obra feita por alguém de prestígio. 
3. Ficha Catalográfica: 
Em seguida, leia a ficha catalográfica e verifique 
as qualificações da obra e do autor. Atente-se para a 
data da publicação e certifique-se de que é a versão 
mais atualizada. 
A ficha de catalogação para publicação, ou Ficha 
Catalográfica, tem suas origens nas fichas de papel 
dos catálogos de consulta de 
acervo de bibliotecas. As fichas 
eram criadas em cópias 
para serem 
colocadas nos livros 
e nos catálogos em 
gavetas. 
Havia tantas fichas quanto houvesse catálogos de 
busca: por título, por autor, por assunto. Convenções 
de padronização determinaram regras diversas, tal 
como qual entrada deve ser a primária ou como 
referir-se às informações da obra na ficha. 
A Biblioteconomia é a área responsável por esse 
tipo de informação. No Brasil, a entidade mais 
frequentemente associada à catalogação é a Câmara 
Brasileira do Livro, CBL, em um serviço totalmente 
online. 
4. Sumário: 
Verifique o sumário. Nesta 
parte você encontrará uma 
divisão em tópicos de 
como o livro foi 
organizado. 
Muitas vezes é ele que nos dá a 
dica de que o livro traz exatamente o assunto que 
estamos pesquisando. 
5. Prefácio: 
Se possível, leia a 
introdução ou o prefácio, 
se houver. Neste, o 
autor apresenta a 
metodologia usada e os 
objetivos do trabalho realizado ou até mesmo um 
resumo do livro. 
 
 
https://estacio.webaula.com.br/cursos/GON299/galeria/aula4/docs/ficha_catalografica.pdf
https://cbl.org.br/
6. Orelha: 
Na “orelha” que 
acompanha a contracapa é 
comum encontramos 
informações sobre o autor 
do livro e suas obras 
publicadas. 
 
7. Contracapa: 
A contracapa ajuda muito na 
nossa escolha. Ela costuma 
conter um texto de 
apresentação, a sinopse, ou 
mesmo um trecho do livro, 
dando uma espécie de amostra do que 
vamos encontrar nele. 
Agora a leitura nos levará às técnicas de estudo 
Bem, já sabemos a importância da leitura, já 
sabemos identificar as partes do livro que nos ajudam 
a escolhê-lo, agora vamos aprender algumas técnicas 
de estudo, baseadas obviamente na leitura, que nos 
ajudarão a organizar as ideias encontradas nos textos 
e, melhor ainda, nos ajudarão a recuperar essas ideias 
quando mais precisarmos delas. 
É ela que influenciará toda pesquisa, na medida 
em que dá o alicerce teórico que servirá de base ao 
trabalho. 
Pois bem, essa é a fase que consiste no 
levantamento, seleção, fichamento e arquivamento de 
informações relacionadas ao que se pretende estudar. 
O fichamento, por exemplo, configura um 
aperfeiçoamento da pesquisa bibliográfica, porque 
contém comentários pessoais sobre a leitura e 
algumas citações-chave. Ou seja, trata-se de uma 
técnica de estudo que ajuda na organização do 
conhecimento. 
Apresenta sobre como e quando se devem 
utilizar os fichamentos. Mostra como elaborar os 
fichamentos de forma adequada para cada tipo de 
documento ou trabalho a ser representado. Aborda 
de forma simples como confeccionar os textos em 
fichamentos. 
• O que é fichamento? 
O fichamento é um registro feito em fichas, onde 
se pode simplesmente reunir citações ou incluir tópicos e 
expor uma análise crítica de determinado texto. 
No fichamento se resume as ideias principais de 
um conteúdo - que pode ser um livro, ou parte dele, um 
artigo de revista e uma reportagem jornalística, por 
exemplo. 
Como as ideias que você considera principais podem 
não ser as mesmas para todos, se comparar com o 
fichamento do mesmo texto feito por outra pessoa, 
notará que o resultado é um trabalho particular; afinal, o 
mesmo reflete os aspectos valorizados por cada pessoa 
individualmente. 
Utilizado como técnica de estudo pessoal, e muito 
útil como metodologia de pesquisa do TCC, também serve 
para organizar apresentações. 
• Como fazer um fichamento? 
Para fazer um fichamento você deve ter o 
primeiro contato com o texto através de uma leitura 
breve. Essa leitura dinâmica servirá para você se situar e 
saber do que se trata o conteúdo do texto que pretende 
fichar. 
Depois dessa primeira impressão, faça várias 
leituras. Enquanto faz isso, vá juntando as informações 
principais de forma organizada e retire citações com as 
devidas indicações de onde as mesmas podem ser 
encontradas nos textos 
A estrutura do fichamento é: cabeçalho, 
referência bibliográfica e texto, onde você deve escrever 
o conteúdo principal. 
O fichamento pode ser feito manualmente em 
fichas, em blocos de anotações ou em suporte 
informático. 
Adote a forma que considera mais prática. 
Lembre-se que se o fichamento for uma tarefa solicitada 
por um professor, é importante seguir as normas da 
ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). 
• Tipos de fichamento: 
Há três tipos: fichamento de citação, fichamento 
textual e fichamento bibliográfico. 
 
Fichamento de Citação: 
Fichamento que consiste na reunião das frases 
mais importantes citadas em um texto. Por isso devem 
ser transcritas entre aspas. 
É preciso ter especial

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.