A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
19 pág.
Versão Impressa - Língua e Linguagem - Aula 01

Pré-visualização | Página 1 de 3

LINGUAGEM E LÍNGUA 
CONCEITOS 
 
DEFINIÇÃO 
Neste tema, são abordadas a distinção entre linguagem verbal e linguagem não 
verbal, as principais concepções de linguagem e as implicações dessas 
concepções no uso da língua. Esses elementos são fundamentais para 
compreensão da linguagem e de suas interferências no uso da Língua Portuguesa. 
 
PROPÓSITO 
Este tema tem como propósito a compreensão da diferença entre linguagem verbal 
e não verbal, as concepções de linguagem que geralmente adotamos, e as 
consequências de tais concepções no uso cotidiano da língua. 
 
OBJETIVOS 
 
● MÓDULO	1: Distinguir linguagem verbal e linguagem não verbal; 
● MÓDULO	2: Reconhecer as três principais concepções de linguagem; 
● MÓDULO	3: Identificar implicações de diferentes concepções de 
linguagem no uso do português. 
 
MÓDULO 1 
OBJETiVO: Distinguir linguagem verbal e linguagem não verbal 
 
INTRODUÇÃO 
Você já parou para pensar em quantos anos estudou a Língua Portuguesa na 
escola? Sabe a quantidade de regras gramaticais que tentou decorar ou de páginas 
que escreveu nas aulas de redação? 
Para muita gente, estudar Português é algo chato, relacionado à decoreba de regras 
gramaticais ou à produção de textos com pouca conexão com o mundo real da 
comunicação. 
Se essa foi a sua experiência, já adiantamos que você é convidado a olhar a Língua 
Portuguesa de outra forma. Caso sua relação com o idioma ao longo de vários anos 
na escola tenha contribuído para melhorar o uso da nossa língua, aqui você vai 
aprender ainda mais. 
Vamos, então, começar com a leitura de um poema para pensar um pouco sobre 
nossa experiência com a Língua Portuguesa. O título do poema é Aula de Português 
e foi escrito por Carlos Drummond de Andrade. 
 
Aula de Português 
Carlos Drummond de Andrade 
A linguagem 
na ponta da língua, 
tão fácil de falar 
e de entender 
 
A linguagem 
 
na superfície estrelada de letras, 
sabe lá o que ela quer dizer? 
 
Professor Carlos Góis, ele é quem sabe, 
e vai desmatando 
o amazonas de minha ignorância. 
Figuras de gramática, esquipáticas, 
atropelam-me, aturdem-me, sequestram-me. 
 
Já esqueci a língua em que comia, 
em que pedia para ir lá fora, 
em que levava e dava pontapé, 
a língua, breve língua entrecortada 
do namoro com a prima. 
O português são dois; o outro, mistério. 
 
 
O PORTUGUÊS QUE VOCÊ APRENDEU NA ESCOLA AiNDA É UM 
MiSTÉRiO, ALGO DiSTANTE? 
 
Assim como Drummond entende que existem duas linguagens (formal e do 
cotidiano), precisamos entender que há diversos tipos de linguagem. Vamos 
REFLEXÃO 
O poema apresenta dois tipos de linguagem: a linguagem informal do dia a dia, 
que não precisa ser aprendida na escola, e a linguagem formal do professor ou 
dos livros, aprendida na sala de aula. No último verso, isso é resumido na frase 
“O português são dois”. 
 
conhecê-los para compreender por que uma língua como o português é uma das 
linguagens que dispomos para a comunicação. 
 
LiNGUAGEM VERBAL E LiNGUAGEM NÃO VERBAL 
O ser humano utiliza diversos tipos de linguagem para se comunicar. A linguagem 
constitui todos os sistemas de sinais ou signos convencionais que nos permite a 
comunicação. 
 
 
 
 
 
MAS O QUE SÃO SiGNOS? 
Os signos são os sinais que os seres humanos produzem quando se 
comunicam. Ao falarmos ou escrevermos, usamos o signo linguístico. Ao 
desenharmos um objeto, usamos um signo imagético. Assim, “ao produzir 
signos, os seres humanos estão produzindo a própria vida, como eles 
representam seus pensamentos, exercem seu poder, elaboram sua cultura e sua 
identidade etc.” (ORLANDI, 2009). 
O signo representa algo que não está presente. A palavra mesa ou a imagem de 
uma mesa não são propriamente o objeto que designamos como mesa. Os 
signos são usados para designar ou significar alguma coisa. 
Ficou complexo? Veja um exemplo. 
 
 
Assim como os signos podem ser de diversas naturezas ou tipos, há diferentes 
tipos de linguagem. A linguagem humana, por exemplo, pode ser verbal e não 
verbal. 
● A linguagem verbal se vale da palavra, seja escrita ou falada, como ocorre 
com o texto de um livro ou em um bate-papo; 
● A linguagem não verbal é aquela que utiliza um tipo de código diferente 
da palavra. Gestos, imagens e sons são exemplos de linguagem não verbal. 
O semáforo é outro exemplo de linguagem não verbal. 
 
O pintor belga René Magritte tem um famoso quadro, que faz parte da série A 
traição das imagens, em que sugere o caráter representativo dos signos. O 
quadro Isto não é um cachimbo (Ceci n'est pas une pipe) nos ajuda a 
compreender que a linguagem representa o que percebemos da realidade, ou 
seja, a imagem de um cachimbo não é o próprio cachimbo. Por razões óbvias, 
não dá para usar o cachimbo que foi pintado. 
 
 
 
A partir da caracterização da linguagem verbal como uma linguagem humana que 
utiliza a palavra, perceba que a língua é um tipo de linguagem, mas ela não é a única 
linguagem de que dispomos. 
Assim, a língua é uma linguagem humana específica, baseada na palavra. Língua e 
linguagem verbal são termos correspondentes. 
Por outro lado, a música, a pintura, a dança, o teatro e o cinema usam signos que 
pertencem a outro tipo de linguagem humana, já denominada aqui como 
linguagem não verbal. Por isso, são comumente usadas expressões como 
linguagem da música, linguagem corporal, linguagem pictórica etc. 
A distinção entre linguagem verbal e não verbal não deve levar você a concluir que 
a comunicação acontece sempre e apenas por meio de um único tipo de 
linguagem. 
 
QUE OUTRO SER TEM GESTOS SiGNiFiCATiVOS, PiNTA, 
FOTOGRAFA, FAZ CiNEMA? COMPREENDE-SE, ASSiM, QUE O 
HOMEM E A LiNGUAGEM SE RELACiONAM DE FORMA A NÃO SE 
CONCEBEREM UM SEM O OUTRO E QUE A LiNGUAGEM ESTÁ 
iNDiSSOLUVELMENTE ASSOCiADA COM A ATiViDADE MENTAL 
HUMANA, A QUAL, ABSOLUTAMENTE, NÃO SE MANiFESTA SÓ 
PELO VERBAL. 
(PALOMO, 2001) 
 
Quando você conversa com outra pessoa, por exemplo, faz uso da linguagem 
verbal (a fala) e da linguagem não verbal (gestual, postura corporal, tom da voz etc.). 
A história em quadrinhos é outro exemplo de integração de linguagem verbal e não 
verbal. 
 
LINGUAGEM HIPERMIDIÁTICA 
Com as tecnologias digitais e a Internet, essa integração entre linguagem verbal e 
não verbal fica muito evidente e interessante, pois usamos palavras, imagens, sons 
e outros recursos para interagir nas redes sociais. É cada vez mais comum 
trocarmos mensagens em que a escrita se mistura com emojis ou emoticons. 
A versão original deste conteúdo didático é um exemplo da integração entre 
diferentes tipos de linguagem, articulando texto escrito com vídeo, podcast, 
imagens e símbolos. Tudo isso é possível por causa de outra integração: 
convergência entre diferentes mídias formando o que tem sido chamado de 
hipermídia. É como se o livro impresso, o rádio, a televisão e o computador 
estivessem todos reunidos com suas diferentes linguagens. Assim, hoje em dia, se 
fala de uma linguagem hipermidiática, um bom exemplo dessa integração de 
linguagem verbal e não verbal. 
É verdade que a linguagem verbal, falada ou escrita, predomina nos atos de 
comunicação. Mas você deve reconhecer que a linguagem não verbal está 
associada intimamente a nossas atividades e possui também sua relevância. 
Nossos gestos ao falar ou uma imagem ilustrativa num texto escrito também 
dizem muito e, às vezes, até contradizem o que falamos ou escrevemos. 
Imagine alguém dizendo que está calmo e tranquilo, mas, ao mesmo tempo, pisca 
os olhos num ritmo acelerado, tem as mãos trêmulas e balança pernas e pés num 
movimento frenético. Dificilmente essa pessoa vai convencer o outro de que está 
calma. 
ASSiM, AO FAZERMOS A DiSTiNÇÃO ENTRE LiNGUAGEM VERBAL E 
NÃO VERBAL NÃO QUEREMOS SUGERiR QUE APENAS UMA DELAS 
SEJA iMPORTANTE E PRECiSE SER CUiDADA. 
Até aqui, você aprendeu que a linguagem é constituída de sinais

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.