A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
43 pág.
NEGOCIAÇÃO E RELAÇÕES SINDICAIS

Pré-visualização | Página 1 de 13

NEGOCIAÇÃO E RELAÇÕES SINDICAIS
Questão 1/10 - Negociação e Relações Sindicais
Fonte: https://dialogospoliticos.wordpress.com/2012/11/13/sindicato-forte-com-unicidade-e-contribuicao-sindical/
Considerando essas informações e o conteúdo estudado sobre unicidade e pluralidade sindical, pode se afirmar que unicidade sindical é:
Nota: 0.0
	
	A
	a imposição legal de um sindicato único por grupo de trabalhadores, que são agrupados por categoria
	
	B
	a imposição legal de um sindicato único por trabalhadores, que são agrupados por profissão
	
	C
	a imposição legal de um sindicato único por trabalhadores, que são agrupados por empresas
	
	D
	a imposição legal de um sindicato único por trabalhadores, que são agrupados por categoria, empresa, ou ainda, por uma profissão.
Justificativa:
ROTA 2 - NEGOCIAÇÃO E RELAÇÕES SINDICAIS TEMA 5 – UNICIDADE E PLURALIDADE SINDICAL
Unicidade sindical é o sistema pelo qual a lei impõe a existência de um único sindicato para um determinado grupo de trabalhadores (que pode ser, conforme definido em lei, uma categoria, uma profissão, ou ainda uma empresa). Trata-se do sistema do sindicato único, também denominado sistema monista.
	
	E
	a imposição legal de um sindicato único por trabalhadores, que são agrupados por territoriedade.
Questão 2/10 - Negociação e Relações Sindicais
O contrato de trabalho é a materialização de uma relação de trabalho, que pode ser alvo de negociações de âmbito coletivo ou, individual. Sendo que cada uma destas hipóteses de negociação tem suas peculiaridades próprias (regras, institutos e princípios), que caracterizam cada uma dessas negociações.
Considerando essas informações e o conteúdo estudado sobre relações individuais do trabalho x relações coletivas do trabalho, analise as afirmações e assinale a alternativa correta:
I - ( ) A Constituição Federal regulamenta as relações coletivas de trabalho e a CLT regula as relações individuais de trabalho.
II - ( ) As relações individuais do trabalho refere-se as relações entre empregado e empregador.
III - (  ) Os sujeitos do Direito Individual do Trabalho são: empregado e empregador e o sindicato.
IV - ( ) Na relação individual de trabalho ocorre a união do empregado a seu empregador, no qual se estabelecem para ambos direitos e deveres.
Agora, assinale a alternativa que apresenta a sequência correta:
Nota: 0.0
	
	A
	V, F, V, V.
	
	B
	F, V, V, V.
	
	C
	F, V, F, V.
Rota 1- ROTA 1 - NEGOCIAÇÃO E RELAÇÕES SINDICAIS - Tema 01 da Rota: RELAÇÕES INDIVIDUAIS DO TRABALHO X RELAÇÕES COLETIVAS DO TRABALHO
Justificativa
A alternativa I é falsa, visto que, a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), criada em 1943, regula tanto as relações individuais, quanto coletivas do trabalho, como bem menciona seu artigo 1º.
A alternativa II é verdadeira, pois as relações individuais do trabalho, são os contratos e acordos entre empregado e empregador, tratados de maneira individual, que podem ser: salário, função exercida, horário de trabalho, dentre outros.
A alternativa III é falsa, pois os sujeitos do Direito Individual do Trabalho são: empregado e empregador.
A alternativa IV é verdadeira, pois a relação individual de trabalho é a que entrelaça um empregado a seu empregador, mediante direitos e obrigações recíprocas.
 
	
	D
	V, F, V, F.
	
	E
	F, F, V, V.
Questão 3/10 - Negociação e Relações Sindicais
Atualmente o conceito de sindicato está elencado no caput do artigo 511 da CLT, que estabelece que os empregados e empregadores, bem como os trabalhadores autônomos e profissionais podem se associar. Lembrando que o sindicato tem como objetivo defender os interesses
de profissões ou atividades, e não apenas de empregados e empregadores, nos estreitos limites da relação de trabalho stricto sensu. Todavia, é importante entender que o sindicato é uma construção histórica que foi se moldando ao longo do tempo.
Considerando essas informações e o conteúdo estudado sobre o HISTÓRICO DO SINDICALISMO PELO MUNDO, analise as afirmações e assinale a alternativa correta:
I. São exemplos de organizações com traços de entidades sindicais: os colégios romanos, os guildas, e as corporações de ofício.
II. Os colégios romanos, ligados à Sérvio Túlio, tinham como objetivo a regularização profissional, para quem exercessem algumas oficio, como sapateiro, carpinteiros.
III. Os guildas, que tiveram origem anglo-saxã, podem ser considerados os primeiros sindicatos da história.
IV. As corporações de oficio do início da Idade Média, são associações que regulamentavam as profissões especificas, estabelecendo inclusive os valores dos trabalhos.
Está correto apenas o que se afirma em:
Nota: 0.0
	
	A
	I e III
	
	B
	I e II
	
	C
	I e IV
	
	D
	II e III
	
	E
	I, II e IV
Justificativa:
ROTA 1 - NEGOCIAÇÃO E RELAÇÕES SINDICAIS Tema 1 - HISTÓRICO DO SINDICALISMO PELO MUNDO
A alternativa I está correta, visto que os colégios romanos, os guildas, e as corporações de ofício, são considerados organizações com traços de entidades sindicais. A alternativa II está correta, pois colégios romanos, ligados à Sérvio Túlio, formas de associações, mas que não representavam instrumentos de defesa de interesses coletivos, bem como tinham a finalidade de regulamentar as profissões como exemplo: sapateiros, carpinteiros. A alternativa III está errada visto que os guildas tinham como finalidade defender os interesses de seus integrantes, mas não podem ser considerados uma entidade sindical, esse instituto tem uma semelhança maior com às Conselhos de Classe da atualidade. A alternativa IV está correta, visto que as corporações de oficio da Idade Média estabeleciam as normas que iam reger os ofícios, bem como estabeleciam preços de produtos e margens de lucro e tinham o papel de fazer a regulação e fiscalização da profissão em um determinado local, e cada profissão tinha uma função específica.
Questão 4/10 - Negociação e Relações Sindicais
Leia o texto:
O jurista Sérgio Pinto Martins pag. pontua que em outros países como Inglaterra, França e Alemanha, os sindicatos surgiram de baixo para cima. No Brasil ocorreu, o contrário: foi de cima para baixo, com a imposição do Estado sobre a organização dos trabalhadores. Enquanto em outros países os sindicatos foram sendo criados em função de reivindicações de movimentos operários, em nosso país decorreu de imposição estatal.
Ocorre que com a promulgação da Constituição de 1988, foi afastado o controle estatal do executivo sobre os sindicatos, mas para tal itinerário, impossível não nos servir das fustigações do jovem pesquisador Thiago Barison e sua tese de doutorado na USP, intitulada “A estrutura Sindical de Estado no Brasil e o controle Judiciário após 1988”, atualizando as pesquisas de Boito Junior realizadas na década de oitenta, esse autor salienta que, hoje a intervenção nos sindicatos não se dá pela via do poder executivo, mas pela via de um controle estatal do Judiciário, no que tange o direito coletivo.
Fonte: DUARTE, Sérgio Pedro; DUARTE, João Carlos. O PARADOXO DA LIBERDADE SINDICAL: UNICIDADE SINDICAL VERSUS PLURALIDADE SINDICAL NO MANDAMENTO CONSTITUCIONAL. Disponível em: http://books.scielo.org/id/cghr3/pdf/rodrigues-9788579820267-04.pdf
Considerando essas informações e o conteúdo estudado sobre unicidade e pluralidade sindical, pode se afirmar que pluralidade sindical é:
Nota: 0.0
	
	A
	a permissão legal de um sindicato único por grupo de trabalhadores, porém podem ser agrupados por categoria, empresa, ou ainda, por uma profissão, possibilitando que o empregado entre em qual se identificar melhor.
	
	B
	a permissão legal de um sindicato agrupar mais de uma categoria de empregados
	
	C
	a permissão legal de um sindicato categorizar os empregados por mais de uma forma, ampliando assim, o seu rol de trabalhadores.
	
	D
	a permissão legal de se ter mais de um sindicato na mesma base territorial, seja por categoria profissional ou econômica
Justificativa:
ROTA 2 - NEGOCIAÇÃO E RELAÇÕES SINDICAIS TEMA 5 – UNICIDADE E PLURALIDADE SINDICAL
Pluralidade sindical, por sua vez, corresponde ao modelo

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.