A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
PÓS DATISMO E GESTAÇÃO PROLONGADA

Pré-visualização | Página 1 de 1

1 
OBSTETRÍCIA ATD2 
ISABELLA S S BORGES TXXII-B 
Pós Datismo e 
Gestação Prolongada 
Uma gestação humana dura em torno de 280 
dias = 40 semanas = 9 meses e 10 dias = 10 
meses lunares = 3 trimestres 
Recém nascidos a termo: entre 37-42 
semanas (259-294 dias) 
• Menor incidência de mortalidade 
neonatal (40-41 semanas) 
o A partir de 43 começa aumentar 
CAUSAS DE MORTALIDADE NEONATAL 
✓ Hipertensão gestacional 
✓ Parto prolongado com desproporção 
✓ Anoxia sem explicação 
✓ Malformações 
Pós datismo 
Todas as gestações que ultrapassam 40 
semanas, porém não ultrapassam 42 
semanas 
Está dentro da incidência de menor 
mortalidade neonatal → não é patológica. 
Porém necessita de cuidados especiais, 
quanto a vigilância fetal (cardiotocografia e 
perfil biofísico fetal, para evitar o sofrimento 
fetal) 
ETIOLOGIA 
Desconhecida, mas há algumas situações 
associadas: 
• Idade materna → idades mais 
avançadas aumentam o pós datismo 
• Primigestas 
• Gregas e italianas têm taxas mais 
elevadas 
• Fatores feto anexiais 
o Anencefalia: insuficiência 
adeno-hipofisária 
o Deficiência da sulfatase 
placentária 
• Excessiva atividade endócrina 
placentária 
o Atividade excessiva 
miorrelaxante da progesterona 
na placenta 
• Fatores intrínsecos do miométrio 
o Doenças, por exemplo, 
adenomiose, podem dificultar a 
excitabilidade das fibras 
miometriais 
• Fator cervical 
o Inibição de prostaglandinas (em 
situações normais, estimula a 
liberação de ocitocina que 
auxilia na contração uterina) 
Gestação prolongada 
Também chamada de serotina, protraída, 
retardada, pós-termo, pós-maturidade 
Ultrapassam 42 semanas, portanto não é 
mais a termo. É uma gestação patológica. 
INCIDÊNCIA 
➢ 3-14% 
➢ <40 semanas 90% dos partos (maioria) 
➢ 40-42 semanas 10% 
➢ >42 semanas 0,9% 
 
 
2 
OBSTETRÍCIA ATD2 
ISABELLA S S BORGES TXXII-B 
ETIOLOGIA 
Desconhecida. Hipótese mais provável -> 
falha na deflagração do trabalho de parto 
RESULTADOS PERINATAIS 
GRANDE PREOCUPAÇÃO 
Senescência (envelhecimento) da placenta → 
falência placentária → carência de 
oxigenação fetal → sofrimento fetal 
→ Aumento da mortalidade conforme 
idade gestacional (a ocorrência mínima da 
mortalidade ocorre entre 38-42 semanas) 
→ Aumento da morbidade 
• Oligoâmnio (em resposta a hipoxemia) 
→ leva a vulnerabilidade do cordão 
o Devido as contrações e 
movimentações fetais 
• Mecônio ante e intraparto → pelo 
estado hipoxêmico → aspiração 
intrauterina (entope brônquios e 
bronquíolos do bebe, causando 
insuficiência respiratória) 
• Macrossomia fetal 
o Pode levar ao tocotraumatismo 
o O principal processo é a fratura 
da clavícula 
DIMINUIÇÃO DA OXIGENAÇÃO FETAL: o 
bebe entra em acidose → ocorre 
peristaltismo → libera mecônio 
• Senescência placentária 
• oligoâmnio 
MORBIDADE MATERNA 
✓ distocias (biacromial é a mais 
prevalente) 
o após 40 semanas a taxa 
aumenta muito (90%) 
✓ lesões perineais 
o romper o períneo ou fazer 
episiotomia 
✓ aumento da incidência de cesárea (2x 
maior nas gravidezes abaixo de 42 
semanas) 
✓ ansiedade materna 
DIAGNÓSTICO 
✓ Anteparto 
o Pela DUM 
o USG do 1º trimestre → Se a 
paciente não souber a data da 
DUM 
✓ Pós parto 
o Características do RN (índice de 
Clifford) 
Estágio Características 
Estágio 1 Pele seca, rachada e 
enrugada; 
Aparência de 
desnutrido; olhos 
abertos em alerta; 
diminuição do 
vérnix; unhas longas 
e bastante cabelo; 
diminuição da 
gordura do 
subcutâneo 
Estágio 2 Todas as 
características do 1 
+ sofrimento fetal, 
asfixia em alguns 
casos; pele, cordão e 
membranas fetais 
impregnadas no 
mecônio 
(esverdeado) 
Estágio 3 Estagio 1 e 2 + 
morte fetal; 
mecônio amarelado 
 
 
3 
OBSTETRÍCIA ATD2 
ISABELLA S S BORGES TXXII-B 
CONDUTA ASSISTENCIAL 
➢ Vigilância do bem estar fetal (2x na 
semana) 
o Cardiotocografia (de repouso e 
estimulada) e perfil biofísico 
fetal ((ILA para ver oligoâmnio 
<5cm → grande parâmetro de 
sofrimento fetal) 
➢ Indução do parto (avaliar condições do 
colo) vai cair na prova!!! Ver tabela 
abaixo e decorar 
o Colo favorável a indução >= 6 
(índice de favorabilidade) 
 
 
 
 
 
Tabela das condições do colo: 
 0 1 2 3 
Dilatação 0 1-2cm 3-4cm 5-6cm 
Esvaecimento 0-30% 40-50% 60-70% 80% 
Altura da 
apresentação 
-3 -2 -1 ou 0 +1 ou +2 
Consistência do colo Firme Média Amolecida - 
Posição do colo Posterior Medianizada anteriorizada 
 
Colo impérvio (dilatação zero) → 
acompanhar e conduta obstétrica conforme 
os resultados da vigilância fetal 
Colo impérvio, porém, Birshop >= 6 → 
conduta obstétrica de acordo com a 
vitalidade fetal. Se o bebê está ótimo, faz 
parto normal; se for oligoâmnio, prepara o 
colo e induz o parto. 
Índice de Birshop >=6 e colo pérvio → faz 
amnioscopia; se o liquido for favorável, induz 
o parto. Se tiver mecônio, não induz. 
Branco = normal 
Amarelado = mecônio antigo (já está em 
sofrimento faz tempo – sofrimento fetal 
crônico) 
Esverdeado = mecônio recente (sofrimento 
fetal agudo) 
Avermelhado = sangramento recente 
(descolamento placentário – faz cesárea) 
Acastanhado = sangramento antigo; provável 
morte fetal 
 
 
4 
OBSTETRÍCIA ATD2 
ISABELLA S S BORGES TXXII-B 
Índice de Birshop <6 e colo pérvio → se 
amnioscopia afasta mecônio faz conduta 
expectante. Se afastar mecônio, faz cesárea. 
*toda vez que tiver mecônio, está 
contraindicada a indução*

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.