A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
RESUMO_ Patologias do útero gestante e perdas embrionárias e fetais

Pré-visualização | Página 1 de 1

---Patologias do útero gestante---
Adrielly Alves Araújo
--Gestação prolongada--
Mais frequente em bovinos e
ovinos. Relacionada a ANOMALIAS
FUNCIONAIS E ANATÔMICAS NOS
FETOS. Em bovinos, uma gestação pode
ser considerada prolongada com 30
dias ou mais após o tempo normal da
gestação (aproximadamente 280 dias),
podendo se prolongar por 2 meses ou
mais podendo levar a complicações
como parto distócico com ausência de
sinais de parto.
O PARTO É INDUZIDO PELO
CORTISOL FETAL, ou seja, uma vez que
o espaço intrauterino se torna pequeno
demais para o feto seus níveis de
estresse aumentam e com ele a
produção de CORTISOL FETAL, que
induz a PRODUÇÃO DE ESTRADIOL pela
mãe, o que aumenta os RECEPTORES
DE OCITOCINA. A interação do feto com
a parede uterina estimula a LIBERAÇÃO
DE OCITOCINA materna que ao se
ligarem com seus receptores induzem a
PRODUÇÃO DE PGF2α que tem ação,
jUNTO DO ESTRÓGENO, DE CONTRAIR A
MUSCULATURA LISA DO MIOMÉTRIO.
Esse processo sofre feedback positivo
até que haja a expulsão do feto, já que,
cortisol fetal → estrogênio materno →
receptores de ocitocina → feto
apertado interage com a parede uterina
→ ocitocina + PGF2α → contração do
miométrio → aperta mais o feto que
produz mais cortisol.
Assim, a principal condição para
se ter a gestação prolongada são
ALTERAÇÕES DA ADRENAL FETAL: não
formação/má formação da adrenal não
funcionalidade das células da adrenal,
que NÃO PRODUZIRÃO CORTISOL
FETAL, não havendo o estímulo do
parto. Vacas com hipotireoidismo
também podem afetar esse sistema,
uma vez que leva a baixos níveis de GH
fetal e não crescimento do feto,
incluindo adrenais. Plantas tóxicas
também podem prolongar a gestação.
Para evitar complicações deve
ser feito o monitoramento da gestação,
tendo anotado o período em que o
animal foi coberto/inseminado e
POSSÍVEL DATA DO PARTO para melhor
acompanhamento e diagnóstico caso a
gestação se prolongue. O tratamento é
feito pela INDUÇÃO DO PARTO, com
CORTICÓIDES, ESTRADIOL E
PROSTAGLANDINA.
.Placentação adventícia.
Placentação EM LOCAL COM
NÚMERO REDUZIDO DE COTILÉDONES =
menor taxa de troca entre mãe e feto.
PODE LEVAR A ABORTAMENTO.
-------Hidroâmnio e-------
------Hidroalantóide--.---
Ou HIDROPSIA DOS
ENVOLTÓRIOS FETAIS, que é o acúmulo
anormal de líquido na CAVIDADE
AMNIÓTICA OU ALANTÓIDE podendo
chegar a até 100 litros a mais. É mais
comum de ocorrer na cavidade
alantóide.
Causada por DIFICULDADE DE
ABSORÇÃO/DRENAGEM DOS LÍQUIDOS
NOS ENVOLTÓRIOS, AUMENTO DA
SECREÇÃO RENAL DO FETO. Pode
causar complicações para a vaca como
taquicardia, dispneia, desconforto,
hiporexia ou anorexia, e pode levar a
abortamento.
Hidroâmnio é menos comum, 5%
dos casos de hidropsia, e está
relacionado a MÁ FORMAÇÃO FETAL de
BOVINO BULLDOG. O hidroalantóide
compõe 85-99% dos casos de
hidropsia, ocorre por NÚMERO
INADEQUADO DE CARÚNCULAS,
GESTAÇÃO GEMELAR, EMBRIÕES
PRODUZIDOS IN VITRO E/OU
CLONADOS, DISTÚRBIOS HEPÁTICOS E
RENAIS DO FETO, TORÇÃO DO CORDÃO
UMBILICAL.
OBS: Os casos de hidroalantóide tem se
tornado mais comuns com a
disseminação dos programas de
fertilização in vitro, nos quais, quanto
mais manipulado for o embrião a ser
implantado, maiores as chances de
ocorrer hidropsia, porém ainda não se
sabe o porquê.
A OCORRÊNCIA CONCOMITANTE
DE HIDROÂMNIO E HIDROALANTÓIDE É
RARA, uma vez que a hidropsia em si já
é uma patologia considerada rara. É
mais comum em bovinos pelo Bovino
Bulldog, ovinos quando gêmeos ou
trigêmeos e em cadelas, quando ocorre,
pode afetar toda a ninhada, raro em
éguas.
Tratamento por
acompanhamento e INDUÇÃO DO
PARTO, DO ABORTO, OU CESAREANA,
pode ser feita punção para redução do
conteúdo.
---Morte embrionária---.
Pode ser dividida em PRECOCE,
antes dos 21 dias, e morte embrionária
TARDIA após os 21 dias até 45 dias. A
morte embrionária precoce é evitada
PREVENINDO-SE A LUTEÓLISE. Quando
ocorre morte embrionária precoce
muitas vezes não é percebido como
perda embrionária e sim como retorno
ao cio que ocorre de forma regular, ou
seja, MANTÉM O CICLO ESTRAL EM 21
DIAS, em animais de ninhadas grandes
pode-se haver redução da ninhada.
As causas de morte embrionária
precoce não são totalmente elucidadas,
mas pode ser por estresse térmico,
estresse lactacional, balanço energético
negativo, causas infecciosas, efeitos
tóxicos da ureia e nitrogênio.
---------Morte fetal--------
A PARTIR DOS 45 DIAS EM
BOVINOS E EQUINOS e 25-30 dias em
cadelas e gatas.
Pode levar a mumificação,
maceração e abortamento.
MUMIFICAÇÃO É A MORTE FETAL
QUE SEM CONTAMINAÇÃO é absorvida
a sua placenta e líquidos corporais
restando uma massa “mumificada”. É
comum em porcas multíparas.
MACERAÇÃO É A MORTE FETAL
COM CONTAMINAÇÃO que leva a
DESTRUIÇÃO DOS TECIDOS com
PRODUÇÃO DE GÁS, EXSUDATO
PURULENTO E ODOR FÉTIDO com
complicações de inflamação/infecção
uterina, aumento da espessura da da
parede uterina, fibrose e perfuração
uterina pelos ossos do feto levando à
peritonite.
-----------Aborto-----------
EXPULSÃO DE UM CONCEPTO
ANTES DO TÉRMINO DA GESTAÇÃO. Em
sua grande maioria tem causas
infecciosas, em EQUINOS PODE
OCORRER POR GESTAÇÃO GEMELAR
que não é suportada na espécie,
DESLOCAMENTO DE PLACENTA E
TORÇÃO (severa) do cordão umbilical.
---------Natimorto---------
Concepto formado, EXPULSO NO
PERÍODO CORRETO DE GESTAÇÃO, pode
nascer morto ou poucas horas após o
parto.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.