A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Anatomia - plexo braquial

Pré-visualização | Página 1 de 1

LEMBRETE: NERVOS ESPINAIS 
Temos 31 pares de nervos espinais, sendo que todos são mistos. Esses 31 pares são 
divididos de forma que: C8, T12, L5, S5 e Co1. 
Lembrando que radículas formam raízes, que se fundem e formam o tronco do nervo 
espinal de onde ele irá partir. A raiz anterior é motora e a posterior é sensitiva, mas o 
nervo é sempre misto. 
 
FORMAÇÃO 
Durante a formação do nervo espinal, emite um ramo anterior que é mais desenvolvido em questão de 
calibre e um ramo posterior que é menor. O ramo anterior irá formar os plexos. 
As raízes anteriores formadas na intumescência cervical dão origem ao plexo braquial, ou seja, as raízes de 
C5, C6, C7 e C8. Pode-se também afirmar que há uma contribuição de C4. 
TRONCOS DO PLEXO BRAQUIAL 
Durante a formação do plexo ocorre a fusão de algumas raízes formando o tronco do plexo. A fusão de 
C5 com C6 forma o tronco superior e a fusão de C8 e T1 forma o tronco inferior. C7 continua como tronco 
único e forma o tronco médio. 
Após a formação do tronco, ocorre uma 
ramificacao que leva as raizes que se 
formaram no inicio, formando as 
estruturas denominadas divisoes. As 
divisoes anteriores inervam mm. flexores e 
pronadores da regiao de membros. Já as 
divisoes posteriores inervam os mm. 
extensores e supinadores. 
A divisao anterior do tronco superior com 
o a do tronco medio forma o fasciculo 
lateral. A juncao de todas divisoes 
posteriores forma o fasciculo posterior. E o 
fascículo medial é formado pela divisao 
anterior do tronco inferior. 
 
 
O plexo braquial transita entre m. escaleno anterior e médio. Está na parte inferior do trígono do pescoço, 
sendo superior a clavícula, lateral-posterior ao esternocleidomastóideo e superior-posterior à a. subclávia. 
O plexo braquial possui uma porção supraclavicular e outra infraclavicular. Na região supra, estão raízes e 
tronco. Já na região infra, estão os fascículos. O acesso às raízes e troncos deve ser feita pelo pescoço, 
enquanto aos fascículos deve ser pela axila. 
Existem ramos terminais denominados: n. musculocutâneo, n. axilar, n. radial, n. mediano e n. ulnar. 
RAMOS TERMINAIS 
NERVO MUSCULOCUTANEO 
É um nervo com origem no fascículo lateral, que atravessa pelo m. coracobraquial e inerva mm. flexores 
do antebraço. 
O nervo musculocutâneo inerva a musculatura e quando transita próximo à articulação do cotovelo, irá 
ramificar formando, por exemplo, o ramo cutâneo lateral que se ramifica em anterior e posterior, 
inervando tanto musculatura quanto parte de superfície de pele – cutânea. 
N. RADIAL 
Tem origem no fascículo posterior transitando posteriormente à região do braço. 
Transita pelo sulco do nervo radial, medialmente ao úmero. Ao chegar à região de cotovelo passa para a 
região anterior, ramifica-se superficial e profundamente. 
Esse nervo está envolvido na inervação da pele das faces posterior e lateral do braço; e a pele da face 
posterior do antebraço. Inerva também articulações na mão e no cotovelo. Além disso, esse nervo inerva 
músculos, como os mm. posteriores do braço e antebraço (mm. Extensores do antebraço, do carpo, dos 
dedos e do m. supinador). 
Se ocorrer lesão do nervo radial, o individuo não faz extensão de punho. 
N AXILAR 
Situado anteriormente ao m. subescapular, posterior a artéria axilar e lateralmente ao nervo radial. Inerva 
os mm. Redondo menor e deltoide; e a articulação do ombro. 
Tem origem no fascículo posterior do plexo braquial. Pode ser comprometido por uso de muleta, pois fica 
apoiado. 
N. MEDIANO 
Penetra a mão passando pelo túnel do carpo, posteriormente ao retináculo dos m. flexores e 
anteriormente aos tendões dos mm. flexores. 
Se acontecer um acometimento do nervo quando transita pelo túnel do carpo, por compressão ou 
processo inflamatório como tendinite, há a síndrome do túnel do carpo. 
Inerva a pele lateral da palma da mão e dos dedos. Além da região palmar, inerva a região dorsal como 
pele do dorso das falanges distal do polegar, media e distal dos dedos indicador e médio. 
N. ULNAR 
M. flexor ulmar do carpo, flexor profundo dos nervos. Inerva m. anteriores do antebraço. 
LESÕES NERVOSAS 
o Punho caído – nervo radial 
o Mão em benção – nervo mediano 
o Mão em garra – nervo ulnar

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.