Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
sistema endócrino

Pré-visualização | Página 1 de 2

Letícia Mantovani-FISIOLOGIA 
Sistema Endócrino 
Agregado de células que possuem como função de 
secreção. 
Agrupamento de células ou órgãos especializados na 
produção e na eliminação (secreção) de substâncias, a 
partir de matéria prima obtida da corrente sanguínea. 
TIPOS DE GLÂNDULAS: 
EXÓCRINA: 
Apresentam dutos ou canais excretores. 
 • Lançam seus produtos no interior de órgãos cavitários 
(ex; glândulas salivares, gástricas, lacrimais, fígado) ou 
para fora do corpo. (ex; sudoríparas, sebáceas, 
mamárias). 
ENDÓCRINA: 
Sem dutos, produzem substâncias reguladoras — os 
hormônios — lançando-as diretamente na corrente 
sanguínea. 
Desenvolve uma ação nos órgãos alvos que são os que 
irão receber secreção, hormônios que irão exercer alguma 
função. 
• Ex.: hipófise, tireoide, paratireoides, pâncreas endócrino 
(ilhotas de Langerhans), suprarrenais sou adrenais, 
gônadas, etc. 
HORMÔNIOS: 
Mensageiros químicos produzidos pelas glândulas 
endócrinas. 
 • —reguladores (estimulantes ou inibidores) de funções 
orgânicas (crescimento, metabolismo, reprodução, etc.), 
concorrendo para a manutenção do equilíbrio do meio 
interno (homeostase). 
• —lançados na circulação. 
 • —atuam em doses diminutas. 
• —agem sobre tecidos ou órgãos chamados “alvo”. 
DIFERENÇA ENTRE CONTROLE NERVOSO E 
HORMONAL: 
1. Controle nervoso: ação mais rápida; os impulsos 
percorrem as fibras nervosas com grande 
velocidade; cessando o estímulo, cessa a 
resposta. 
2. Controle hormonal: ação mais lenta; os 
hormônios são transportados com a velocidade 
do fluxo sanguíneo; cessando o estímulo, a 
resposta perdura até a decomposição do 
hormônio. 
FEEDBACK: 
Retroalimentação. 
• Mecanismo de auto regulação pelo qual o produto de 
uma reação pode estimular ou inibir essa própria reação. 
• Feedback negativo – o aumento do produto final que 
inibe a atividade da glândula. 
• A concentração de uma substância no sangue 
(hormônio) controla a produção de uma outra substância 
(outro hormônio, produzido por outra glândula). 
Estimula a ação de outro hormônio através de sua reação. 
POSITIVO: 
Quando um hormônio aumenta sua produção e a ação 
hormonal aumentada desse hormônio estimula o 
aumento de outro hormônio também aumentando a sua 
concentração. 
NEGATIVO: 
A alta concentração de um determinado hormônio 
diminui a ação e concentração do outro hormônio. 
Ex.: TSH em relação ao T3 e T4. 
Aumenta a produção de T3 e T4 na hipófise estimulando o 
aumento de T3 e T4 na tireoide. Os dois hormônios 
aumentando = FEEDBACK POSITIVO. 
T3 e T4 em relação ao TSH: 
Se olhar da tireoide para hipófise só haverá o aumento do 
TSH quando os hormônios T3 e T4 estiverem baixo. 
DISCURSIVA: 
 
Baixa temperatura corporal ou estresse estimulam a 
liberação do hormônio estimulante da tireóide (TSH) pela 
hipófise. 
• O TSH estimula a tireóide a produzir e liberar tiroxina. 
 • A tiroxina estimula a atividade metabólica da maioria 
das células, aumentando a produção de energia. • O 
aumento da temperatura e os níveis mais elevados de 
tiroxina no sangue inibem as células produtoras do TSH. 
PRINCIPAIS GLÂNDULAS ENDÓCRINAS: 
 
 Letícia Mantovani-FISIOLOGIA 
Obs.: hipotálamo não é glândula mas tem uma 
importância. 
HIPOTÁLAMO: 
Não é glândula. Age como glândula. 
Sua função é estimular a produção dos hormônios da 
adeno hipófise ou hipófise anterior. 
 TRH- estimula a produção do TSH. 
 CRH- hormônio que estimula o ACTH. 
 GHRH OU GH- hormônio que estimula o GH. 
 GnRH- hormônio que estimula LH e FSH. 
 PIF- hormônio inibidor da prolactina. 
ADENO HIPÓFISE: 
Seus hormônios são estimulados pelo hipotálamo. 
1. GH/SH HORMÔNIO DO CRESCIMENTO. 
 Promove o crescimento das cartilagens e dos 
ossos. 
 Influencia o metabolismo das proteínas, 
carboidratos e lipídeos. 
 Deficiência na infância provoca o 
nanismo. 
 Excesso na infância provoca o 
gigantismo. 
 Excesso no adulto provoca a 
acromegalia. 
2. TSH: TIREOTROFINA: 
 Estimula a glândula tireoide a produzir o 
tiroxina. 
 Deficiência pode provocar o 
hipotireoidismo. 
 Excesso o hipertireoidismo. 
3. ACTH ADRENOCORTICOTRÓFICO: 
 Estimula o córtex da glândula supra renal a 
produzir o hormônio cortisol ou 
glicocorticoides. 
4. LTH PROLACTINA: 
 Desenvolvimento da mama. 
 Produção do leite. 
5. FSH FOLICULO ESTIMULANTE: 
 HOMENS: produção os espermatozoides. 
 MULHERES: promove o desenvolvimento do 
folículo estimulante (onde possui o ovócito 
ii. E estimula a produzir estrógeno. 
6. LH LUTEINIZANTE: 
 HOMENS: Induz o testículo a produzir 
testosterona. 
 MULHERES: estimula a ovulação e o 
desenvolvimento do corpo lúteo. 
NEURO HIPOFISE OU HIPÓFISE POSTERIOR: 
Armazena e libera dois hormônios produzidos pelo 
hipotálamo. 
1. ADH ANTIDIURÉTICO OU VASOPRESSINA: 
 Liberado quando o volume de sangue cai de 
certo nível. 
 Estimula a reabsorção de água nos rins. 
 Diminui o volume de água excretado. 
 Retém água no organismo. 
 Sua deficiência provoca perda de 
água em excesso e muita sede, 
síndrome denominada de diabetes 
insípidos. 
Retém liquido, aumento volume de sangue aumenta, que 
é a volemia, o trabalho cardíaco aumentando a pressão 
arterial. 
Álcool é inibidor do ADH. 
2. OXITOCINA: 
 Promove contrações uterinas durante o 
parto. 
 Estimula a contração das glândulas 
mamarias para a saída do leite. 
 O que estimula a produção da oxitocina 
é a sucção do neném durante a 
amamentação. 
TIREÓIDE: 
1. T3 TRIIODOTIRONINA 
2. T4 TIROXINA 
 Estimulam o metabolismo energético. 
 Aumentam a taxa da respiração celular, 
consequentemente se obtém mais energia. 
 Excesso causa o hipertireoidismo: 
 Causa: Hiperatividade, perda de 
peso, nervosismo, agitação, olhos 
para fora, a glândula incha por estar 
trabalhando muito causando o 
bócio. 
PRODUÇÃO DE MUITO TSH AS 
GLANDULAS IRÃO RESPONDER COM 
MUITO T3 E T4, LOGO O 
HIPERTIROIDISMO É HIPOFISÁRIO. 
QUANDO NÃO TEM TSH O T3 R T4 
ESTÁ PRODUZINDO SEM SER 
ESTIMULADA ENTÃO TEMOS UMA 
TIREOIDITE. 
 Deficiência causa o hipotireoidismo: 
 Causa: diminuição do 
metabolismo celular, ganho de 
peso, bradicardia 
(desaceleração de batimentos 
cardíacos), mixedema (inchaço 
da pele), bócio. 
POUCO HORMONIO TSH NÃO 
PRODUZ T3 R T4 A GLANDULA 
APENAS NÃO RESPONDE 
HIPOTIREOIDISMO 
HIPOFISÁRIO. R PODE TER O 
CONTRARIO COM O TSH ALTO 
 Letícia Mantovani-FISIOLOGIA 
MAS O T3 E T4 NÃO 
RESPONDEM. 
3. CALCITONINA: 
 Atua diminuindo a quantidade de cálcio do 
sangue e aumentando sua concentração nos 
ossos. 
PARATIREÓIDE: 
1. PARATORMÔNIO. 
 Retira cálcio dos ossos e colocar no sangue. 
Quando há muito cálcio no sangue a calcitonina pega esse 
cálcio e deposita nos ossos diminuindo a quantidade de 
cálcio no sangue, e o paratormônio tira o cálcio do osso e 
coloca no sangue. 
Subiu a concentração de cálcio no sangue sobe a 
calcitonina, quando há queda de cálcio no sangue 
aumenta a quantidade de paratormônio inibindo a 
calcitonina. FEEDBACK NEGATIVO. 
SUPRA REANAIS (ADRENAIS) 
1. CÓRTEX: Região mais externa. Produz os 
hormônios cortisol e aldosterona. 
 Cortisol aumenta a síntese de quebra de 
carboidrato, aumenta a quantidade de 
energia, liberado em situações de estresse. 
 Aldosterona: reabsorção de sódio aumenta a 
pressão arterial. 
2. Medula: produz os hormônios adrenalina e 
noradrenalina. 
PÂNCREAS: 
1. INUSLINA: atua após as refeições. 
 Produzidas pelas células betas que se 
localizam nas ilhotas de Langherans. 
 Ação hipoglicemiante, ou seja, diminui a 
quantidade de insulina no sangue. 
 No fígado a insulina promove a formação do 
glicogênio. 
2. GLUCAGON: 
 Efeito inverso da insulina. 
 No fígado o glucagon estimula a 
transformação do glicogênio em várias 
moléculas de glicose que será levada para o 
sangue. 
 Ação hiperglicemiante (aumenta a 
quantidade de glicose no sangue). 
 Liberadas pelas células alfas das ilhotas de 
Langherans 
Se sobe a concentração de
Página12