Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
29 pág.
Sistema Reprodutor Feminino

Pré-visualização | Página 1 de 7

Aspectos Morfofuncionais Do Sistema Reprodutor Feminino:
● Formada pelas seguintes estruturas
principais: gônadas (ovários), tubas uterinas,
útero, vagina interna, e vulva (vagina externa).
1. Vulva:
● E delimitada e protegida por
duas pregas cutâneo-mucosas
intensamente irrigadas e inervadas, os
grandes lábios
● Mais internamente encontra-se
os pequenos lábios
● Na vulva também está o clitoris, que
é um pequeno órgão altamente
sensível (homólogo à glande do
pênis) formado pelo tecido erétil.
● logo abaixo, localiza-se a abertura
vaginal e uretral
2. Vagina Interna:
● A vagina interna é um canal de 6 a 10 cm de comprimento, de paredes elásticas,
que liga o colo do útero aos genitais externos
● Contém de lado de sua abertura, porém
internamente, as denominadas Glândulas de
Bartholin, que secretam um muco lubrificante
● A glândula de Skene segregam uma enzima
que intervém na excitação e ejaculação feminina
● A entrada da vagina é protegida por uma
membrana circular - o hímen- que fecha parcialmente
o orifício vulvo-vaginal, podendo ter formas diversas.
Geralmente, é rompida na primeira relação sexual.
● É revestida por uma membrana mucosa,
cujas células liberam glicogênio
● Bactérias presentes na mucosa vaginal (lactobacillus) fermentaram o glicogênio,
produzindo ácido lático impedindo a proliferação da maioria dos micro-organismos
patogênicos.
3. Útero:
● Está localizado na cavidade pélvica entre
a bexiga e o reto
● Ele possui uma musculatura chamada
endométrio, que é estimulado pelos
hormônios: estrogênio e progesterona.
● O útero possui forma de uma pêra
invertida, é musculoso e oco. Na sua
região superior/lateral está ligado com as
tubas uterinas e na região inferior está
ligada com a vagina.
● É formado pelas seguintes regiões: fundo, corpo, istmo, como e óstio.
● O interior do útero é revestido por um tecido muito vascularizado e sua parede é
formada por três camadas: perimétrio, miométrio e endométrio.
● Perimétrio: camada mais externa do útero, constituída principalmente por uma
membrana úmida e delegada por células epiteliais (serosa) associada á uma fina
camada de tecido conjuntivo
● Miométrio: encontra-se abaixo da serosa e é responsável por boa parte da
espessura da parede uterina; é formada por feixe de fibras musculares lisas
separadas por tecido conjuntivo
● Endométrio: camada interna das células que reveste a cavidade uterina. Todo mês
ele se torna espesso para receber o óvulo fertilizado; caso não ocorra a fertilização,
será eliminada através da menstruação.
- e estimulado pelos hormônios ovarianos estrogênio e progesterona
- ele permite que o embrião se aloja na parede do útero durante a nidação
- responsável pela formação da placenta
4. Tubas Uterinas:
● Tubos contráteis, com 10cm de comprimento, que se localizam na região
súpero-lateral do útero
● Responsáveis por promover o encontro dos gametas femininos e masculinos
(fecundação)
● Infundíbulo: Porção mais lateral da
tuba. Sua base irregular, e circundada por
fímbrias, uma das quais, a fímbria
ovárica, é a mais desenvolvida e está
anexada ao ligamento tubo-ovárico.
● Ampola: E a parte mais longa e
mais calibrosa, com aproximadamente 7
cm. é ligeiramente tortuosa e possui
paredes delgadas;
Considerando a parte mais importante por
ser o local onde ocorre a fecundação
● Istmo: E a parte medial da tuba que sofre um estreitamento, mede cerca de 3 a 4 cm
de comprimento retilíneo, de parede espessas e menos móvel;
E a continuação da ampola para o trajeto até o corpo do útero.
● Túnicas:
- Serosa: Mais externa, semelhante ao perímetro do útero
- Muscular: Composta de camadas de fibra
- Mucosa: Constituída de pregas tubais que facilitam a locomoção do óvulo ao
útero.
● Gametas feminino, após ser liberado na pelos ovários, será recolhido pelas
terminações das tubas uterinas, chamadas fímbrias.
5. Ovários :
● Com relação a sua anatomia, possuem uma formação oval e aplanada, semelhante
a uma amêndoa
● apresentam duas partes: Interna e externa
● A parte externa abriga uma grande quantidade de folículos, local onde se encontram
os óvulos;
● A cada ciclo menstrual, um novo folículo será desenvolvido ( folículo de graaf)
● Folículos de graaf: possui cerca de 400.000 deles nos ovários
● Gônadas femininas:
- Produção de hormônios femininos (estrogênio e progesterona)
- Ovários: os folículos ovarianos de graaf, que irão originar os gametas
● Menopausa:
- Quando se encerra a ovulação
- Apenas o tecido adiposo responsável pela produção de pequenas
quantidades desse hormônio
6. Sexualidade feminina:
● Estimular o ato sexual
- Fatores endócrinos;
- Sensoriais e Psíquicos;
● Aspectos Hormonais:
- Ovulação (aumento da secreção de estrogênio);
- Sinais químicos: feromônios, são emitidos entre os indivíduos e sentidos por
eles através do olfato (libido);
● Fase de excitação:
- Terminações nervosas irão liberar, no aparelho genital neurotransmissores
(acetilcolina e peptídeos vasodilatadores);
- Esses estimula a secreção das glândulas de Bartholin;
- Ereção do clitoris;
- Turgescência dos pequenos lábios;
7. Tumores:
● Câncer de mama:
O câncer de mama mantém-se como o segundo tipo mais frequente desta doença no
mundo e está em primeiro lugar entre os que acometem as mulheres. No Brasil, é o tipo
mais comum de câncer e representa a principal causa de mortalidade entre as mulheres .
Segundo o Ministério da Saúde (MS), em 2012, houve 52.680 casos novos de câncer de
mama no país; em 2013, a mortalidade foi de 14.206 mulheres e 182 homens vítimas da
doença 3. Em termos mundiais, estima-se que a incidência do câncer pode aumentar em
50% em 2020, com 15 milhões de casos novos . Para 2016, eram esperados 57.960 casos
novos de câncer de mama no Brasil, com risco estimado de 56,20 casos a cada 100 mil
mulheres 3. Nos últimos anos, a incidência de casos novos de câncer de mama em
mulheres jovens tem aumentado. No ambiente hospitalar, observa-se aumento da demanda
de procedimentos cirúrgicos como mastectomia e quadrantectomia ou tratamentos como
quimioterapia, radioterapia e fisioterapia . Acredita-se que as taxas de mortalidade por
câncer de mama continuem elevadas porque a doença segue sendo diagnosticada em
estágios avançados. Na tentativa de diminuir esses índices, algumas pesquisas apontam a
necessidade de conhecer o perfil socioeconômico e demográfico e os fatores de risco das
mulheres acometidas por tumores de mama, uma vez que as peculiaridades de crenças
religiosas e culturais podem influenciar na maior ou menor aderência terapêutica 5,6. O
conhecimento dos principais fatores de risco e a prática de prevenção passam a ser vitais
para a cura e reabilitação da mulher diagnosticada com câncer de mama. Assim, a
capacitação dos profissionais da saúde para ações de educação em saúde e para a busca
ativa de mulheres propensas a desenvolver essa doença se mostra essencial para a
detecção precoce e maiores chances de cura. Entre as formas mais eficazes de detecção
precoce se encontram o exame clínico da mama e a mamografia. Outro exame compreende
a ultrassonografia como apoio diagnóstico, que na maioria das vezes provê dados
suficientes para estadiamento clínico do tumor e definição do tratamento.
Fatores de risco:
- Comportamentais/ambientais:Obesidade e sobrepeso após a menopausa;
Sedentarismo (não fazer exercícios) ; Consumo de bebida alcoólica;
Exposição frequente a radiações ionizantes (raios X, mamografia e
tomografia).
- História reprodutiva/hormonais:Primeira menstruação (menarca) antes dos
12 anos; Não ter tido filhos; Primeira gravidez após os 30 anos; Não ter
amamentado; Parar de menstruar (menopausa) após os 55 anos; Ter feito
uso de contraceptivos orais (pílula anticoncepcional) por tempo prolongado;
Ter feito reposição hormonal pós-menopausa, principalmente se por mais de
cinco anos.
- Hereditários/genéticos: História familiar de Câncer de ovário/ Câncer de
mama em homens/ Câncer de mama em mulheres, principalmente antes dos
50 anos; A mulher que possui alterações genéticas herdadas na família,
Página1234567