A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Analise das Demonstrações Contábeis - Índices de Liquidez, endividamento e Analise vertical e Horizontal

Pré-visualização | Página 1 de 2

Indicadores de Liquidez
É um índice financeiro. 
 
Qualquer que seja a necessidade do usuário, a 
análise das demonstrações financeiras permite 
avaliar: 
 Capacidade de liquidez – situação financeira 
 Estrutura patrimonial – origem dos recursos 
(capital próprio ou de terceiros). 
 Rentabilidade do negócio – retorno sobre o 
investimento realizado 
Para saber a relação entre contas a pagar e a 
receber no curto prazo, ou no longo prazo..... 
Essa relação permite conhecer a empresa, saber 
a real situação de liquidez da empresa, ver o 
risco de insolvência, comparar a empresa com 
outras no mercado, saber se tem mais a receber 
ou mais a pagar, o nosso prazo médio para 
receber e o nosso prazo médio para pagar, 
Índices de Liquidez 
Medem a capacidade de pagamento da 
empresa. 
 - Longo prazo 
 - Curto prazo 
 - Prazo Imediato 
 
É um índice de Curto prazo 
LC = Ativo Circulante 
 Passivo Circulante 
 
Deverá ser maior que R$ 1,00 para manter a 
margem de segurança financeira da empresa. 
Se o índice reduzir de um ano para outro 
significa perda na capacidade de pagamento. 
É um índice de Curto prazo, que analise como se 
a empresa pagaria suas dividas se não vendesse 
o seu estoque. 
LS = Ativo Circulante – Estoques 
 Passivo Circulante 
 
 
 
Índice de LS baixo não significa situação 
financeira apertada. 
Exemplo: Supermercados 
É um índice que analisa a capacidade de 
pagamento a longo prazo. 
LG = Ativo Circulante + RLP 
 PC + PNC 
 
 
 
É um índice que analisa a capacidade de 
pagamento em prazo imediato. 
Mostra quanto a empresa dispõe de 
imediatamente para saldar suas dívidas de 
curto prazo. 
LI= Disponível 
 PC 
 
 
 
Para cada 1,00 de dívida de curto 
prazo R$ X de recursos de curto 
prazo para quitar essas dívidas, já 
em 20XX sua capacidade de 
pagamento de curto prazo aumento 
para R$ X e em 20XX reduziu para X. 
 Para cada R$ 1,00 de dívida de 
Passivo circulante a empresa dispõe 
de R$ x de Ativo Circulante sem os 
estoques. 
Para cada R$ 1,00 de Passivo 
circulante a empresa dispõe de R$ x 
de disponível e duplicatas a receber. 
 
Para cada R$ 1,00 de dívida a curto 
e a longo prazo há R$ X de valores a 
receber a curto e longo prazo 
Para cada R$ 1,00 de dívida de 
capital de terceiros há R$ X de ativo 
realizável a longo prazo. 
A empresa dispõe de recursos para 
quitar x das suas dívidas em prazo 
imediato 
No ano de 20XX a empresa poderia 
quitar X% das suas dívidas de curto 
prazo, com recursos do disponível já 
em 20XX esse percentual era de X% 
e em 20XX X%. 
 
é financiado por 
Índices de Endividamento 
Analise da quantidade da Dívida (Alta, Razoável, 
Baixa) 
Sabemos que... 
 
 
 
Capitais próprios e de terceiros são fonte de 
recursos 
Passivos e Patrimônio Líquido são indicadores 
de endividamentos que nos informam: 
- De onde a empresa utiliza mais recursos 
- Vencimento dos recursos de terceiros 
Ter uma participação de capital de terceiros 
exageradas em relação ao capital próprio é bom 
ou ruim? 
A participação de capital de terceiros 
exageradas pode deixar a empresa vulnerável. 
As instituições Financeiras não estarão 
dispostas a conceder financiamentos para 
empresas com situação desfavorável. 
Empresas que recorrem a dívidas como um 
complemento dos capitais próprios para 
realizar aplicações em seu ativo (expansão, 
modernização etc.) 
Empresas que recorrem a dívidas para pagar 
outras dívidas que estão vencendo. 
Endividamento de curto prazo, normalmente 
utilizado para financiamento a curto prazo. 
Endividamento a longo prazo, normalmente 
utilizado para financiar um ativo permanente. 
O que poderia acontecer se a empresa 
apresentasse significativa concentração de 
dívidas a curto prazo? 
Se as dívidas forem a longo prazo em meio a 
uma crise as empresas podem planejar melhor 
sua situação sem necessidade de desfazer-se 
dos estoques a qualquer preço 
Empréstimos a curto prazo são mais onerosos e 
quando a empresa tem dívidas concentradas no 
curto prazo a qualidade não é boa. 
Quando há equilíbrio entre curto prazo e longo 
prazo a qualidade é melhor. 
Indicadores de Endividamento (Quantidade) 
PCT = Capital de Terceiros 
 Capital de Terceiros + Capital Próprio 
No ano de 20XX x dos recursos originaram-se 
de capitais de terceiros, em 20XX essa 
participação aumentou para X% 
x% dos recursos totais originam-se de capitais 
de terceiros, então x% é financiado com capital 
próprio. 
Houve um decréscimo, porém a situação está 
mais equilibrada. 
 
GCP = Capital Próprio 
 Capital de terceiros 
Para cada R$ 1,00 de capital de terceiros há R$ x 
de capital Próprio como garantia. 
A garantia ao capital de terceiros oferecida pelo 
capital próprio aumentou para R$ x em 20XX. 
No ano de 20XX para cada 1 real de capital de 
terceiros a empresa tinha x centavos de capital 
próprio para dar como garantia, em 20XX essa 
garantia reduziu para x centavos e em 20XX 
chegou a x centavos. 
CE = Passivo Circulante 
 Capital de Terceiros 
No ano de 20XX, x% das dívidas com terceiros 
na empresa venceram a curto prazo, em 20XX 
Passivo Circulante + Exigível a 
Longo Prazo 
Patrimônio Líquido 
 
esse percentual caiu para x%, já em 20XX 
aumentou para x%. 
x% dos capitais de terceiros vencerão a curto 
prazo 
A empresa opera mais com dívidas a curto 
prazo. 
Essa situação é desfavorável e prejudica sua 
liquidez corrente. No entanto, houve uma 
melhora de um ano para o outro. 
Quantidade x Qualidade da dívida 
Analisar se a dívida é alta, porém pode ser de 
boa qualidade pois quase metade é Longo Prazo. 
E o endividamento baixo, porém vencerá em 
curto prazo, sendo mais oneroso. 
 
GE = Capital de Terceiros 
 Patrimônio Líquido 
 
 
O quociente revela qual parcela do Patrimônio 
Líquido foi utilizada para financiar a compra do 
Ativo Fixo, isto é, quanto a empresa imobilizou 
no Ativo Fixo para cada $ 1 de Patrimônio 
Líquido. 
No ano de 20XX para cada 1 real de Patrimônio 
Líquido a empresa investiu x no seu ativo fixo, 
em 20XX subiu para x de recursos imobilizados 
e em 20XX chegou a x. 
A expressão “Ativo Fixo”, corresponde ao Ativo 
Não Circulante diminuído do Ativo Realizável a 
Longo Prazo, que é igual à soma dos subgrupos 
Investimentos, Imobilizado e Intangível. 
OBS: Quanto menor este quociente, melhor! 
Para cada R$ 1,00 de Capital próprio há R$ x de 
recursos aplicados no ativo permanente 
 
 
O quociente revela quanto a empresa investiu 
no Ativo Fixo para cada R$1,00 de Patrimônio 
Líquido mais Exigível a Longo Prazo. 
OBS: Quanto menor este quociente, melhor! 
Para cada R$ 1,00 de Capital próprio + Exigível 
a Longo Prazo há R$ x de recursos aplicados no 
ativo fixo. 
 
No ano de 20XX para cada 1,00 real de PL + PNC 
a empresa tinha x centavos de recursos 
aplicados do ativo fixo, em 20XX esse índice 
permaneceu o mesmo já em 20XX aumentou 
para x de recursos imobilizados. 
Universo da Análise 
Surgiu de forma mais sólida no final do século 
XIX com os banqueiros americanos. 
Desenvolveu-se mais com o surgimento dos 
Bancos Governamentais. 
Hoje, as diversas operações entre as empresas, 
avaliação da eficiência administrativa e 
preocupação no desempenho dos concorrentes 
vêm consolidar a importância da Análise das 
Demonstrações. 
- Demonstrações publicadas de acordo com a lei 
das S.A’s 
- Assinadas por contador, com relatório de 
Diretoria e Notas Explicativas 
- Parecer da Auditoria de Pessoa Jurídica que 
não tenha empresa-cliente que represente mais 
de 2% do seu faturamento e que não esteja 
auditando a empresa por mais de quatro anos. 
 
O grau de endividamento 
da empresa é de x% ou a 
entidade apresenta x de 
grau de endividamento 
- Relatório de Diretoria muito sucinto ou notas 
explicativas incompletas. 
 - Parecer de Auditoria de Pessoa Jurídica que 
tenha empresa

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.