Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Quarta Aula

Pré-visualização | Página 1 de 1

AULA IV
PROCESSO LEGISLATIVO.
CONTEÚDO:
Normas.
Hierarquia das Normas.
Normas em espécie.
Processo Legislativo.
ART. 59 DA CRFB (NORMAS EM ESPÉCIE)
Emenda Constitucional (Art. 60);
Leis Complementares (Art. 61 e 69) ( Maioria absoluta;
Leis Ordinárias (Art. 61);
Leis Delegadas (Art. 68);
Decretos Legislativos (regula matérias de exclusiva competência do Poder Legislativo, sem a necessidade de sanção presidencial: Art. 109, II, do Regimento Interno da Câmara dos Deputados);
Medidas Provisórias (Art. 62, E.C. 32, de 11/09/2001);
Resoluções (par. 2º do Art. 68) ( Questões internas de uma das casas;
Par. Único ( Lei complementar (nº 95, de 26-2-1998) disporá sobre elaboração, redação, alteração e consolidação das leis;
PIRÂMIDE DE KELSEN:
				Constituição – NORMAS SUPERIORES
				 Leis – COMPLEMENTARES ou ORDINÁRIAS
				 ↑ NORMAS INTERMEDIÁRIAS (poder legislativo)
					 Decretos – Chefe do P. Executivo
 Base – Acórdãos / Sentenças / Portarias
 ↑ NORMAS INFERIORES (poder judiciário e poder executivo)
EMENDA CONSTITUCIONAL (art. 60)
Proposta:
1/3 da CD ou do SF
Presidente da República
Mais da metade das Assembleias Legislativas (com maioria dos membros em cada Estado)
Vedações:
Intervenção Federal, estado de Sítio, estado de defesa.
Abolir (Cláusulas pétreas):
Forma federativa;
Voto direto, secreto, universal e periódico;
Separação entre os poderes;
Direitos e garantias individuais (Art. 5º);
Rito (procedimento):
Votada pelo Senado Federal e pela Câmara dos Deputados (em dois turnos de votação).
Só será aprovada se obtiver 3/5 dos votos dos respectivos membros.
Promulgação: mesas da Câmara e do Senado ( com o número de ordem (última de nº 56)
LEIS (ART. 61). A DIFERENÇA ENTRE COMPLEMENTAR E ORDINÁRIA: ART.69 (QUORUM)
Proposta (legitimados)
Deputado Federal;
Senador;
Comissão da Câmara, do Senado ou mista;
Presidente da República;
Tribunais Superiores (competência própria);
Procurador Geral da República;
Cidadãos par. 2º ( Projeto de Lei apresentado à Câmara dos Deputados 1% (mínimo) do eleitorado nacional, distribuído por (mínimo) cinco Estados, com 0,3% de cada Estado.
Fases (procedimento):
Primeira fase: 
Iniciativa ( Projeto de Lei (esboço) ( No Senado, se de Senador. Na Câmara, se pelos demais.
Projeto de Lei ( Comissões permanentes ( Análise dos aspectos:
Formal: analisa a forma do projeto (Exemplo: Competência. Se o Presidente manda um PL tratando matéria de competência do Senado, rejeitado);
Material: matéria, conteúdo (Exemplo: Projeto de Lei prevendo a pena de morte).
Se receber o ok da Comissão, que faz um relatório e esse é votado ( Plenário ( Vota, podendo aprovar (aí vai para a segunda fase) ou é rejeitado (é arquivado). 
Segunda fase:
Casa Revisora ( Que pode aprovar ( então o projeto é enviado para o Presidente da República (3ª fase – pode vetar ou sancionar a lei, aprovando sua publicação). 
Que pode emendar ( volta para a casa iniciadora, que apreciará tudo de novo.
Que pode rejeitar ( arquivado (pode ser desarquivado se pedido pela maioria da Casa).
Terceira fase:
Encaminhamento para o Chefe do Poder Executivo, que pode:
Sancionar ( Lei ( Promulgação (até 48 horas após a sanção. Trata-se de uma formalidade, aquiescência) ( Publicação (dar publicidade, conhecimento a todos).
Vetar (veto sempre deve ser motivado, fundamentado) total ou parcialmente (o motivo só pode ser inconstitucionalidade ou prejudicialidade aos interesses nacionais). O presidente tem 15 dias úteis a partir do recebimento do projeto para a sanção para comunicar ao presidente do Senado Federal os motivos do veto. Se não fala nada, a presunção é de que houve sanção.
Observações importantes:
Pedido de urgência (art. 64) ( O Presidente da República pode pedir URGÊNCIA para a apreciação dos Projetos de Lei. Cada casa (Câmara e Senado) tem 45 dias para apreciá-lo. Na verdade, esse pedido de urgência faz com que o projeto seja analisado em 100 dias (45 em cada casa, com intervalo de dez dias entre uma e outra). 		 
Caso o prazo não seja respeitado, o Projeto entra na ordem do dia (pauta), passando a frente de todos os outros projetos (sobrestando a pauta).
Possibilidade de não concordância do veto pelo Congresso (art. 66, par. 4º, 5º e 7º). Ao promulgar a Lei, o Presidente dá as razões pelas quais vetou em parte ou no todo o projeto (motiva a decisão). Caso o Congresso não concorde, reúne-se em sessão conjunta, com maioria de Deputados e Senadores que, em escrutínio secreto, podem rejeitar o veto e mandam para que o Presidente promulgue a Lei. Se o Presidente não faz isso em 48 horas, o próprio Congresso (Presidente do Congresso, que é o Presidente do Senado, ou, na sua ausência, o vice-presidente do Congresso) promulga.
Emendas Constitucionais não são sancionadas pelo Presidente da República (só têm as duas fases, iniciadora e revisora).
LEIS DELEGADAS (art. 68) ( É uma autorização concedida pelo Congresso para o Presidente da República legislar sobre matéria que não seja da sua competência. O Congresso, através de Resolução autoriza, explicitando os limites de conteúdo e termos do exercício. 
DECRETOS LEGISLATIVOS ( Regulam matérias de exclusiva competência do Poder Legislativo, sem a necessidade de sanção presidencial: Art. 109, II, do Regimento Interno da Câmara dos Deputados.
 MEDIDAS PROVISÓRIAS ( (art. 61) Emenda Constitucional nº 35, de 11/09/2001
Permitidas exclusivamente ao Presidente da República.
Em caso de relevância e urgência ( Terá força de Lei (mas ainda não é lei, devendo ser apreciada pelo Congresso Nacional).
Não pode tratar (limites explícitos) par. 1º (exemplos):
Nacionalidade, cidadania, direitos políticos, partidos políticos. Direitos eleitorais.
Direito Penal, Direito Processual Penal, e Direito Processual Civil.
Organização do Poder Judiciário e do Ministério Público, a carreira e a garantia de seus membros (...).
Perdem a eficácia em 60 dias se não convertidas em lei, prorrogável por mais 60 dias.
No 45º dia da publicação ( a matéria da MP entra em regime de urgência na pauta do Congresso (nas duas casas), sobrestando todos os demais trabalhos.
Inicia-se o processo legislativo da Lei sempre na Câmara dos Deputados.
Relações jurídicas decorrentes de MP que não tenham sido votadas no prazo, perdendo sua eficácia, serão regulamentadas por DECRETO LEGISLATIVO (Congresso Nacional). 
RESOLUÇÕES (par. 2º do Art. 68) ( Regulam questões internas de cada uma das casas.
BIBLIOGRAFIA PARA PRÓXIMA AULA:
	
LISTA DAS COMISSÕES DA CÂMARA e SENADO. Se quiserem o regimento interno (íntegra), acessem o site www.camara.gov. br (Câmara) e www.senado.gov.br (Senado)
Próxima aula: Cap. I a IV da parte II do M. Temer (federação)