A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Tecido cartilaginoso

Pré-visualização | Página 1 de 1

Características
Tipo especializado de tecido conjuntivo
Possui consistência rígida
É essencial para a formação e o crescimento dos ossos
longos na vida intrauterina e depois do nascimento
Contém células chamadas de condrócitos
Abundante material extracelular, que constitui a matriz
extracelular cartilaginosa
Os condrócitos alojam-se em pequenas cavidades na
matriz, chamadas lacunas
Não contém vasos sanguíneos, sendo nutrido pelos capi-
lares do pericôndrio (tecido conjuntivo envolvente)
Não contém vasos linfáticos e nervos
As cartilagens que revestem a superfície dos ossos nas
articulações móveis não têm pericôndrio e recebem nu-
trientes do líquido sinovial presente nas cavidades articu-
lares
As cartilagens do tipo fibroso também não têm pericôn-
drio
As cartilagens não se regeneram bem, quando a área
destrída é extensa, o pericôndrio forma uma cicatriz de
tecido conjuntivo denso, em vez de formar novo tec.
cartilaginoso
CrescimentoCrescimentoCrescimento
Intersticial: por divisão mitótica dos condrócitos preexis-
tentes
Aposicional: a partir das células do pericôndrio
Com o aumento da rigidez da matriz o crescimento in-
tersticial deixa de ser viável, de modo que ele ocorre
apenas nas primeiras fases da vida da cartilagem
FunçõesFunçõesFunções
As funções dependem da estrutura da matriz, que é
constituída por colágeno ou colágeno e elastina
Suporte de tecidos moles
Reveste superfícies articulares
Absorve choques mecânicos
Diminui o atrito, facilitando o deslizamento dos ossos nas
articulações
Tipos de cartilagemTipos de cartilagemTipos de cartilagem
Hialina: é a mais comum, cuja matriz contém delicadas fi-
brilas de colágeno tipo II
Elástica: contém menos fibrilas de colágeno tipo II e
abundantes fibras elásticas
Fibrosa: matriz constituída por fibras colágeno tipo I
Condroblastos
São células alongadas de origem mesenquimal, com pe-
quenas projeções que aumentam sua superfície, facili-
tando as trocas com o meio
Apresentam núcleo grande, com nucléolo proeminente e
citoplasma basófilo, devido ao retículo endoplasmático
rugoso desenvolvido
Apresenta complexo de Golgi desenvolvido e numerosas
mitocôndrias
Abundância de vesículas de secreção
São condrócitos imaturos e fora da matriz
Os condroblastos iniciam a síntese da matriz, se dife-
renciando em condrócitos
Condrócitos
São mais esféricos, mas a sua superfície também é ir-
regular
Exibem núcleo ovoide
Abundância de retículo endoplasmático granuloso e com-
plexo de golgi grande
Frequentemente aparecem em grupos de até oito célu-
las (grupos isógenos), porque suas células são pequenos
clones originados por divisão de um único condroblasto
São células secretoras de colágeno, principalmente do ti-
po II, proteoglicanos e glicoproteínas
Há poucas mitocôndrias, obtenção de energia a partir da
glicólise anaeróbica
A oxigenação dos condrócitos é deficiente
Os nutrientes transportados pelo sangue chegam pelo
pericôndrio, atravessam a matriz da cartilagem por di-
fusão e alcançam os condrócitos
Pericôndrio
É uma fonte de novos condrócitos para o crescimento
Composto de células morfologicamente indistinguíveis dos
fibroblastos
Responsável por nutrição, oxigenação e eliminação dos
refugos metabólicos da cartilagem
Nele estão localizados vasos sanguíneos e linfáticos, ine-
xistentes no interior do tecido cartilaginoso
É formado por um tecido conjuntivo que possui muitas
fibras de colágeno tipo I e poucas células na região mais
externa, porém torna-se gradativamente mais rico em
células na região adjacente à cartilagem
As células são semelhantes aos fibroblastos, mas as si-
tuadas próximo à cartilagem (condroblastos) podem mul-
tiplicar-se por mitose e originar condrócitos
Tecido cartilaginoso
Cartilagem hialina
É o tipo mais frequente no corpo
É encontrada principalmente na parede das fossas na-
sais, na traqueia e nos brônquios, na extremidade ven-
tral das costelas e recobrindo as superfícies articulares
dos ossos longos
Constitui o primeiro esqueleto do embrião, que depois é
substituído por um esqueleto ósseo
Forma o disco epifisário, entre a diáfise e a epífise dos
ossos longos em crescimento (responsável pelo cresci-
mento em extensão)
Sua matriz é formada por fibrilas de colágeno tipo II,
ácido hialurônico, proteoglicanos e glicoproteínas
Todas as cartilagens hialinas, exceto as articulares, são
envolvidas pelo pericôndrio
Absorve impactos pois os glicosaminoglicanos presentes
na matriz são muito hidratados
Matriz territorial: em torno dos condrócitos, mais rica
em proteoglicanos e pobres em colágeno
Matriz interterritorial: mais afastada dos condrócitos
Cartilagem elástica
É encontrada no pavilhão auditivo, no conduto auditivo
externo, na tuba auditiva, na epiglote e na cartilagem cu-
neiforme da laringe
Composta por fibrilas de colágeno tipo II e uma abundan-
te rede de fibras elásticas (elastina)
As fibras de elastina são de difícil visualização
Os condrócitos são mais abundantes e maiores do que
os da cartilagem hialina, a matriz não é tão abundante
Apresenta pericôndrio e cresce por aposição
É menos sujeita a processos degenerativos do que a
hialina
Cartilagem fibrosa
Também é chamada de fibrocartilagem
Tem características intermediárias entre o tecido con-
juntivo denso modelado e a cartilagem hialina
É encontrada nos dicos intervertebrais, nos pontos em
que alguns tendões e ligamentos se inserem nos ossos e
na sínfise pubiana
Está sempre associada a tecido conjuntivo denso
Frequentemente os condrócitos formam fileiras entre
as fibras colágenas
A matriz é acidófila por conter fibras colágenas de colá-
geno tipo I e tipo II
A substância fundamental (ácido hialurônico, proteoglica-
nos e glicoproteínas) é escassa e limitada à proximidade
das lacunas que contêm os condrócitos
Não existe pericôndrio
Apresenta resistência tanto à compressão quanto às
forças de cisalhamento

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.