A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
21 pág.
METROLOGIA APLICADA A PRODUCAO INDUSTRIAL 2021

Pré-visualização | Página 1 de 5

19
METROLOGIA: A CIÊNCIA DAS MEDIÇÕES
Claudio Santos Sá¹
Emerson dos Santos Plucinski¹
Marcelo Dias Cruz e Silva¹
Mateus Pinheiro Delfino¹
	Ana Paula²
RESUMO
A busca por um mercado que ofereça confiança, qualidade no que faz e preços mais acessíveis, faz com que o mercado do trabalho fique muito mais competitivo, e o papel dos gestores dentro das empresas é saber lidar com tal situação. O presente trabalho tem como objetivo compreender como e de que forma é aplicado a metrologia em uma empresa que realiza a produção de máquinas e equipamentos nos mais diversos ramos da indústria. A abordagem teórica contempla assuntos como o surgimento da metrologia, a metrologia no Brasil e também sua aplicação na indústria. Na abordagem metodológica foi realizada uma pesquisa bibliográfica com intuito de fundamentar a investigação, usou-se o estudo exploratório pra se ter uma visão do objeto da pesquisa. A abordagem foi quantitativa e qualitativa, pois, além da apresentação dos dados houve interação do pesquisado com objeto de estudo. Para a aplicação da metrologia na empresa foi utilizado o estudo de repetibilidade reprodutibilidade. Conclui-se que a metrologia quando aplicada de maneira correta dentro do ambiente de trabalho traz inúmeros benefícios a qualidade do produto e consequentemente a satisfação do cliente final 
Palavras-chave: Metrologia Aplicada A Produção. Medição. Instrumentos De Medição. 
	
1. INTRODUÇÃO
A indústria está em constante evolução, sempre inovando e trazendo novas metodologias para aplicar no processo produtivo principalmente após a chegada da automação industrial, a qual está cada vez mais presente no dia a dia favorecendo a eficiência dos processos industriais.
Um dos fatores que influenciaram no desenvolvimento das indústrias, foi de certa forma a inovação em equipamentos industriais, principalmente os instrumentos de medição, visto que estes são utilizados cotidianamente pelos colaboradores nas mais variadas empresas do mundo. As aquisições de instrumentos novos, com qualidade certificada e tecnológica, agregam e facilitam o trabalho a ser executado, na maioria das vezes com maior agilidade e praticidade. 
Conforme (BONGAS, online) Nos primórdios, com o surgimento das ferramentas pneumáticas em 1940, foi possível controlar a vazão de válvulas de forma automatizada, e isso acabou se tornando vital em empresas de grande porte, pois diminuiu a relação entre o tempo e custo da manutenção, porque antes tudo isso era realizado de forma manual, ficando a cargo dos operadores manterem a vazão dentro dos limites estabelecidos. 
Nos dias de hoje, já encontramos em diversas indústrias o vínculo dos instrumentos de medição com os processos automatizados, um “acudindo” o outro, trabalhando de forma simultânea, sendo comum a utilização de redes wireless para controlar e operar estes instrumentos, ficando dessa forma muito mais prático e seguro ao operador. 
Diante disso, este trabalho acadêmico tem por objetivo compreender e resolver as questões mais complexas dentro do âmbito da metrologia aplicada na produção industrial, buscando alternativas para sanar possíveis erros na produção, a fim de garantir e melhorar a qualidade final dos produtos. Para isso, foi realizada uma visita técnica na empresa Torfresma, a qual desenvolve soluções em equipamentos para a indústria em geral. 
Primeiramente buscou-se entender o processo produtivo interno, dessa forma desenvolvendo uma contextualização da produção, pegando desde as etapas iniciais até a expedição final dos produtos enviados ao cliente. Depois disso, após entender todo o processo da empresa, se fez necessário levantar hipóteses para melhorar o processo com equipamentos de medição diferentes do que vinham sendo usados até então. Estes instrumentos fazem toda a diferença na hora do estudo de caso que foi realizado, aplicando a metodologia R&R, avaliando o percentual de variação de medição entre cada operador e instrumento usado.
2. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA
2.1 MEDIÇÃO
Em um mundo cada vez mais exigente quanto ao oque cada produto adquirido tenha a oferecer em suas mais diversas formas, praticamente todos os objetos criados pelo ser humano busca atender a alguma necessidade. Porém, com a criação desses itens várias dúvidas surgem, entre elas, se o que foi produzido atende a sua capacidade proposta inicialmente? ou se o rolamento fabricado para determinada peça irá se encaixar de forma correta sem causar nenhum dano ao equipamento? De certa forma, para responder essas e outras perguntas a metrologia é a disciplina que busca respostas, visando mensurar a qualidade de um objeto e quantificá-la através de uma variedade de métodos e instrumentos.
Ao retratar em como e quando surgiu a primeira forma de medida Goldsmith (2010, online) diz que:
a primeira unidade de medida historicamente confirmada foi o côvado, em torno do ano 3000 a.C., no Egito, que era definido pela distância do antebraço do faraó adicionado à largura de sua mão. Este comprimento foi marcado em um bloco de granito e foram feitas cópias em blocos de madeira e pedra, que foram distribuídas para os arquitetos da cidade.
 
Metrologia é a “ciência da medição e suas aplicações”, este conceito compreende “todos os aspectos teóricos e práticos da medição, qualquer que seja a incerteza de medição e o campo de aplicação” (FILIPE et al., 2012, p. 16, grifo do autor). 
Medição Caracteriza-se por ser um “processo de obtenção experimental de um ou mais valores que podem ser, razoavelmente, atribuídos a uma grandeza,” de acordo com (FILIPE et al., 2012, p. 16, grifo do autor). 
Medir sempre foi importante para o avanço do ser humano. Facilmente realizamos medições em quase tudo que fazemos no nosso dia a dia, quanto ao tempo, volume, massa, temperatura, dimensões. Conforme Junior & Souza (2017, online), “[...]para definir quantitativamente uma grandeza física, necessário compará-la a uma unidade e definir o número de vezes que essa unidade está contida na grandeza medida”.
Silva & Campos (2001), ressaltam que as empresas e organizações que buscam a participação dentro e um mercado globalizado, devem entender por si próprias que precisarão enfrentar vários desafios como: preços competitivos, a qualidade dos seus produtos e agilidade. É necessário transformar amostras, calibrações, e ensaios em informações confiáveis para o processo de tomada de decisão, ou seja, investir em qualidade e normalização. 
2.1.1 METROLOGIA NO BRASIL
No Brasil, a instituição mais significativa no âmbito do estudo da metrologia é o INMETRO (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia), que tem a missão de: 
“[...] prover confiança à sociedade brasileira nas medições e nos produtos, por meio da metrologia e da avaliação da conformidade, promovendo a harmonização das relações de consumo, a inovação e a competitividade do País,” conforme INMETRO (2012, online). 
2.1.2 METROLOGIA NA INDÚSTRIA
No contexto industrial, a metrologia teve sua utilização ampliada com o advento da produção em massa através da linha de produção, implementada por Henry Ford e outros empresários no começo do século XX. Anteriormente, quando carros e outros equipamentos tinham suas partes produzidas à mão, a medição das partes individuais não era de tão grande importância, pois podiam ser ajustadas para se encaixarem umas nas outras. De acordo com Goldsmith (2010), “Foi com a linha de produção que se tornou necessário que as partes tivessem tamanhos padronizados, necessitando medições mais precisas, mas obtendo a vantagem de produtividade muito mais elevada.”
A calibração, é uma área de suma importância para que todos os equipamentos apresentem resultados reais e verídicos, de acordo com o Vocabulário Internacional de Metrologia (2012, p. 27) é caracterizada por ser uma: 
[...] operação que estabelece, sob condições especificadas, numa primeira etapa, uma relação entre os valores e as incertezas de medição fornecidos por padrões e as indicações correspondentes com as incertezas associadas; numa segunda etapa,

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.